Educação superior

Árvore solar produz energia em campus de universidade cearense

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 10/03/2017 18:54

 

Ela tem tronco, galhos e folhas – como qualquer árvore. Só que, diferente das outras, não realiza a fotossíntese. A energia que capta do sol é usada para abastecer bicicletas elétricas na Universidade Estadual do Ceará (UECE), em uma iniciativa pioneira no país.  A árvore solar, como é chamada, acaba de ser inaugurada e está em plena atividade no Campus Itaperi.

 

O projeto é fruto de uma parceria entre o departamento de mestrado em ciências físicas aplicadas e empresas do estado. O desenho é da Projec – Consultoria em Engenharia, Arquitetura e Meio Ambiente; os equipamentos, fornecidos pela Eco – Soluções em Energia. Para ser viabilizado, contou, ainda, com a atuação da IncubaUECE, instituição da própria universidade que presta apoio à criação e expansão de novos negócios.

 

A árvore solar hoje é parte integrante do cenário. Impossível andar por ali sem notar e admirar a estrutura metálica e de fibra de vidro de 10 metros de altura. São também 10 painéis fotoelétricos em configuração radial e helicoidal (circular), que, além de funcionais, possuem uma leveza estética que lembra enormes pétalas (ou folhas).

 

Em sua base fica o bicicletário. Por enquanto, estão sendo atendidas somente 10 bicicletas por dia, abastecidas em cerca de quatro horas. Mas a árvore já possui uma aura de grandiosidade inquestionável, pelo que simboliza nos dias atuais, como mais um passo importante para que a energia renovável se torne uma realidade no Brasil e no mundo.

 

Inicialmente, vai contribuir para o deslocamento dos servidores responsáveis pela segurança local, substituindo motocicletas e carros. Com isso, a UECE gasta menos com combustível e o ar fica mais puro. Sem contar que a árvore ocupa um espaço otimizado, bem menor que a disposição tradicional das células de absorção da luz e do calor do sol.

 

A meta, em médio prazo, é ampliar o projeto dentro e fora da universidade, a fim de atingir um público maior no transporte alternativo, como funcionários de fábricas e supermercados. “Queremos que ele integre o mobiliário urbano e tenha uma clara relação formal com a natureza,” explicou Lutero de Lima, professor do mestrado em Ciências Físicas Aplicadas da UECE.

 

O objetivo dessa expansão, segundo Lutero Lima, é estimular o desenvolvimento econômico sustentável. Às empresas que adotarem a tecnologia deverão ser concedidos créditos de carbono, uma espécie de certificado de qualidade por medidas que colaborem com a redução de gases que provocam o efeito estufa.

 

A árvore solar é apenas uma das concepções do grupo de pesquisa em energias e meio ambiente do curso de mestrado. Elas incluem, por exemplo, estudos aprofundados sobre o tratamento de lixo reciclável e orgânico, que beneficiam diretamente comunidades próximas ao campus, onde se concentram cooperativas e associações de catadores de resíduos sólidos.

O trabalho da equipe, composta por alunos e docentes, rendeu alguns prêmios no Brasil, como o concedido pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), empresa pública de fomento à ciência, tecnologia e inovação em empresas, universidades, institutos e outras instituições. Mas tem sido igualmente reconhecido no exterior, recebendo a indicação ao prêmio Eni Award, considerado o nobel em energia e meio ambiente, promovido pela Fundação Enrico Mattei, da Itália.

 

IncubaUECE

A incubadora da Universidade Estadual do Ceará atende empresas de base tecnológica e opera como uma unidade de negócios inovadores. Ela segue um modelo semelhante ao implementado em várias outras instituições brasileiras de ensino superior, que possibilita o crescimento da economia regional, criando postos de trabalho e gerando renda.

 

Atualmente, a IncubaUECE auxilia sete empreendimentos especializados em biotecnologia, numa atividade conjunta com laboratórios e centros de pesquisa acadêmicos. Um deles é o ECO – Soluções em Energia, que atua em toda a região Nordeste e é responsável pela engenharia da árvore solar. “Estamos atentos às soluções para a energia renovável e de mobilidade urbana. Participar desse esforço com a UECE significa compartilhar uma agenda que tem uma dimensão planetária”, declarou Jonas Becker, diretor comercial da empresa.

 

 

 

Portal MEC