Enem 2017
Apresentado por:

Como é o exame de ciências da natureza?

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/09/2017 10:23 / atualizado em 06/10/2017 21:53

Por Marcos Kanso, Juliana Gaspar e Alessandro Reis 
Professores do Centro Educacional Sigma

 

Como é o exame de ciências da natureza?


A prova de ciências da natureza  tem questões de física, de química e de biologia. Apesar de apresentarem estrutura comum, há especificidades em cada uma delas.


As questões de física abordam situações mais próximas do dia a dia do aluno. Necessitam, portanto, de análise de gráficos, tabelas ou conversão de uma modalidade de energia em outra. Além disso, conteúdos relativos à eletrodinâmica, ondas (incluindo óptica) e mecânica sempre são explorados de  forma mais intuitiva e presente na vida do candidato.


Um aspecto merece destaque:  maioria das questões de física não demanda conhecimento aprofundado de equações específicas de um conteúdo, mas requer leitura atenta dos textos de suporte e de análises detalhadas de gráficos e esquemas.


Para resolver a prova, o candidato deve se preocupar em começar a responder os itens que têm textos pequenos e poucas análises comparativas; em resumo, deve se preocupar em responder às questões mais “diretas”.


Da mesma forma que em outras disciplinas, as questões têm diferentes graus de dificuldade e, para que o candidato fique apto a distingui-las, é necessário que participe constantemente de simulados e resolva provas anteriores do Enem.


Acerca das questões de química, pode-se dizer que, além de muito bem elaboradas, a cada ano, trazem  o conteúdo mais valorizado, diferindo, nesse aspecto, das questões de física e biologia. O aluno deve aplicar  conhecimentos teóricos em situações do cotidiano com a finalidade de resolver problemas, utilizando-se de habilidades e competências para  interpretação, contextualização e realização de cálculos.


A maior parte do conteúdo cobrado é estudado na 2ª e na 3ª séries do ensino médio; porém, o aluno não pode deixar de revisar as matérias referentes a cálculos químicos e a estequiometria, normalmente estudados na 1ª série.  Além disso, as questões que envolvem a química e o meio ambiente, como chuva ácida, efeito estufa, reciclagem, gerenciamento de lixo e produção de energia, são frequentes nessa avaliação e merecem  atenção especial. Os conteúdos mais cobrados nas últimas edições do Enem foram: estequiometria, termoquímica, cinética química, equilíbrio químico, eletroquímica, funções orgânicas e química verde.


Em relação à biologia, a parte mais explorada na prova do Enem reside em competências e habilidades tradicionalmente trabalhadas, em Brasília, na 1ª série do ensino médio: o conteúdo curricular de maior frequência ao longo dos anos na história do exame do MEC e em cada prova em separado é ecologia, ancorado na matriz curricular da primeira etapa do Programa de Avaliação Seriada (PAS ). Percentualmente, espera-se que, aproximadamente, 50% dos itens da prova avaliem competências diretamente associadas à ecologia e com interdisciplinaridade com geografia (grande frequência em virtude da variedade de desequilíbrios ambientais) e química (eventualmente).


Apesar de a prova estar em uma crescente de qualidade, não são esperadas questões de grande complexidade, mas, sim, uma distribuição equitativa de itens fáceis, medianos e relativamente difíceis.  Ainda com relação à expectativa dos conteúdos programáticos abordados na avaliação, há uma presença esperada: programa de saúde. Este tópico compõe de um somatório de conteúdos com inter-relações entre micro-organismos diversos, seres vermiformes e animais invertebrados em que se associam conceitos de etiologia, vetor e profilaxia de diferentes patologias, ainda conectados aos aspectos da ecologia com destaque para as simbioses. Nas questões de biologia, há crescente interligação de conteúdos desse componente curricular e isso torna-se muito perceptível na integração entre citologia, metabolismo, genética e bioquímica, sendo então esperados itens da frente denominada citogenética.


O candidato com proficiência em biologia deve ser um bom generalista, com visão macro dos aspectos metabólicos e ambientais, No entanto, esse componente curricular apresenta vocabulário próprio que, certamente, será exigido para plena compreensão dos itens propostos na avaliação. Vale ressaltar que, além do descrito, deve-se ter atenção à fisiologia humana e a conceitos fundamentais do processo de evolução, ambos associados à genética.