SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Guia de estudos para o Enem de 2014

Exame será realizado em 8 e 9 novembro, mas para garantir bons resultados é preciso organizar os estudos desde já

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/06/2014 16:31 / atualizado em 26/06/2014 16:36

Para este ano, o número de inscrições no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ultrapassou a marca dos 8,5 milhões. Por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o exame deverá ser usado por 115 universidades no Brasil para garantir acesso a cursos de graduação, inclusive pela Universidade de Brasília (UnB) — que passou a adotar a avaliação como uma das formas de ingresso para o primeiro semestre letivo desde 2013 —, e por outros institutos federais. Além disso, em 2014, duas instituições portuguesas aceitam, pela primeira vez, o teste como porta de entrada para as universidades da Beira Interior, em Covilhã, e Universidade de Coimbra, em Coimbra. O certame é utilizado também em outros programas do Governo Federal, como o Sistema de Seleção Unificada para Cursos Técnicos (Sisutec). Em 8 e 9 de novembro, as provas têm início às 13h pelo horário de Brasília.

No primeiro dia são feitas as provas de ciências humanas e suas tecnologias — história, geografia, filosofia e sociologia —, e ciências da natureza e suas tecnologias — química, física e biologia —, as duas com 45 questões de múltipla escolha cada. No sábado, as provas têm duração de quatro horas e 30 minutos. Já no segundo dia, são realizadas as questões de linguagens, códigos e suas tecnologias e redação — língua portuguesa, literatura, língua estrangeira (inglês ou espanhol), artes, educação física e tecnologias da informação e comunicação —, além de matemática e suas tecnologias — matemática. Para o último dia de prova, os candidatos têm cinco horas e 30 minutos para responder às 90 perguntas de múltipla escolha e fazer a redação. Acesse o edital do Enem pelo site.

Preparação para o exame
Arquivo pessoal
Ana Cláudia Simon, 17 anos, aluna do 3º ano do ensino médio no Ciman, está mais confiante para a prova deste ano. “Eu fiz o Enem do ano passado para testar, por isso, neste ano, estou mais tranquila. Eu já treinei e, inclusive, fui aprovada no Sisu de 2013. Além disso, eu estou participando dos aulões oferecidos na minha escola, o que me ajuda bastante”, completa. A aluna diz que costuma estudar dez horas por dia, contando com o tempo que passa no colégio. Para ela — que ainda está insegura com a profissão, mas que pretende cursar estatística —, as universidades mais interessantes são a Universidade de Brasília (UnB) e as do Rio Grande do Sul. “ Eu gosto muito da área de exatas, por isso, eu quero tentar estatística. Eu cheguei até a pesquisar e conversar com alguns professores sobre a carreira”, acrescenta.

Para Paulo Perez, coordenador do curso pré-vestibular Galois e professor de espanhol, o Enem é uma prova de maratona, o que exige muito fisicamente e psicologicamente do candidato. “É importante que o estudante comece lendo o comando das questões, depois leia as alternativas para só então fazer uma leitura de qualidade do texto. Portanto, a ordem é entender o que pede a questão, em seguida as opções e por último, o texto”, destaca. O docente afirma que a prova traz estratégias de conduta cidadã, por isso, é de extrema importância a leitura constante de jornais e revistas. “O aluno tem que ler periódicos porque pode ser que o Enem aborde temas muito divulgados na mídia, atualmente, como a falta de água em São Paulo, o legado da Copa do Mundo para o país e os programas sociais do governo — Bolsa Família etc.” Além disso, como a prova cobra competências, é preciso que o estudante saiba aplicar questões da matemática no dia a dia e consiga interpretar contas de luz e gráficos.

“O Enem é um belo instrumento de avaliação, por isso, hoje várias instituições confiam na prova. Além disso, o exame é cada vez mais um instrumento que seleciona os alunos não só para a universidade, como também para escritórios de advocacia, por exemplo.” O professor lembra também que existem muitas instituições que já exigem a nota do Enem para dar desconto ou bolsa integral ao aluno. O uso da nota do Enem como pré-requisito para o programa Ciências sem Fronteiras é outra prova da importância do exame.

Cris Andrade/Divulgação
E quando chega a redação…
Acompanhar os noticiários e ler os textos da prova com atenção pode ser muito útil na hora da escrita do texto, é o que diz Carlos Roberto Gomes, professor de redação do curso pré-vestibular Único. “O aluno precisa primeiro ler a proposta do texto. Dentro da prova, há textos motivadores que podem ajudar a pensar melhor o tema, fazer uma referência mais interessante. Geralmente, é bom reservar uma hora para a redação.”

