EDUCAÇÃO »

Dupla fundamental no Enem

Dupla fundamental no Enem

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/11/2014 11:40 / atualizado em 04/11/2014 11:53

Manoela Alcântara

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é dividido em quatro provas objetivas e uma redação para avaliar o conhecimento dos estudantes que desejam ingressar na universidade. Embora o teste englobe grande parte do conteúdo aprendido na última fase do ensino básico, os conhecimentos em matemática e português serão decisivos para a aprovação. Cada um dos 180 itens, a serem resolvidos em 8 e 9 de novembro, é contextualizado e interdisciplinar. A interpretação de texto, por exemplo, pode ser determinante na prova de matemática e o raciocínio lógico, na área de português.


A capacidade do aluno deve ir além do conteúdo. Para isso, nesta reta final, estar antenado aos assuntos mais polêmicos e de repercussão — ler jornais, revistas e notícias em sites especializados — pode ajudar os concorrentes a obter sucesso nas áreas relacionadas à língua portuguesa. De acordo com o professor da matéria no Galois Rafael Riemma, um percentual muito elevado do Enem exige interpretação. “Cerca de 60% do bloco de linguagens, códigos e suas tecnologias estão relacionados com a interpretação. As questões de gramática representaram 1% nas provas de 2009 até os dias atuais”, afirmou.


Uma das dicas para conseguir acertar a maior parte do certame é ler o comando da questão. “É possível recorrer às informações dos textos. Apesar do tempo apertado, em uma leitura tranquila e atenta, o candidato pode achar a resposta que precisa”, disse Riemma. Para ele, a diferença entre as normas culta e popular é um dos conteúdos a ser cobrado. “É o contexto que determina a norma. É importante reforçar a leitura nesses últimos dias. Complementar com o estudo da semântica, de figuras de linguagem, da variação linguística é uma boa tática”, afirmou.


Os 8,7 milhões de candidatos que farão o Enem em todo o país, no próximo fim de semana, ainda terão que desafiar a matemática. Mesmo com um bloco de 45 questões destinado à matéria, ela estará presente em outras questões. Virá em forma de gráficos, tabelas e fórmulas. O coordenador da área no Leonardo da Vinci, Genildo Marinho, explica que o conteúdo cobrado será acerca das aplicações matemáticas do dia a dia. “Quem tiver bom conhecimento nas duas conseguirá transitar facilmente pelos outros blocos.” Para ele, fórmulas simples, como a regra de três, ensinada no ensino fundamental, podem ser determinantes na resolução do teste. “Mas é preciso ficar atento aos pegas. Tudo precisa de interpretação. Ver o que a questão está pedindo”, alerta (veja Arte).

Técnica
Para conseguir a aprovação nos cursos de direito e de medicina, os irmãos Felipe, 18 anos, e Matheus Soares Santos Araujo, 17, apostam no estudo em conjunto. Felipe passou para engenharia na Universidade de Brasília no último Enem, mas manteve o foco e tenta, nesta edição, ser aprovado para direito. O irmão é iniciante no exame e quer medicina. Juntos, conseguiram elaborar uma técnica que os deixa seguros para fazer as provas. “Estudamos juntos. Um ajuda o outro. Como a prova tem essa questão da interdisciplinaridade, cada um dá uma opinião sobre um tema. Temos um irmão mais velho que já está na UnB. Ele também ajuda e aprendemos muito mais assim”, revelou Felipe.


Ele já concluiu o ensino médio, mas Matheus ainda está na escola. “É muito positivo porque, se temos alguma dúvida e não conseguimos resolver, levo para a sala de aula e retorno com a resposta”, completa o mais novo do trio. Na casa dos Soares Santos, a rotina de estudos é sagrada. Eles se reúnem, leem livros, debatem os temas. E tudo começou com o apoio da mãe. “Hoje, não temos qualquer dificuldade com interpretação. Ela sempre nos incentivou a ler. Esse será mais um ponto forte no Enem”, disse Felipe, aprovado no Enem e em outros dois vestibulares.

Tags: