SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

"Jesus disse a eles: 'Minha mulher..."

Historiadora descobre papiro escrito na antiga língua cóptica com referência a uma esposa de Cristo. Para a cientista, o documento mostra que alguns dos primeiros cristãos acreditavam que Jesus foi casado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/09/2012 08:00 / atualizado em 20/09/2012 13:23

Um pequeno pedaço de papiro, de apenas 8cm de comprimento, promete trazer novas discussões sobre a vida de Jesus Cristo. Karen King, pesquisadora da Universidade de Harvard e especialista em primórdios do cristianismo, apresentou ontem, durante um congresso em Roma, um fragmento datado do século 4 em linguagem cóptica antiga (utilizada no Egito na época do Império Romano) que mostra uma frase nunca vista das Escrituras sagradas. “Jesus disse para eles: ‘Minha mulher”.

O material, rasgado, não mostra o resto da frase, escrita com tinta preta e letras pequenas. No entanto, logo abaixo da linha que menciona uma possível mulher de Jesus, o papiro inclui outra frase: “Ela será capaz de ser minha discípula”. Na frente e no verso do documento há outras nove linhas legíveis, que trazem sentenças soltas como “Quanto a mim, eu vivo com ela” e “Maria é merecedora”, o que pode fazer referência a Maria Madalena, personagem citada no Novo Testamento.
Apesar de King deixar claro que o documento não pode ser considerada uma prova de que Jesus foi casado, a descoberta tem o poder de reacender a discussão sobre se Jesus e Maria Madalena mantiveram um relacionamento, como já foi defendido por alguns estudiosos do cristianismo.

“A tradição cristã afirma que Jesus não foi casado, mesmo não havendo evidência histórica confiável para suportar essa afirmação”, diz Karen King em um vídeo feito para divulgar o achado. “Esse novo texto não prova que Jesus foi casado, mas nos mostra que alguns cristãos acreditavam que ele foi”, complementa.
As análises feitas pela historiadora indicam que o texto é provavelmente uma cópia feita no século 4 de um texto escrito originalmente dois séculos antes, provavelmente em grego. Nesse caso, o Evangelho da mulher de Jesus, como tem sido chamado o documento (leia Tira-dúvidas), mostraria que o debate sobre se Jesus foi ou não casado ganhou força justamente no momento em que os cristãos debatiam casamento e celibato.

Segundo a historiadora de Harvard, somente por volta do ano 200 é que foi afirmado, em texto registrado pelo teólogo Clemente de Alexandria, que Jesus não se casou. Na época, havia uma discussão se os cristãos deveriam se casar ou viver no celibato. Segundo Clemente, cristãos da época afirmavam que o casamento fora instituído pelo demônio. “Os cristãos discordavam sobre se era melhor ou não se casar. No entanto, esse debate aconteceu apenas um século depois da morte de Jesus. Os fiéis, apelaram, então, para o estado conjugal de Jesus para suportar suas posições”, afirma King.

Autenticidade

Especialistas em história como Roger Bagnall, diretor do Instituto de Estudo do Mundo Antigo, afirmaram acreditar na autenticidade do documento depois de analisá-lo. Segundo Bagnall, os exames realizados no material e na caligrafia comprovam que o papiro não é uma fraude. “Seria impossível de forjar (o documento)”, reforça Anne Marie Luijendijk, professora de religião da Universidade de Princeton, em artigo publicado na Harvard Magazine. Mesmo assim, o objeto ainda vai passar por mais testes, inclusive para comprovar a composição química da tinta.

O fragmento faz parte da coleção particular de uma pessoa que pediu aos pesquisadores para não ser identificado. Ela procurou a Universidade de Harvard para que o texto fosse traduzido e, assim, acabou revelando o primeiro manuscrito histórico que levanta a possibilidade de Jesus ter sido casado. “A descoberta desse fragmento nos oferece uma razão para repensar o que achávamos saber e nos faz questionar o papel que o status conjugal de Jesus teve historicamente nas controvérsias dos cristãos antigos sobre casamento, celibato e família”, defende King. “O evangelho da mulher de Jesus mostra que é possível dizer, com certeza, que alguns cristãos acreditaram que Jesus foi casado. Essa potencial conclusão traz implicações importantes que mostram como os antigos cristãos olhavam para o casamento, para a sexualidade e para a reprodução”, completa.

O texto
Veja o que está escrito em cada linha do papiro

 

 

Frente
1. Não (para) mim. Minha mãe me deu a vi(da)
2. Os discípulos disseram a Jesus: “
3. negar. Maria é merecedora disso
4. Jesus disse a eles: “Minha mulher
5. ela será capaz de ser minha discípula
6. Deixe as pessoas imorais incharem
7. Quanto a mim, eu vivo com ela para
8. Uma imagem

 

 

Verso
1. Minha mãe
2. três
3. …
4. quarto (numeral) o qual
5. ilegível
6. ilegível 

 

 

 

TIRA-DÚVIDAS


A Universidade de Harvard respondeu algumas perguntas suscitadas pela descoberta. Veja algumas delas a seguir. Todas as respostas estão disponíveis, em inglês, no endereço http://www.hds.harvard.edu/
faculty-research/research-projects/the-gospel-of-jesuss-wife.

O documento prova que  Jesus foi casado?
Não, esse fragmento não fornece nenhuma evidência de que Jesus foi casado. A idade do papiro (uma cópia feita no século 4 d.C. de um evangelho escrito provavelmente em grego, no século 2 d.C.) o torna uma evidência frágil para afirmar algo sobre a verdade histórica da vida de Jesus. No entanto, o papiro fornece uma forte evidência de que alguns dos primeiros cristãos, provavelmente no século 2, acreditavam que Jesus tenha tido uma mulher.

Por que o fragmento é chamado de  O evangelho da mulher de Jesus?
Esse nome foi dado simplesmente para que houvesse uma forma de se referir ao fragmento. Não é possível nem mesmo afirmar que a palavra “evangelho” fizesse parte do título do texto ao qual o trecho pertencia. A escolha do nome leva em conta que o texto lembra outros evangelhos, que mostram Jesus em um diálogo com seus discípulos. O gênero dos evangelhos inclui toda a literatura cristã inicial cuja narrativa ou diálogo abarca aspectos da trajetória de Jesus. Duas razões para acreditar que o texto é um evangelho são: 1) ele apresenta uma conversa de Jesus com seus discípulos e 2) apresenta uma discussão sobre os discípulos que lembra algumas passagens de outros evangelhos, como o de São Mateus e o de São Marcos. O uso do termo “evangelho”, portanto, não busca dar ao documento um status canônico nem significa que uma suposta mulher de Jesus seria a autora.

É possível dizer quem  escreveu o texto?

Não. O autor do texto não é conhecido e provavelmente permaneceria desconhecido mesmo se uma parte maior do papiro tivesse sido preservada. 

 

Tags:

publicidade

publicidade