Alunos da UnB desocupam BSA Sul

Local deve voltar a ter aulas a partir das 18h desta segunda-feira (21)

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/08/2017 17:38 / atualizado em 21/08/2017 18:32

Os alunos que ocupavam o Blodo de Salas de Aula (BSA) Sul da Universidade de Brasília (UnB) deixaram o prédio às 16h30 desta segunda-feira (21). Após vistoria, a previsão é que o espaço seja liberado para aulas a partir das 18h.



Naum Giló
Segundo uma funcionária da limpeza que não quis se identificar, há banheiros em más condições e portas que foram arrombadas durante a ocupação. Um segurança, que também não se identificou, no entanto, diz não ter verificado problemas no local.

Segundo Maria Eduarda Kransny, estudante do 3º semestre de letras e membro do Diretório Negro Quilombo da UnB, a universidade se comprometeu em atender as pautas do movimento: abertura de inquérito de fraude nas cotas raciais, empossamento do diretor do Centro de Convivencia Negra que estava sem, comprometimento de ter mais diálogo com a comunidade acadêmica (principalmente com relação a gastos) e cotas raciais na pós-graduação.

 

A decisão da desocupação foi tomada após reunião entre representantes da reitoria da UnB e do diretório Negro Quilombo UnB, mediada pelo Ministério Público Federal (MPF/DF). A conversa foi conduzida pelas procuradoras da república Ana Carolina Roman e Eliana Pires Rocha. 

 

De acordo com o Ministério Público, os representantes da reitoria prometeram empossar Manoel Neres no prazo máximo de dez dias. Sobre os terceirizados, o chefe de gabinete da reitoria, Paulo Cesar Marques, esclareceu que a readmissão do pessoal não é possível sem que haja uma recomposição orçamentária destinada à UnB. Ficou resolvido, também, que em 15 dias a universidade assinará um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o MPF. Com o documento, a UnB se compromete a criar procedimentos para que seja possível identificar as possíveis irregularidades. Para isso, os alunos que participam do movimento de ocupação prometeram fornecer à Administração uma lista com nomes de pessoas que possivelmente fraudaram a autodeclaração. O TAC também deverá prever a implementação de cotas raciais em toda a pós-graduação no Consuni e Cepe (conselhos que definem a política educacional da UnB).  

 

Confira nota institucional da UnB sobre o assunto:

"A Administração Superior da Universidade de Brasília (UnB) recebeu somente na tarde desta sexta-feira (18), quatro dias após a ocupação do Bloco de Salas de Aula (BSA) Sul, a pauta de reivindicações dos estudantes. A UnB reitera a disposição em dialogar.

É necessário, contudo, que o acesso ao prédio seja liberado imediatamente, sem condicionantes. O BSA Sul abriga mais de 850 aulas semanais, de 485 turmas, que atendem a uma média diária de aproximadamente 6,4 mil estudantes – todos extremamente prejudicados com a interrupção abrupta das atividades.

A UnB também informa à comunidade que, após o grupo que ocupa o prédio se negar a receber a segunda notificação de desocupação, pediu ao Ministério Público Federal que fizesse a intermediação do diálogo.

Duas procuradoras do Ministério Público se reuniram hoje com a Administração e, posteriormente, com o grupo de estudantes. As procuradoras solicitaram uma reunião com as duas partes para a manhã de segunda-feira (21).

A Administração Superior da UnB participará da reunião. Nosso objetivo é que o encontro ocorra já com as atividades acadêmicas plenamente restabelecidas no BSA Sul."

 

*Estagiário sob supervisão de Ana Paula Lisboa