SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Preparação inclui ginástica

Além da dedicação ao conteúdo, o candidato do Enem deve investir na boa forma física para conseguir um resultado positivo nas provas. Um condicionamento adequado ajuda a superar o estresse e a enfrentar as 10 horas de teste

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/10/2014 09:36

Antonio Cunha/CB/D.A Press
Com a proximidade do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) — que será aplicado em todo o país em 8 e 9 de novembro — a rotina de estudos e preparação dos estudantes tende a ser mais intensa. Apesar do esforço em dominar todo o conteúdo programado para as quatro provas e a redação, esse não é o único fator determinante a um bom desempenho no exame. Segundo especialistas, estabelecer uma alimentação balanceada e dedicar tempo para a realização de exercícios físicos são passos importantes para garantir o bem-estar antes e durante a realização da prova.

“O Enem pode ser considerado uma prova de fogo. O aluno precisa enfrentar dois dias de teste, com 180 questões e uma redação. Tudo isso soma 10 horas de duração. Durante o exame, são analisados três aspectos: o cognitivo, o emocional e o físico. Estar preparado nesses aspectos, além do conteúdo, é fundamental para garantir um bom desempenho", explica Raison Pinheiro, psicopedagogo e diretor de Consultoria Educacional do Sistema Ari de Sá. “Na rotina de estudos, o aluno é submetido a um nível de estresse acima da média. Alimentação balanceada e exercícios físicos são importantes para ajudar a relaxar”, indica.

Processo cognitivo


“Para qualquer aluno que está estudando para algum exame importante, é fundamental manter-se ativo — não apenas para a prova, mas também para melhorar condição de saúde. A prática de exercícios físicos estimula a circulação sanguínea, o que repercute no processo de cognição do conteúdo estudado”, explica Marisete Peralta, professora da Faculdade de Educação Física da Universidade de Brasília (FEF/UnB). Segundo ela, mesmo com a rotina de dedicação intensa a livros e apostilas, é importante que o aluno reserve um intervalo entre os períodos de estudo para se dedicar a algum esporte. “O intervalo na rotina de estudos é importante e necessário. Fazer uma atividade física pode estar associado com encontrar outras pessoas, ter um momento de distração. Essa pausa é de grande importância na apreensão do conhecimento”, ressalta.

Apesar de investir a maior parte do tempo nos estudos, o candidato Henrique Vicentini, 19 anos, não abriu mão de praticar atividade física. Com as manhãs e tardes ocupadas pelas aulas e pela resolução de exercícios em um curso preparatório para o Enem, ele destinou o período da noite para duas atividades de preparação física: musculação, às segundas e às sextas, e aulas da arte muay thai às terças e às quintas. “Desde o ensino médio, tenho a consciência de que a atividade física me ajuda a relaxar. Assim, fortaleço ainda mais minha disposição para seguir o calendário de estudos”, afirma. Ex-aluno do curso de graduação em educação física, Henrique fará as provas do Enem para tentar uma vaga no curso de medicina na Universidade de Brasília. “Quando elaboro minha programação, deixo sempre reservado um horário para essas atividades. É importante para conseguir tirar um pouco a cabeça dos estudos e retornar mais focado”, completa.

Vantagens

Segundo Marisete Peralta, o trabalho muscular é indicado para enfrentar o longo período em que o estudante ficará sentado durante a realização do exame. “O aluno pode achar que, ao realizar alguma atividade física, está perdendo tempo de estudo; mas, na verdade, ele está tendo um benefício. Durante a prova, o aluno passará muito tempo sentado e necessitará de um bom preparo físico para aguentar a mesma postura por longos períodos. Quem está fisicamente condicionado tem vantagem”, destaca.

Para a especialista, uma das atividades que podem contribuir para desenvolver esse tipo de resistência é a musculação. “Quem passará muito tempo curvado precisa trabalhar a musculatura das costas. Os exercícios de musculação são indicados para esse objetivo. É importante estar bem preparado para o exame de todas as formas. A preparação acadêmica deve estar unida a exercício físico, boa alimentação e horas de sono suficientes”, recomenda Marisete.

Alimentação


Além do cuidado com a prática de exercícios físicos, é importante manter uma rotina alimentar balanceada que seja capaz de fornecer energia para as diversas atividades que serão desenvolvidas pelo estudante durante o dia. Segundo a nutricionista Giselle Freitas, não é aconselhável que o candidato passe longos períodos do dia em jejum. “Se o aluno não estiver bem alimentado, poderá comprometer a apreensão do conhecimento, além de sentir-se cansado e reduzir o rendimento. O ideal é que a pessoa se alimente de três em três horas e procure a ajuda de um profissional para elaborar uma dieta que atenda a suas necessidades”, destaca.

A nutricionista afirma que é preciso estar atento à origem dos alimentos que serão consumidos às vésperas da prova. “Comer algo contaminado no dia da prova ou no dia anterior pode colocar a perder toda a preparação que o aluno teve durante o ano. É aconselhável que ele verifique a procedência e opte sempre por opções mais orgânicas e menos gordurosas”, ressalta.

Fique atento


1º dia de prova:
8 de novembro
Os alunos terão 4h30min para resolver questões de Ciências humanas e suas tecnologias e Ciências da natureza e suas tecnologias

2º dia de prova:
9 de novembro
Os alunos terão 5h30min para completar questões de Linguagens, códigos e suas tecnologias, Redação e Matemática e suas tecnologias.

Os portões de acesso abrem às 12h e fecham às 13h, no horário de Brasília.
Tags:

publicidade