SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Aperitivo da diversão

Console Wii U e novos jogos God of war e Halo foram alguns dos destaques da Brasil Game Show. Confira as principais atrações da feira que ainda devem demorar para chegar às lojas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/10/2012 08:00 / atualizado em 16/10/2012 09:56

São Paulo — Acostumados a receber jogos algumas semanas (ou até meses) depois do lançamento no exterior, os jogadores brasileiros puderam experimentar uma sensação diferente na Brasil Game Show: conferir de perto os títulos inéditos por aqui. Isso explica porque, mesmo no primeiro dia, fechado ao público, a movimentação pelos estandes era intensa e havia filas para jogar.

Uma das principais atrações foi o console Wii U, mostrado pela primeira vez no Brasil em uma caixa de vidro montada pela Nintendo. Era comum esperar até uma hora para poder colocar as mãos no inusitado controle-tablet inventado pela criadora do Mario.

Além dele, Injustice: gods among us, Metal Gear Rising: Revengeance, God of war: ascension e Halo 4 foram as principais atrações. O Informática testou as novidades das três grandes produtoras e mostra o que os jogadores podem esperar desses títulos.

Wii U

Fabricante: Nintendo
Lançamento: 18 de novembro (EUA) / sem previsão para o Brasil

Confirmada a poucos dias do início do Brasil Games Show, a primeira aparição do Wii U no Brasil despertou grande interesse dos jogadores e foi responsável por algumas das maiores filas de espera dentro do evento. Em uma sala de vidro fechada, a Nintendo colocou à disposição jogos que farão parte da linha de lançamento do console, previsto para chegar às lojas norte-americanas em 18 de novembro — por aqui, um panfleto dizia que o videogame chegaria “em breve”. Estavam disponíveis trechos dos games Ninja gaiden 3, Project P-100, Nintendo land, Super Mario bros. U e Assassin's creed III — esses dois últimos, testados pelo Informática.

Revelado pela Nintendo na E3 do ano passado, o Wii U utiliza o GamePad, um controle com display de LCD, similar a um tablet. Apesar de ser bem maior do que os dispositivos da concorrência (e da maioria dos consoles lançados nos últimos anos), ele não pesa na mão e tem um encaixe confortável, com todos os botões a um alcance razoável dos dedos. A Nintendo quer que o controle sirva tanto como uma tela de auxílio para jogos considerados hardcore (um dos públicos que a fabricante japonesa almeja atingir com o aparelho), quanto para transferir a jogatina da televisão direto para a telinha, sem perda nos gráficos.

No trecho de Assassin's creed III, em que você comanda um barco numa batalha naval, o display serve como mapa, fazendo com que você evite muitos movimentos de câmera. Ela também faz as vezes de menu, para escolher qual dos diversos armamentos de sua embarcação utilizar. Com um toque na telinha, a ação na televisão pausa completamente. O jogo também demonstra o processamento gráfico do videogame, compatível com imagens em alta definição e capaz de rodar jogos tal qual um PlayStation 3 ou um Xbox 360.

O Wii U também aceita os controles sem fio do Wii original. Aí, o GamePad pode funcionar como um assistente. Da forma sempre irreverente, em Super Mario bros. U, quem tem o tablet nas mãos assiste em tempo real o que acontece na telona e, com o toque, cria plataformas para ajudar — ou atrapalhar — o jogador que estiver controlando algum dos irmãos encanadores.

God of war: ascension

Plataformas: PlayStation 3
Produção: Sony
Desenvolvimento: Santa Monica Studios
Lançamento: 13 de fevereiro de 2013

A nova aventura do espartano Kratos, que conta parte de seu passado enquanto ainda era mortal, continua no nível que se espera de um dos carros-chefe da Sony no mundo dos games: cenas espetaculares e um dos melhores visuais do PlayStation 3. Entretanto, a falta de novidades pode fazer o jogador franzir a testa para ver se vale a pena comprar um jogo que não tem tantas mudanças em relação ao anterior. Uma das poucas novidades é o modo multiplayer, algo pouco comum em games do gênero.