Além disso, Carlos Roberto afirma que o rascunho é de extrema importância. “Com o rascunho — que deve durar de 15 a 30 minutos —, o estudante evita a repetição de ideias porque coloca no papel o fluxo de pensamentos. É preciso que o aluno mostre um vocabulário amplo, buscando dizer a mesma coisa, porém de outra forma. Use diferentes conjunções e organize bem o pensamento.”

É fundamental que o aluno sistematize as ideias seguindo uma lógica. “O candidato deve procurar fazer uma boa introdução — quatro a cinco linhas no máximo —, desenvolvimento — dois a três parágrafos com citações e exemplos da vida real — e, por último, a finalização — que apresenta uma ideia de intervenção. A conclusão deve mostrar uma forma de resolução do problema proposto no enunciado e ter uma média de seis a sete linhas. Por exemplo, se o tema for trabalho infantil, é preciso que o aluno se posicione contra ou a favor e, ao fim, dê sugestões para o problema".

Além do conteúdo
Para conciliar os estudos com momentos de diversão, a equipe do Eu, Estudante também separou músicas, filmes e passeios que os estudantes não podem perder. A editora LeYa

Músicas
Editora Paulus/ Divulgação
Na tentativa de relembrar os tempos do Brasil colônia, os candidatos não podem deixar de ouvir o CD interpretado sentia Grupo Vocal e Orquestra. A obra Música do Brasil Colonial (São Paulo, 1999) contém 18 faixas que destacam a produção musical na época em que o país era colônia de Portugal. Já para falar sobre o sistema capitalista, Canções curiosas, palavra cantada (1998), retrata músicas que são símbolo da luta contra o trabalho infantil como, por exemplo, Criança não trabalha, de Paulo Tatit e Arnaldo Antunes. Além disso, para aprimorar os conteúdos de literatura, os alunos não devem se esquecer de escutar o álbum Livro de Caetano Veloso (1997). A obra enfatiza um projeto musical voltado aos livros e também a experiência da leitura, com destaque para a faixa Livros.

Filmes
Para complementar os conteúdos aprendidos em sala de aula, os candidatos também não podem perder a chance de assistir ao filme Ilha das flores (1989), que conta a história do ciclo do consumo da sociedade brasileira e que retrata a realidade de brasileiros que vivem precariamente no país. Outras três sugestões são os filmes Bioquímica: lixo e degradação do solo (2000), que retrata como a água contaminada de uma cidade acaba gerando uma série de doenças nos habitantes; Evolução dos seres vivos (2009), que conta a história de Charles Darwin.

Assista ao filme Ilha das Flores:


Museus e exposições
Em Brasília, os estudantes podem aproveitar para visitar, até 11 de agosto, a exposição A Experiência da Arte - Série Arte para Crianças que apresenta um conjunto de sete exposições independentes, mas que representam um grande painel da arte contemporânea brasileira. A mostra conta com instalações, esculturas, fotografias, obras sonoras e poemas visuais, que demonstram a pluralidade da linguagem da arte contemporânea. A exposição possui obras de artistas como Vik Muniz, Ernesto Neto, Paula Trope, Eduardo Coimbra, Waltercio Caldas, Cildo Meireles e Wlademir Dias-Pino. A entrada é gratuita no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), localizado no SCES, Trecho 2, Lote 22. A exposição funciona de quarta a segunda-feira, das 9 às 21h.

 

Supera/Divulgação
Além disso, fica em cartaz até 10 de setembro, a exposição Getúlio Vargas: o Político e o Mito. A mostra exibe fotos da infância do ex-presidente e da trajetória política até o suicídio em 1954, além de quadros, reprodução de documentos históricos e letras de músicas alusivas ao governo. A exposição está localizada no hall da taquigrafia, que fica no Anexo II da Câmara dos Deputados, na Praça dos Três Poderes, em Brasília. A entrada é gratuita.

Para mostrar que é possível unir conhecimento ao prazer da aprendizagem, o Museu da Imagem e do Som de São Paulo oferece mostras com grandes acervos de vídeos, fotografias e registros sonoros, o que possibilita o contato com várias linguagens e manifestações artísticas. O museu está localizado na avenida Europa, 158, em São Paulo, e funciona de terça a sábado, das 12h às 21h e aos domingos e feriados, das 12h às 20h. Às terças-feiras, a entrada é gratuita, porém nos demais dias, os valores dos ingressos variam de exposição para exposição. Informações: (11) 2117 4777 ou site.

