Mobilização

Estudantes de medicina da USP entram em greve

Ato está marcado para terça-feira (21)

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/11/2017 19:59 / atualizado em 14/11/2017 20:03

Os estudantes de medicina da Universidade de São Paulo (USP) entraram em greve nesta segunda-feira (13). O motivo, de acordo com o site da União Nacional dos Estudantes (UNE), é o desmonte e a falta de profissionais no Hospital Universitário (HU) da instituição. Manifestantes afirmam que a precarização da situação do hospital é devido à política de corte de gastos da Reitoria da universidade e do programa de desligamento voluntário (PDV) promovido pelo governo federal, que ocasionou o afastamento de mais de 200 funcionários. De acordo com a presidente do Centro Acadêmico de Madicina Oswaldo Cruz, Maria Luiza Corullom, o problema é a falta de gente trabalhando no local e que a solução seria a contratação de um quadro novo de pessoal. Para a líder estudantil, a falta de médicos não prejudica apenas os pacientes, mas os estudantes também, que aprendem com a prática auxiliada pelos profissionais.

O Sindicato de Trabalhadores da USP (Sintusp) afirma que em 2014 houve uma perda de cerca de 300 funcionários. Desse total, 43% eram médicos. Enfermeiros e auxiliares de enfermagem compunham o quadro restante. De acordo com a entidade, o acontecimento levou ao fechamento de 49 leitos de leitos. Uma aula pública ocorreu nesta segunda-feira na Faculdade de Medicina da universidade para discutir a situação do hospital e sua forma de financiamento. Um ato está marcado para terça-feira (21), no Vão Livre do Masp.
 
*Estagiário sob supervisão de Ana Sá