SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

EDUCAÇÃO »

De olho nas provas do Enem

Mais de 8 milhões de estudantes farão o Exame Nacional do Ensino Médio nos dias 8 e 9 de novembro. O Correio ouviu especialistas, que deram dicas de como fazer os testes das quatro diferentes áreas fixadas pelo edital

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/09/2014 13:16 / atualizado em 08/09/2014 13:25

Juliana Espanhol

Paula Rafiza
Nos dias 8 e 9 de novembro, Os mais de 8milhões de inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) vão enfrentar uma verdadeira maratona. Serão quatro provas objetivas com 45 questões de múltipla escolha cada uma, além de redação em língua portuguesa. “A quantidade de matéria é pesada, mas com a divisão em dois dias fica menos cansativo. Já fiz algumas questões de provas anteriores e achei algumas fáceis e outras difíceis”, diz Paloma Pimentel Araújo, 17 anos, aluna de 3º ano do Centro Educacional (CED) 2 doGuará.

No primeiro dia, os candidatos terão quatro horas e meia para fazer as provas de ciências humanas e suas tecnologias e de ciências da natureza e suas tecnologias. Serão cobrados conhecimentos em história, geografia, filosofia, química, física e biologia. No segundo dia, haverá avaliação de linguagens, códigos e suas tecnologias e de matemática e suas tecnologias. Nesse dia, o candidato terá cinco horas e meia para responder sobre língua portuguesa, literatura, língua estrangeira (inglês ou espanhol), artes, educação física e tecnologias da informação e comunicação e matemática. A redação em língua portuguesa é parte da prova de linguagens.

De acordo com o edital do exame, cinco capacidades serão avaliadas em todas as provas: o domínio de linguagens, a compreensão de fenômenos, o enfrentamento de situações-problema, a construção de argumentação e a elaboração de propostas. Na redação, o candidato deverá fazer um texto dissertativo- argumentativo emprosa sobre um tema de ordem política, cultural ou social. Para os professores consultados pelo Correio, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão responsável pela avaliação, deve investir na interdisciplinaridade (veja quadro).

Dificuldades
“De certa forma, é ruim ter matérias misturadas nas questões porque às vezes a pessoa é boaem uma matéria e ruim na outra, e acaba sendo prejudicada. O lado bom é que isso obriga o aluno a estudar tudo”, diz Paulo Henrique Silva, 17 anos. O estudante do 3º ano do CED 2 do Guará pretende usar a nota do Enem para ingressar no curso de psicologia na Universidade de Brasília (UnB).

Para a estudante de 3º ano Isabela Petrillo, 17, provas como asdo Programa de Avaliação Seriada (PAS) da UnB ajudam o aluno a se preparar para o exame. “Acredito que quem faz o PAS já tem uma noção melhor de como é o Enem”, diz a aluna, que acredita que as duas provas se assemelham na abordagem do conteúdo. Na opinião de Felipe da Silva, 17 anos, a interdisciplinaridade dificulta a prova. “Acaba ficando bagunçado, acho que todo mundo tem um medo de acabar se confundindo um pouco com as questões”. O jovem pretende cursar direito naUnB.

Ciências humanas e suas tecnologias
“O Enem é uma prova abrangente, quase tudo o que é ensinado no ensino médio é abordado de alguma forma no exame. No entanto, cerca de 80% dos assuntos da prova se referem aos conteúdos do 1º e do 2º anos. No caso da prova de ciências humanas deste ano, há uma competência quase exclusiva sobre meio ambiente, então esse deve ser um tema da prova. O exame busca formar um cidadão, alguém que, ao ler um livro, por exemplo, consiga compreender aspectos históricos e geográficos. É importante estudar diariamente, pois a carga horária é cansativa e pode desestimular aqueles que não estão acostumados a ler”. César Berott,, professor de geografia

Linguagens, códigos e suas tecnologias
“A prova de linguagens temabordado assuntos gerais, de conhecimento não específico e interdisciplinar. Nas questões objetivas, é importante interpretar bem os enunciados. Na redação, a principal diferença do Enem em relação a outras avaliações está no desenvolvimento e na conclusão. O desenvolvimento pede mais exemplificação e fundamentação. Não basta apenas expor fatos, isso não será considerado como argumento; é preciso explorar causas e consequências. Na conclusão, o candidato deve ir alémdo resumo crítico e propor solução para o tema. No ano passado, o assunto em questão foi a lei seca e, no ano retrasado, as migrações. Carlos Roberto Gomes Gonçalves,, professor de redação

Ciências da natureza e suas tecnologias
“Na prova de ciências da natureza e, em especial na parte de biologia, há bastante ênfase na ecologia e nos problemas ambientais brasileiros. Normalmente, há interação com conteúdos de geografia e de química. Mas, na minha opinião o Enem ainda tem de caminhar muito para ser, de fato, interdisciplinar. Em vez de valorizar o aluno que detém um grande número de informações, a prova busca um raciocínio mais complexo; é preciso saber diferenciar e comparar coisas. A prova é também bastante exigente com os detalhes”. Helder Batista Souza,, professor de biologia

Matemática e suas tecnologias
“A prova de matemática é contextualizada e interdisciplinar. Os textos normalmente são ligados a assuntos do dia a dia ou a outras disciplinas. Cobramse conteúdos do ensino fundamental e do médio, mas com menos profundidade do que o que se vê no vestibular. Há bastante cobrança relacionada a porcentagens, leitura de gráficos e geometria. Para o aluno que está estudando, é recomendável treinar com questões de provas anteriores sem utilizar calculadora, já que o Enem não permite esse instrumento. Uma dica para economizar tempo é ler as perguntas antes do enunciado e então retornar ao texto, já buscando a informação necessária para responder a questão" Angel Prieto Andres,, professor de matemática
Tags:

publicidade

publicidade