A demonstração da BGS não chegou a empolgar muito, principalmente quando comparada ao magistral início de God of war III. Como sempre, Kratos estraçalha os mesmos soldados e criaturas mitológicas com lâminas acopladas a correntes. Você deve completar as sequências de botões à medida que eles surgem na tela, em altíssima definição. Um dos poucos momentos de novidades na demo é um trecho em que o herói pode controlar o tempo, para pausar a destruição de uma plataforma e utilizá-la para continuar seu caminho.

Metal Gear Rising: Revengeance

Plataformas: PlayStation 3, Xbox 360
Produção: Konami
Desenvolvimento: Platinum Games
Lançamento: 19 de fevereiro de 2013

Com legendas em português, o novo jogo da longa e complicada saga de Hideo Kojima ganhou outra cara sob os desenvolvedores do competente e excêntrico estúdio japonês Platinum Games. Sai de cena a espionagem, entra a ação. Raiden (o protagonista de Metal gear solid 2) se transformou em um ciborgue e agora aposta em força e velocidade sobrehumanas para vencer os batalhões de soldados e máquinas bípedes que habitam os eternos campos de guerra da série. Mas não se preocupe: pelo menos as longas cenas de filme continuam no jogo.

Vale o destaque para a imensa liberdade dos golpes que Raiden pode fazer. Um botão ativa um modo em que você pode cortar para qualquer direção com o analógico direito. O protagonista, contido (e um pouco frouxo) em Metal gear solid 2, agora está cheio de estilo — influência da Platinum, que já mostrou como é chegada em heróis extravagantes e exagerados em games como Bayonetta e Vanquish. Mas ele ainda guarda um pouco dos truques de antigamente. Em alguns momentos, a demonstração encorajava o jogador a se aproximar furtivamente dos soldados inimigos.

Injustice: gods among us

Plataformas: PlayStation 3, Xbox 360 e Wii U
Produção: Warner Bros.
Desenvolvimento: Netherrealm Studios
Lançamento: abril de 2013


Responsáveis pelo renascimento de Mortal kombat, os desenvolvedors do estúdio Netherrealm agora encaram a missão de dar aos personagens da DC Comics um jogo à altura de seus super-poderes. A prévia exibida na BGS continha personagens do alto escalão da editora de quadrinhos: Super-Homem, Batman, Flash, Lanterna Verde e Mulher-Gato eram alguns dos personagens disponíveis, que poderiam lutar em cenários conhecidos, como Metropolis (onde vive Clark Kent) e a Batcaverna.

O Informática testou o jogo em uma luta simples entre os dois maiores símbolos da DC: Super-Homem e Batman. Bastaram alguns minutos para perceber que o jogo pega quase tudo emprestado do mais recente Mortal kombat, da movimentação dos personagens a comandos especiais, como o que é ativado com os dois botões da parte superior do controle. Entretanto, o jogo é bem menos violento, sem o sangue nem as conhecidas barbaridades de MK.

Halo 4

Plataformas:
Xbox 360
Produção: Microsoft
Desenvolvimento: 343 Industries
Lançamento: 6 de novembro

A Microsoft mostrou que com sua principal franquia não se brinca. A demonstração de Halo 4 mostra que a série tem tudo para ser um dos pesos pesados das vendas de fim de ano. Carregando o fardo de substituir a Bungie que criou e produziu a série por 10 anos, o estúdio 343 mostra um belíssimo trabalho, principalmente na parte gráfica, muito superior ao já ultrapassado Halo 3, de 2007. Os estandes do game também foram alguns dos mais procurados da BGS.

O principal motivo está nas partidas multiplayer, o grande chamariz do jogo. Nas partidas competitivas, permanecem as qualidades que fizeram da série uma das mais populares do console da Microsoft: controles precisos, armas inovadoras e interessantes, e vários veículos. Uma das poucas mas boas inovações é o modo de campanha cooperativo, que, à semelhança de outro exclusivo do Xbox 360, Gears of war, permite que dois jogadores sigam uma história juntos on-line.

Tags:

publicidade

publicidade