Pós-graduação

Artigo de bolsista brasileira é destaque em revista científica

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 25/01/2017 20:00

A pesquisadora brasileira Helen Barros publicou artigo na revista Journal of Zoological Systematics and Evolutionary Research, sobre o estudo sistemático das ciências animais ligado à pesquisa evolutiva. O estudo inclui a análise morfométrica de aproximadamente 190 crânios das três espécies de peixe-boi e a descrição do cariótipo.

 

Orientada pelo professor doutor Diego Astúa, Helen, ex-bolsista de doutorado-sanduíche da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), órgão vinculado ao Ministério da Educação, desenvolveu o doutorado nos departamentos de Zoologia e de Genética da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em colaboração com a Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá.

 

A pesquisadora destaca que o trabalho permitiu à população brasileira de peixe-boi-das-antilhas ser analisada mais adequadamente por meio de abordagens de morfometria geométrica e citogenética, o que ajudou a verificar a diferenciação. “As conclusões alcançadas também mostram que os peixes-bois brasileiros precisam ter as estratégias vigentes de conservação e manejo reavaliadas urgentemente”, afirma. “Outro ponto importante que a pesquisa apoiou foi a decisão de não translocação de peixes-bois do Brasil para a ilha de Guadalupe, no Caribe, reforçando que a população do Brasil é diferente da encontrada no Caribe, o que ocasionaria várias consequências negativas para essa espécie ameaçada.”

 

De acordo com o orientador da pesquisa, além de permitir uma melhor compreensão da variação morfológica existente nas espécies atuais de peixe-boi e suas implicações evolutivas, os dados mostram que a população brasileira de peixe-boi-marinho é morfologicamente distinta da população do Caribe. “A magnitude dessa diferença é maior que entre as subespécies de peixe-boi-marinho reconhecidas e até maior que entre algumas espécies reconhecidas”, diz o professor.

 

Bolsa

Sobre a experiência no exterior, Helen salienta a importância da bolsa de doutorado-sanduíche. “Durante o período de pesquisa fora do país pude visitar vários museus para registrar os crânios dos táxons de peixes-bois, etapa essencial no estudo”, afirma. “Além disso, pude aprimorar a língua inglesa, conhecer pesquisadores da área, além de vivenciar a rotina acadêmica na Universidade da Flórida como visiting graduate student.”

 

De acordo com a bolsista, a próxima etapa da pesquisa pode ser a de registrar mais amostras em outras localidades, para deixar o trabalho mais ajustado, de forma a permitir a continuidade para um enfoque de estudo taxonômico.

 

Portal MEC