publicidade

Pós-Graduação

Autores das melhores teses científicas recebem premiação em Brasília

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/07/2012 02:00 / atualizado em 03/08/2012 20:56

Adriano Barcelos


Os vencedores do Grande Prêmio Capes de Teses de 2011 receberam a premiação na noite desta quarta-feira, 11, do ministro da Educação, Aloizio Mercadante. A solenidade ocorreu no edifício-sede da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), em Brasília. Eduardo Rochete Ropelle, na área de ciências da saúde; Lincoln Thadeu Gouvêa de Frias, ciências humanas, e Sarita Cândida Rabelo, ciências exatas e da terra, foram os autores de tese premiados.

O ministro definiu a iniciativa como importante estímulo estruturante para a construção de uma sociedade do conhecimento. “Temos de ser um país preparado para a sociedade do conhecimento, e nesta sala está a grande contribuição para que isso aconteça”, disse. Mercadante ainda destacou o papel do empresariado no desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação no país. “Que o exemplo de vocês sirva de estímulo também aos empresários do Brasil”, afirmou. “Espero que cada uma dessas áreas de pesquisa possa ter, no futuro, um patrono empresarial.”

O concurso premiou as melhores teses defendidas em 2010 em diversas áreas do conhecimento, em cursos reconhecidos pelo Ministério da Educação. Foram inscritas 401 teses. De acordo com a originalidade e a qualidade, 45 foram selecionadas para a premiação. Dentre eles saíram as três vencedoras. Outras 73 receberam menção honrosa. O Grande Prêmio Capes de Teses foi instituído em 2005.

Bolsa — Os três vencedores terão direito a bolsa para realização de estágio pós-doutoral, em instituição nacional, de até cinco anos, com possibilidade de conversão por um ano em estágio pós-doutoral fora do país, em instituição de notória excelência na área de conhecimento do autor premiado. Também receberão U$ 15 mil da Fundação Conrado Wessel.

Os outros autores selecionados receberão bolsas de estágio pós-doutoral, em instituição nacional, de até três anos — também podem ser convertidas em um ano de estágio pós-doutoral fora do país.

Premiados — Na área de ciências da saúde, o Grande Prêmio Capes de Tese Emílio Marcondes Ribas foi outorgado a Eduardo Rochete Ropelle, da Universidade de Campinas (Unicamp), pelo trabalho Caracterização da Transmissão do Sinal da Insulina e da Leptina em Hipotálamo de Roedores Durante a Anorexia Induzida pelo Câncer. A pesquisa identificou a proteína que controla a sensibilidade à insulina e à leptina e interfere na anorexia induzida por câncer. Cerca de 80% dos pacientes com câncer sofrem de anorexia, que pode diminuir a expectativa de vida.

Na área de ciências humanas, Lincoln Thadeu Gouvêa de Frias foi o vencedor do Grande Prêmio Capes de Tese Paulo Reglus Neves Freire. Ele abordou a situação moral do feto e a seleção de embriões na tese A Ética do Uso e da Seleção de Embriões. O trabalho examina argumentos favoráveis e contrários ao uso, descarte e seleção genética de embriões humanos para derivação de células-tronco e para diagnóstico genético durante fertilização in vitro. O premiado é pesquisador do Núcleo de Estudos do Pensamento Contemporâneo da UFMG, com foco em neuroética, e professor da Universidade de Alfenas (Unifenas).

Na área de ciências exatas e da terra, a premiada Sarita Cândida Rabelo, do departamento de engenharia química da Unicamp, recebeu o Grande Prêmio Capes de Tese Otto Richard Gottlieb pelo trabalho Avaliação e Otimização de Pré-Tratamentos e Hidrólise Enzimática do Bagaço de Cana-de-Açúcar para a Produção de Etanol de Segunda Geração. A tese examina a produção de etanol a partir do bagaço da cana e de outros resíduos. (Assessoria de Comunicação Social)

Unicamp ganha Prêmio Capes
Tags:

publicidade

publicidade