SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

ENEM »

Respeito e parceria em casa

A três dias do Exame Nacional do Ensino Médio, o companheirismo da família, principalmente dos pais, é essencial para dar tranquilidade e segurança ao candidato. Pressão ou ameaças pode levar ao fracasso do estudante inscrito

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/11/2014 10:25

Manoela Alcântara

Maria Inácia, mãe de Mariana, diz que incentiva a filha desde pequena: %u201CSempre estou à frente para tirar as pedrinhas do caminho%u201D (Daniel Ferreira/CB/D.A Press ) 
Maria Inácia, mãe de Mariana, diz que incentiva a filha desde pequena: %u201CSempre estou à frente para tirar as pedrinhas do caminho%u201D


A ansiedade pode ser a maior inimiga dos mais de 8,7 milhões candidados ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no próximo fim de semana. A pressão e o nervosismo para conquistar a tão sonhada vaga no ensino superior atrapanham o desempenho nas provas. Muitas vezes, a solução para o problema está dentro de casa. Os pais devem ser os maiores aliados dos futuros universitários. Segundo especialistas ouvidos pelo Correio, eles têm que ser o alicerce dos filhos nos momentos de estresse e insegurança. Mas, se insistirem em pressioná-los além dos limites e impor a vontade deles acima dos desejos dos inscritos, o resultado corre o risco de ser desastroso.

De acordo com a psicopedagoga do Centro Educacional Sigma Tatiana Coutinho, o meio-termo é sempre o caminho mais certo neste momento. “A corda não deve estar esticada demais nem tão frouxa. Se o pai associa a não aprovação ao fracasso do filho, ele pode prejudicá-lo”, afirma. A especialista ressalta que o estresse, às vezes, provoca o famoso branco na hora do teste. “O aluno pode estar preparado em conteúdo, mas não emocionalmente. O participante fica tão nervoso que não consegue resgatar nada na memória para responder às questões”, completa Tatiana.

Mas o desinteresse também é prejudicial. Se os pais não valorizam aquele momento, o estudante pode se sentir desmotivado. Ficar atento aos estudos, ajudar na organização e, principalmente, dar um suporte são essenciais para fortalecer a confiança do candidato. “Ouvir o filho, as necessidades dele e dar condições de aprendizagem são atitudes que os pais devem ter”, explica a especialista.

Ela ressalta ainda devem ser evitadas que expressões como: “Se você não passar, trate de arrumar um emprego, pois não sustentarei vagabundo”; “Esta é sua última oportunidade”; “Se você não for aprovado, não te ajudarei mais em nada”. “Elas reduzem a autoestima da pessoa e não ajudam em nada”, completa a especialista.

Lazer
Para o presidente da Associação de Pais e Alunos das Instituições de Ensino do DF (Aspa), Luis Claudio Megiorin, a expectativa diante do resultado é muito grande. “É natural que nos sintamos ansiosos, mas é preciso entender que nossos filhos estão pressionados por todos os lados: na escola, pelos colegas de classe e até por eles mesmos. Os pais precisam ajudar no ritmo de estudos, mas também dar opções para que eles relaxem”, afirma. Para ele, fazer uma caminhada, um exercício físico ao lado dos estudantes é uma boa opção para sair da rotina pesada de estudos.

Na casa da estudante do ensino médio Mariana Machado, 17 anos, a relação com os pais é de parceria. A mãe, Maria Inácia Machado e Silva, 40 anos, percebeu que a filha tem o perfil de se cobrar, de responsabilidade e decidiu ajudá-la com o companheirismo. “Sempre estou à frente dela para tirar as pedrinhas do caminho, e atrás, para poder empurrar. Mas as decisões são dela. Os incentivos vêm desde criança. Eu a ajudo com muita biblioteca, livraria, filmes, oferecendo opções para que ela escolha”, afirma Maria.

Professora do ensino especial há mais de 15 anos, a mãe de Mariana sabe que cada pessoa tem uma capacidade diferente e vê no respeio a melhor maneira de ajudar a concorrente a uma vaga na área de ciências sociais ou relações internacionais na universidade. O reconhecimento vem em forma de resultado. “Sempre fui muito bem nas provas que fiz. É a primeira vez que concorro pelo Enem, mas estou tranquila. Vejo que alguns amigos vivem uma verdadeira prisão, não podem fazer nada. Acho que isso pode prejudicar, pois estarão tensos na hora da prova”, diz a estudante.

A mãe da estudante Ana Clara Guerreiro, 18 anos, Simone Guerreiro, 47, observa o comportamento da filha no dia a dia e acredita ter acertado no modelo de educação adotado. Há um ano, a adolescente decidiu que queria ser aprovada para o curso de medicina, historicamente o mais concorrido da Universidade de Brasília (UnB).

Os pais conversaram com ela, explicaram as dificuldades e decidiram ajudá-la pagando um curso preparatório de excelência na cidade. “Ana Clara mudou muito. Ela era uma aluna mediana no ensino médio. Depois que decidiu ser médica e começou a estudar evoluiu muito, e isso veio naturalmente”, diz a economiária. Segundo a mãe, em alguns momentos, ela precisa pedir para a filha descansar. “Eles falam para eu sair um pouco e relaxar. Essa postura dos meus pais me ajuda muito. A decisão e o momento já são difíceis, com pressão dentro de casa ficaria muito mais nervosa”, diz Ana Clara.

“É natural que nos sintamos ansiosos, mas é preciso entender que nossos filhos estão pressionados por todos os lados. Os pais precisam ajudar no ritmo de estudos, mas também dar opções para que eles relaxem”
Luis Claudio Megiorin, presidente da Associação de Pais e Alunos das Instituições de Ensino do DF

 

Cartão de confirmação


Os mais de 8,7 milhões de inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) devem conferir os locais onde farão as provas, em 8 e 9 de novembro. Os cartões de confirmação começaram a chegar à casa dos candidatos em 27 de outubro, mas também podem ser consultados pela internet por meio do portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) http://www.inep.gov.br.

Os cartões trazem informações pessoais dos inscritos, como o número de inscrição, a opção de língua estrangeira (inglês ou espanhol), o nome, o CPF e o local de aplicação do teste. Quem não receber o documento em casa ou não conseguir imprimi-lo pelo portal deve ligar para 0800-616161.

Todos os participantes devem gravar o número de inscrição e a senha para acompanhar o processo de inscrição, obter os resultados individuais via internet após a prova e para a inscrição em programas de acesso ao ensino superior. A senha é pessoal e, caso a pessoa tenha esquecido, pode recuperá-la no site do Inep por meio da opção “Esqueci minha senha”.

Fique atento
Os portões de acesso dos locais determinados em cartão de confirmação serão abertos às 12h e fechados às 13h (horário oficial de Brasília). É importante ficar atento com o horário de verão.

1º dia
8 de novembro
Ciências humanas e da natureza, com a respectivas tecnologias
Tempo para a prova: 4h30

2º dia
9 de novembro
Linguagens, redação, matemática e as respectivas tecnologias
Tempo para a prova: 5h30
Tags:

publicidade

publicidade