Superior Tribunal de Justiça mantém absolvição de ex-reitor da UnB

Timothy Mulholland é acusado irregularidades em convênios firmados entre a UnB e fundações de apoio, entre 2005 e 2008

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/12/2017 20:13 / atualizado em 05/12/2017 20:23

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve a absolvição do ex-reitor da Universidade de Brasília (UnB) Timothy Mulholland, acusado de irregularidades em quatro convênios entre a instituição e a Fundação de Apoio à Pesquisa do DF (FAP-DF).
 
Reitor entre 2005 e 2008, o professor de psicologia foi acusado de integrar esquema de corrupção com envolvimento da Editora da UnB e Fundação UnB, entre 2007 e 2008, somando R$ 19,5 milhões, com dispensa de licitação.
 
Além disso, após investigação do Ministério Público do DF e Territórios (MPDFT), foi apontado que a Fundação de Empreendimentos Científicos e Tecnológicos (Finatec) teria destinado R$ 470 mil à decoração do apartamento do então reitor, incluindo lixeiras orçadas em R$ 1 mil.

Em 2009, o Ministério da Educação (MEC) solicitou abertura de comissão na Controladoria-Geral da União (CGU) para apurar possíveis irregularidades. A CGU finalizou a análise em 2014 e recomendou a punição dos servidores envolvidos na assinatura de convênios firmados com fundações de apoio. 

Em fevereiro de 2016, Mulholland foi demitido da universidade e, 10 meses mais tarde, foi reintegrado à UnB em função de decisão provisória do STJ.