Outro local que vale a visita é o Museu de Ciências e Tecnologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) que desperta a curiosidade e o gosto pelas ciências através de atividades que apresentam conceitos de zoologia, botânica, paleontologia e arqueologia, além de conceitos físicos como termodinâmica e eletrostática. O museu está localizado na avenida Ipiranga, 6.681, Prédio 40, em Porto Alegre e fica aberto às terças, quartas e quintas, das 9h às 17h; nas sextas-feiras, das 9h às 21h; e nos sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h. O preço dos ingressos varia entre R$ 13,50 e R$ 17. Informações: (51) 3320 3521.

Plataformas on-line

ClickEnem

A Click Ideia é um site que fornece apoio escolar a estudantes dos ensinos infantil, médio e fundamental. Mas que com a proximidade do Enem preparou uma ferramenta — ClickEnem —, que reúne as questões do exame desde 2009 até o último ano, além de diversos recursos como a criação de linhas do tempo que tornam o estudo mais interativo, videoaulas e jogos. Através da plataforma, o estudante consegue ter acesso a vários exercícios e, a partir disso, criar o próprio simulado com um banco de dados que possui quase mil questões. Assim como no exame, as perguntas estão divididas em linguagens e códigos, ciências humanas, ciências da natureza e matemática. O ClickEnem está disponível de forma gratuita e pode ser acessado através de computadores, tablets e smartphones. Acesse o site.

ExamTime
Câmara dos Deputados/Divulgação

A ExamTime é uma plataforma educacional on-line que possibilita, de forma gratuita, a troca de conhecimentos entre professores e estudantes. Dentro da plataforma, usuários de todo o mundo compartilham resumos, dicas e estratégias. Para os estudantes do Enem, é oferecido acesso a simulados on-line e a ferramentas que criam mapas mentais para organizar e memorizar os conteúdos, além de oferecer a possibilidade de montar um plano de estudos ou de receber dicas para a escrita de uma redação excelente para o exame. A plataforma foi lançada em 2012 pela empresa irlandesa de softwares educacionais Sami e hoje possui usuários de mais de 140 países. Acesse o site.

Geekie Lab

A Geekie Lab — única plataforma de conhecimento e aprendizagem personalizada brasileira credenciada pelo Ministério da Educação (MEC) — permite que professores e gestores acompanhem em tempo real o desempenho e o crescimento dos estudantes. Primeiramente, o aluno faz uma avaliação diagnóstica. Depois, a plataforma disponibiliza um relatório que apresenta os erros e as principais fraquezas do candidato. A seguir, a plataforma cria um plano de estudos. A partir dessa ajuda, o estudante começa a realizar os exercícios propostos e a assistir às videoaulas. Durante todo o processo, o docente pode interferir marcando atividades e exercícios a mais no plano de estudos, além de sugerir conteúdos. Acesse o site.

Mundo Edu

Em atividade há três meses, o site Mundo Edu é uma plataforma que oferece um programa de estudos com planos de aprendizagem completo do ensino médio em geografia e história e alguns conteúdos de física e química. A plataforma é focada no Enem e disponibiliza videoaulas que buscam ser irreverentes e interativas, além de oferecer material de apoio para download com resumos de conteúdos do ensino médio e exercícios extras. Várias videoaulas são gratuitas, mas para ter acesso a algumas, é preciso que o estudante pague uma taxa mensal de R$ 15 ou de R$ 50 por seis meses. Além disso, o site permite que alunos tirem dúvidas e discutam sobre os exercícios propostos. Acesse o site.

Supera
ClickEnem/Divulgação

O Supera é um curso oferecido na forma presencial ou on-line que promove a estimulação cognitiva, ou seja, ajuda os estudantes a melhorarem a forma como estudam. Na plataforma on-line, o curso disponibiliza um programa personalizado de exercícios que aprimora memória, visão espacial, linguagem e lógica. O aluno também recebe recomendações de um instrutor virtual que adapta o treino, de acordo com as necessidades do candidato. Isso é possível porque os resultados obtidos são comparados aos de outras pessoas com o mesmo perfil -- idade, sexo e escolaridade. Para a plataforma on-line — que pode ser acessada por qualquer pessoa interessada — é cobrada uma assinatura que varia entre R$ 47 e R$ 179,80. Já o curso presencial, realizado ao longo de 18 meses, oferece duas horas de aula uma vez por semana, — não existe um curso específico para o Enem. O valor médio cobrado no curso presencial é de R$ 249. Em Brasília, o Supera está presente em três locais -- Asa Sul, Sobradinho e Taguatinga. Informações: 3424 - 2316 ou 3487- 1141 ou site.

Tags:

publicidade

publicidade