Educação superior

Instituto Tecnológico de Aeronáutica recebe investimentos do MEC

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/07/2017 18:36

 

O Ministério da Educação tem investido recursos na ampliação do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). O ministro Mendonça Filho fez a vistoria do novo prédio da Divisão de Ciências Fundamentais, em São José dos Campos (SP), nesta sexta-feira, 7. A previsão é de que a obra, que está com 95% de execução, seja concluída em setembro. Até agora, o MEC destinou R$ 53,4 milhões para a construção das instalações, sendo R$ 14,4 milhões liberados no ano passado. O último repasse – de R$ 3 milhões – foi feito pela pasta em maio.

 

Mendonça Filho destacou o compromisso da pasta com o instituto. “Temos que dar toda a atenção para que o plano de expansão do ITA se consolide e ocorra dentro daquilo que foi planejado. O MEC tem uma responsabilidade bastante ampla com relação à educação no Brasil”, afirmou.

 

A nova estrutura tem salas de aula e de professores, laboratórios e salas de espaços múltiplos, em uma área de 16 mil m². Foi projetado com soluções sustentáveis e pensado de modo a manter o padrão das primeiras construções, elaboradas pelo arquiteto Oscar Niemeyer, na década de 1940.

 

O novo prédio vai atender a todos os alunos do ITA. As instalações são destinadas aos 480 estudantes dos dois primeiros anos do curso de graduação em engenharia, além de, aproximadamente, 200 alunos de pós-graduação. A construção, que teve início em 2015, faz parte do plano de expansão do ITA, que ainda prevê outras obras, como alojamentos de estudantes, biblioteca, auditório, vila residencial dos professores e funcionários e ampliação do refeitório.

 

Instituto

O ITA é uma instituição universitária pública ligada ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) do Comando da Aeronáutica (Comaer). Especializado nas áreas de ciência e tecnologia do setor aeroespacial, o instituto oferece cursos de graduação em engenharia, pós-graduação stricto sensu em nível de mestrado, mestrado profissional e doutorado, e pós-graduação lato sensu (especialização e extensão).

 

Criado em 1950, por inspiração do Marechal Casimiro Montenegro Filho e a partir de cooperação internacional, o ITA é considerado um centro de referência no ensino de engenharia no Brasil. São cerca de 700 alunos de graduação em um dos seis cursos de engenharia oferecidos pela instituição: aeronáutica, mecânica-aeronáutica, civil-aeronáutica, de computação e aeroespacial.

 

Os cursos são divididos em duas etapas. A primeira, igual para todas as modalidades, é a de ciências fundamentais. A segunda fase é a profissional, na qual os estudantes seguem para aulas específicas, conforme área escolhida. No último ano do curso, mais de 90% da turma está no mercado de trabalho. Os alunos de graduação recebem ensino e alimentação gratuitos ao longo dos cinco anos de curso, além de moradia a baixo custo dentro do próprio campus.

 

Já na pós-graduação, são cerca de 1,6 mil estudantes em um dos cinco programas de mestrado e doutorado: engenharia aeronáutica e mecânica, ciências e tecnologias espaciais, engenharia eletrônica e de computação, física e engenharia de infraestrutura aeronáutica. Os programas se subdividem ainda em 22 áreas de concentração. O custo médio mensal por aluno é de aproximadamente R$ 1 mil.

 

O mestrado profissional é realizado em parceria com empresas. O ITA também realiza cursos de pós-graduação lato sensu dependendo das demandas das Forças Armadas e do mercado. No total, o instituto possui 139 docentes, dos quais 90% têm doutorado.