SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

As apostas para a redação

Professores e alunos apontam a crise hídrica, o preconceito, a supervalorização do eu, as mulheres e a evidência do Brasil no cenário mundial como assunto com maior possibilidade de aparecerem na prova

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/10/2014 10:37

Ed Alves/CB/D.A Press
A um mês da aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), alunos não param de questionar os professores sobre os temas que podem ser cobrados na redação. Acostumada com a prova, Lílian Oliveira, professora do Curso Exatas, avisa que a proposta de dissertação será popular e democrática. “Se a gente for observar os anos anteriores, todos os temas haviam sido muito comentados, e alguns eram até um pouco óbvios”, analisa, detalhando que pode não ser algo novo. Professor do Colégio Marista de Brasília, Norton de Figueiredo aposta na repetição. “A expectativa é de que a prova cobre algum assunto dos últimos anos sob outras perspectivas”, avalia.

Sharlene Leite, professora do Pódion Cursos, lembra que, desde a reformulação do exame, em 2009, problemas sociais têm ganhado destaque na redação (veja quadros). Ela explica que, por ter abrangência nacional, a prova tende a exigir assuntos amplamente discutidos. “O exame tem um teor conscientizador. Até mesmo o modelo de correção, que exige alguma possibilidade de solução para o problema abordado, sugere isso.”

A crise hídrica é apontada pelos mestres como possível pauta para as provas, principalmente a redação. Lílian Oliveira indica outros temas relacionados, como o meio ambiente e a sustentabilidade — sobretudo no debate sobre as consequências na economia do país. Norton de Figueiredo também aposta na migração como tema central — proposta similar à de 2012. Para ele, o Brasil, hoje, é visto como centro de oportunidades, não só para a população mundial mais pobre, mas para os próprios brasileiros, que antes saíam do país em busca de possibilidades. Seguindo o assunto, Sharlene Leite acredita em temas que coloquem o Brasil em evidência, como a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

A popularidade dos temas de redação é percebida por Alexander Brandão, 18 anos, estudante do 3º ano do Centro de Ensino Médio Asa Norte (Cean). Ele prestará o Enem pela primeira vez, mas conta que tem estudado a partir das provas dos anos anteriores. “Normalmente, os temas são de interesse geral. A redação é sempre bastante popular. Eu acho a prova tranquila”, conta.

Para Victor Gomes, 20, aluno do mesmo colégio, a redação é a parte mais difícil. Este ano, ele vai fazer o Enem pela segunda vez e confessa que tem percebido os maiores desafios. “Tenho preguiça de ler e não sou muito bom na escrita, mas até que na prova do ano passado não fui tão mal”, comenta. O estudante diz que, com o auxílio da irmã, tem treinado os textos por conta própria e que não há dúvidas quanto ao tema deste ano: preconceito. “Querendo ou não, a gente vive em um mundo cheio de injustiças no dia a dia. Acho que a prova tentará dialogar para mudar isso.”

Preconceito


A opinião de Victor é endossada pelos professores Norton e Sharlene. O professor Norton ressalta o cuidado com assuntos polêmicos que envolvem opiniões pessoais dos avaliados. “O tema é perigoso porque pode eliminar candidatos que não percebem que, durante a argumentação, estão sendo preconceituosos.” A ressalva do professor Norton está fundamentada na estrutura do Enem, como a obrigatoriedade de respeitar os direitos humanos.

A professora Lílian Oliveira observa que as críticas sobre a correção do exame derivam do fato de poucos conhecerem a proposta anunciada no edital. Norton completa que a exigência da proposta de intervenção no texto — dar uma solução a um problema é responsável por um quinto da nota — é a principal causa das médias mais baixas.


Dicas

Assuntos que podem cair este ano
» Crise hídrica (desperdício de água e discrepâncias entre quem tem o recurso à disposição e quem sofre com a escassez)
» Meio ambiente e sustentabilidade (como isso afeta a economia do país)
» O Brasil em evidência: Copa do Mundo 2014 e as Olimpíadas Rio 2016
» Discriminação (sobretudo no esporte, por causa dos episódios verificados no país em 2014)
» Supervalorização do eu (com as mídias sociais, as pessoas se superexpõem o tempo todo e a reflexão sobre a necessidade de ser visto pode ser exigida na redação)
» Migração (tema similar ao de 2012)
» O papel das mulheres na sociedade brasileira e as relações paradoxais que envolvem a discussão, como a necessidade de se criar um vagão de metrô exclusivo para elas e a ascensão feminina na política

Fontes: professores Norton de Figueirdo, Sharlene Leite e Lílian Oliveira


O que diz o edital

Baseada nas cinco competências da matriz de referência para redação, a proposta da redação do Enem é elaborada de forma a possibilitar que os participantes, a partir de uma situação-problema e de subsídios oferecidos, realizem uma reflexão escrita sobre um tema de ordem política, social ou cultural, produzindo um texto dissertativo-argumentativo em prosa. Confira as competências cobradas: 1) Domínio da norma padrão da língua portuguesa; 2) Compreensão da proposta de redação e aplicação de conceitos de várias áreas do conhecimento; 3) Seleção, relação, interpretação e organização das informações, fatos, opiniões e argumentos na construção do ponto de vista; 4) Demonstração de conhecimentos de mecanismos da língua necessários para a construção da argumentação (articulação das informações, apresentação de recursos coesivos etc.); 5) Elaboração de uma proposta de intervenção para os problemas abordados, respeitando
os direitos humanos.


Temas

Confira o que foi pedido na redação últimos cinco anos
2013 — Efeitos da implantação da lei seca no Brasil
2012 — O movimento imigratório para o Brasil no século 21
2011 — Viver em rede no século 21: os limites entre o público e o privado
2010 — O trabalho na construção da dignidade humana e Ajuda humanitária
2009 — O indivíduo frente à ética nacional

Inscreva-se

Estão abertas até 16 de outubro as inscrições para o simulado da série Correio Braziliense no Enem. Os interessados podem se cadastrar gratuitamente pelo site www.simuladocb.com.br. A prova, elaborada pelo IMP Concursos e pelo Tempo de Concursos, é composta por dois cadernos — com quatro horas de duração cada um —, que estarão disponíveis na internet de 18 de outubro, às 7h, até 19 de outubro, às 23h59. Cada prova tem quatro horas de duração. O gabarito será divulgado em 20 de outubro. É a chance de testar seus conhecimentos
Tags:

publicidade

publicidade