PRECONCEITO »

Furb apurará caso de alunos de medicina

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/04/2017 15:13 / atualizado em 17/04/2017 12:58

Twiter/Reprodução

A Universidade Regional de Blumenau (Furb), em Santa Catarina, informou que vai apurar o envolvimento de cinco universitários do último ano de Medicina que aparecem em uma imagem fazendo gestos com as mãos em alusão ao órgão sexual feminino. A instituição instaurou uma comissão para apurar o caso.



Na imagem, um jovem está de jaleco, e dois usam estetoscópios. Segundo a Furb, a imagem foi feita no Teatro Carlos Gomes, no Centro da cidade. Não há informações sobre a data da foto. “Ao tomar conhecimento de imagem veiculada nas redes sociais de alguns estudantes em postura ofensiva à sociedade, incompatível com os valores que regem a nossa instituição, repudia o episódio”, disse a universidade, em nota.

Depois da publicação da foto em Blumenau, um post criticando a atitude dos alunos — “Parece que os futuros médicos de Blumenau acharam bonito e resolveram imitar. Dá para parar ou é tão difícil assim ser ético?” — foi postado no Facebook e foi compartilhado por mais de 3 mil pessoas em cinco horas. A universidade não divulgou os nomes dos alunos envolvidos, mas confirmou que eles são estudantes do último período.

Espírito Santo
O caso em Blumenau se assemelha à imagem de sete estudantes de Medicina da Universidade Vila Velha (UVV), no Espírito Santo, que posaram com o jaleco do curso, calças arreadas e fazendo gesto com as mãos em que remetem ao órgão sexual feminino. A imagem publicada no Instagran com a hashtag #pintosnervosos causou indignação nas redes no domingo.  Após viralizar, a imagem foi bombardeada com comentários pedindo a punição dos universitários. O autor da foto foi um dos estudantes que também estava no local.

Procurada, a UVV informou, em nota, que repudia a ação dos estudantes e que será instaurada uma comissão de sindicância para apuração dos fatos. Na página oficial da instituição no Facebook, publicou que condena “todas as formas de ofensa e desrespeito, seja de cunho preconceituoso ou exposição indevida de uma profissão”.

Já o Conselho Regional de Medicina do Espírito Santo (CRM-ES) se reuniu na última segunda-feira com a coordenação do curso de Medicina da instituição de ensino. Segundo o CRM-ES, ficou definido que a universidade aplicará punição compatível com o ocorrido. De acordo com a UVV, a sindicância deve durar 30 dias e, só depois da apuração, decidirá sobre a punição — de advertência a cassação do diploma — caso seja comprovado que os estudantes feriram o código de conduta ética da universidade.

A Universidade de Vila Velha, por meio da assessoria de imprensa, informou que os alunos foram envolvidos individualmente e que alegaram que a foto foi tirada do contexto e que é “um tipo de piada interna” que se repete em outras universidades do país. De acordo com os estudantes, o caso só ganhou repercussão porque foi publicada em uma rede social, já que anteriormente só apareciam nos álbuns de formatura. Segundo os estudantes, a hashtag usada na foto é o nome do grupo do WhatsApp dos estudantes.