Enem 2017
Apresentado por:

Reforço para quem precisa

Estudantes podem recorrer a cursinhos comunitários para ter melhores chances no Enem. GDF oferece aulões e há iniciativas de voluntários

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 02/10/2017 07:00 / atualizado em 02/10/2017 19:37

 

A preparação para entrar na universidade é uma tarefa que exige esforços e, muitas vezes, apoio especializado. Quem não pode pagar por um cursinho para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) tem a opção de estudar sozinho ou pode tentar aulas comunitárias. Existem iniciativas do Governo do Distrito Federal, como o #BoraVencer e cursos oferecidos por voluntários. São pessoas que conciliam emprego remunerado e ensinam a estudantes o caminho das pedras da aprovação, por satisfação pessoal e vontade de ajudar o próximo.



O único custo para ser aluno do Galt Vestibulares, formado por universitários e profissionais de várias áreas, é a taxa de R$ 10 no ato da matrícula. O valor paga a impressão de provas e material pedagógico.  As aulas são ministradas em salas cedidas pelo Centro Universitário do Distrito Federal (UDF), na 903 Sul, e na Escola de Aperfeiçoamento de Profissionais da Educação (Eape), na 907 Sul.  Ser escolhido pelo curso não é tarefa fácil, visto que os processos seletivos costumam passar da marca dos mil inscritos e são feitos a cada seis meses. Os critérios são, principalmente, relacionados à renda. Só pode participar quem estudou em escola pública ou foi bolsista em  colégio particular. São 170 alunos a cada semestre, em duas turmas, nos turnos vespertino e noturno.  As aulas são dadas por professores jovens, o que acaba facilitando o trabalho.

“Gosto mais de trabalhar aqui do que onde sou remunerado. Dou aula para gente que realmente precisa desse conhecimento. É uma sensação ótima perceber que está mudando a vida de uma pessoa”, diz o professor Caio Sayão, 23 anos, presidente institucional e professor de química do Galt. Cada estudante escolhe, dentro do curso, um docente para ser seu padrinho. Por isso, além das aulas, a orientação em relação às prioridades e às dúvidas e os puxões de orelha são de responsabilidade do tutor. O método tem dado resultado: no último Enem, 86 dos 170 estudantes foram aprovados.

Boca a boca
Foi por causa de relatos de amigos que a estudante Vitória Bárbara Leite, 20, resolveu tentar uma vaga no Galt. Quem ela conhecia passou no vestibula. Por isso, ingressar no cursinho comunitário e, a partir daí, entrar na universidade virou meta. “No ano passado, fiquei na lista de espera do cursinho para ciências biológicas. Infelizmente, não fui chamada. Meu desempenho em exatas não foi bom no Enem e, quando percebi que precisava melhorar essa parte, tentei entrar. Fui chamada para o Galt e estou gostando muito”. Depois de se preparar em um cursinho com bolsa de estudos, Laura Souza, 19, foi selecionada para frequentar as aulas comunitárias. Candidata a vaga em medicina, a aluna tenta aprimorar a parte psicológica. “Foi muito pior porque fiquei nervosa na última prova do Enem, mas acho que este ano estou com a cabeça muito melhor. Fiz acompanhamento com os psicólogos do Galt e estou mais confiante”, conta.

 

O Vestibular Cidadão, criado por alunos da UnB, oferece aulas para estudantes de baixa renda e também funciona em salas da Eape.  A cada semestre, são abertas inscrições para candidatos interessados. São até 120 vagas, nos turnos vespertino e noturno. Segundo o diretor de Comunicação, Marcos Ferreira Couto, os resultados se mostram mais animadores a cada ano. “Conseguimos aprovar 34 alunos no vestibular da UnB.  Além disso, com bons desempenhos no Enem, nossos alunos muitas vezes conseguem ingressar em universidades particulares a partir do ProUni”, afirma. Para se inscrever no Vestibular Cidadão, é necessário ter sido matriculado na rede pública durante todo o ensino médio ou ter sido bolsista em escola particular.

