SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Volta às aulas - suplemento especial

Incentivo à leitura: como despertar esse interesse em meio a tecnologia

Leia o artigo do educador e presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares do Distrito Federal (Sinepe/DF) Álvaro Moreira Domingues Júnior

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 12/01/2015 08:00

Arquivo pessoal


Antes de imaginar estratégias que favoreçam o interesse pela leitura, é importante ressaltar duas premissas fundamentais para os dias de hoje. A primeira é que a leitura de bons textos contribui para formação de cidadãos críticos diante da realidade que os envolve, capazes de atuar na transformação desta para outra melhor. A segunda coloca a tecnologia como responsável pelo fenômeno da interatividade mundial, que facilitou a comunicação, favoreceu o acesso à informação e aproximou as pessoas no tempo e no espaço.


A tecnologia, utilizada de forma adequada, pode ser uma poderosa aliada do interesse pela leitura. Atualmente, comunica-se e informa-se mais que em qualquer época da História. Sim. É verdade que há efeitos colaterais, como o de textos curtos e a “mutação” forçada da linguagem culta quando palavras são abreviadas, ou até mesmo substituídas por símbolos, o que traz como consequência a imprecisão ou a pouca profundidade no conteúdo.


Entretanto, se o uso da tecnologia, cada vez mais acessível e essencial às pessoas, não se restringir ao imediatismo e à futilidade, esse pode se tornar uma ferramenta eficaz nos propósitos para a leitura em qualquer faixa etária. Seja para o lazer, seja para fins acadêmicos e científicos.


Por outro lado, torna-se importante saber diferenciar os papéis complementares desempenhados pelas instituições educacionais, em todos os níveis, no processo de escolarização, e o familiar, que responde pela educação. A primeira faz um trabalho estruturado em currículos — que se espera compostos de conteúdos significativos e atraentes; a segunda deve criar um ambiente de valorização do hábito da leitura, estimulando o interesse dos filhos, seja por meio de textos impressos, seja digitalizados.


Finalizaria com um sonho! Quem sabe renomados escritores, pensadores, cientistas, artistas — nacionais e internacionais — possam repassar suas ideias de forma mais rápida se a tecnologia for entendida e assumida como uma ferramenta humanizadora e pulverizadora de bons e inteligentes hábitos.

publicidade