Homenagem emocionada na UnB

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
Carlos Vieira
As flores brancas contrastavam com a indignação, a tristeza, os pedidos de justiça e as roupas pretas de luto que marcaram a homenagem feita à jornalista e servidora pública Maria Vanessa Veiga, 55. A vítima de latrocínio era estudante de mestrado na Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília (FAC/UnB) — defenderia sua tese em novembro deste ano. A cerimônia, que começou por volta das 19h30 de ontem, reuniu docentes e pesquisadores do mestrado e do doutorado da instituição de ensino no auditório da FAC.
 
Muito emocionados, os colegas da vítima leram uma carta em memória de Vanessa. Eles intercalaram as falas, relembrando o gosto dela pela cultura, e destacaram a falta que a estudante fará no ambiente acadêmico. Para falar em nome do grupo, João José Curvello, coordenador do programa de pós-graduação da Faculdade de Comunicação, afirmou que a notícia abalou a todos. “É um momento que não gostaríamos que acontecesse. Pegou a todos de surpresa, estamos indignados. É uma injustiça. Maria Vanessa conduziu a vida dela da maneira mais generosa possível”, disse, emocionado, o coordenador.

Por justiça
O cartaz estendido com a inscrição “Vanessa presente” era mais uma das homenagens feitas pelos colegas da jornalista. A carta, de autoria de amigos e professores, lamentava a forma como Vanessa foi brutalmente assassinada. “A jornalista, a mestranda, a companheira e a amiga Vanessa foi brutalmente assassinada na porta de casa, mesmo não reagindo ao assalto. Mais uma mulher vítima da violência. Nós exigimos, das autoridades, justiça”, leu um dos colegas, aos prantos. No fim, um emocionado coro de “Vanessa, presente, presente, presente”, seguido de uma salva de palmas.