#BoraVencer
Desde o ano passado, a Secretaria da Criança organiza o #BoraVencer, programa que ajuda jovens a se prepararem para vestibulares e concursos públicos. O intensivão foi implementado no segundo semestre de 2016 e atende a 2,3 mil estudantes.  Até agora 21 mil jovens, a maior parte entre 17 e 21 anos, participaram das aulas. Desde o ano passado, ocorreram 13 aulões no Centro de Convenções Ulysses Guimarães.  Até hoje, 759 jovens conseguiram aprovação em universidades do Distrito Federal, mas existe um número não contabilizado de selecionados por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), em outros locais do país.

Lanna Silveira/Esp.CB/D.A Press

 

O estudante André Luiz Pinto Nogueira, 21, se preparava para concursos públicos desde o ano passado, mas voltou o foco para o ensino superior.  Aluno do intensivão do #BoraVencer, ele priorizará a formação superior. O aluno até chegou a ser aprovado no processo seletivo da Companhia Energética de Brasília (CEB), mas, se conseguir uma vaga na Universidade de Brasília (UnB), tomar posse não estará nos planos. “Um cargo público seria uma solução imediata. Eu quero ir mais longe, me formar em química e me tornar perito da Polícia Civil. Quero seguir meu sonho”,  projeta.

A meta de Marcos Vinícius de Oliveira, 20, é cursar ciências biológicas. Em 2016, ele teve a possibilidade de iniciar os estudos no curso de química da UnB, mas decidiu tentar novamente este ano para fazer o curso que quer. Sem o #BoraVencer, dificilmente seria possível manter preparação em dia. “É uma ótima oportunidade para quem não pode pagar R$ 4 mil em um cursinho preparatório.

Curso de redação

Estudantes com dificuldade em língua portuguesa podem participar de um curso de redação com mensalidade de R$ 20, em Taguatinga.  A iniciativa é da professora Nera Martins de Faria, 54. Em quase 30 anos de profissão, 22 foram em contato com alunos do 3º ano.  Assim, ela acredita que pode ajudar jovens a obterem bom desempenho no Enem.

“A dificuldade de muitos é escrever textos. Sempre foi difícil para muita gente, mas, principalmente, pela falta de interesse em leitura e pelas abreviações da escrita das redes sociais. O hábito de leitura foi se perdendo. Como a redação é eliminatória em muitos certames, é necessário se aprimorar”, diz a professora. Se houver voluntários, aulas de outras matérias poderão ser ministradas no espaço.

Anote

#BoraVencer: inscrições encerradas para os intensivões. Haverá aulões abertos a todos os interessados em 30 de setembro, 8 de outubro e 29 de outubro, sempre às 13h, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Interessados devem se inscrever no site www.crianca.df.gov.br. Não existem requisitos de renda ou exigência de matrícula em escolas públicas. Inscrições são abertas para todos os interessados, mas a lotação é de 2,2 mil pessoas. Estudantes terão transporte gratuito a partir da Rodoviária do Plano Piloto. Para tirar dúvidas, é possível ligar no telefone 3213-0735.

Galt Vestibulares: processos seletivos apenas no começo dos semestres. Mais informações no site galtvestibulares.com.br.

Vestibular Cidadão: processos seletivos apenas no começo dos semestres. Mais informações no site www.vestibularcidadao.com

Curso de português da professora Nera: para obter mais informações e fazer inscrições, é preciso ligar para o telefone
9 9607-9353.  As aulas são oferecidas sempre aos domingos, das 9h às 11h, na Sara Nossa Terra da QNL, que fica no Setor de Indústrias Gráficas de Taguatinga, Conjunto B Lote 9.  As mensalidades custam R$ 20 e serão destinadas a obras sociais da igreja.

Tags: 2017* *enem