SIGA O
Correio Braziliense

De volta aos ringues

Investimentos em jogos no Brasil reacendem a cena do esporte eletrônico, que contou com diversas competições na Brasil Game Show. Grande final de League of legends premiou participantes com US$ 80 mil

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/10/2012 08:00 / atualizado em 16/10/2012 09:50

São Paulo — O bom momento dos games no Brasil também impulsiona outros segmentos da indústria. Na Brasil Game Show, um dos lados que mais ganhou destaque foi o esporte eletrônico — ou e-sport. De games de luta a tiro, passando por futebol e RPG, a feira trouxe desde torneios rápidos até grandes disputas, que valem vagas em competições internacionais, uma boa premiação ou patrocínio. O crescimento do mercado nacional também coloca o Brasil e seus apaixonados jogadores como prioridade entre empresas que promovem campeonatos de jogos eletrônicos.

A BGS foi palco das finais do primeiro campeonato brasileiro de League of legends, popular game de RPG estilo defesa de torre (similar a Defense of the ancients, ou Dota). A premiação foi de  US$ 80 mil, a maior da história do e-sport nacional, segundo a Riot Games, produtora do jogo. O primeiro lugar foi para o time vTi.LG Ignis e o segundo ficou com o grupo vTi.LG Nox.

Baseada na Calfórnia (EUA), a Riot montou escritório no Brasil este ano e investiu R$ 1 milhão para a realização do torneio oficial de League of legends no país. De olho no contingente de fãs de games de defesa de torre, a produtora também quer fomentar a cena de esporte eletrônico nacional. No próximo ano, o plano é realizar eventos regionais e colocar times nacionais em competições maiores, como a Season 3, que dá patrocínio aos oito melhores times do game.

A produtora lançou League of legends em 2009 e, hoje, conta com cerca de 11,5 milhões de jogadores ativos por mês no mundo. No Brasil, a empresa diz que a taxa triplicou desde que o game foi lançado oficialmente, em comparação ao número de jogadores brasileiros que tinham conta nos Estados Unidos, mas não citou números. “A comunidade brasileira é uma das mais engajadas, e a taxa de desistência entre eles é baixíssima. Ou seja, quando o jogador entra e permanece no jogo”, conta o diretor executivo da Riot no Brasil, Paulo Fernandes.

Nos games de luta, a produtora japonesa Capcom, que iniciou recentemente suas operações no país, trouxe à BGS uma das etapas eliminatórias do campeonato de 25 anos da série Street Fighter. Foram quatro torneios eliminatórios, de Super street fighter II turbo HD remix, Street fighter III 3rd strike, Street fighter x Tekken e Super street fighter IV arcade edition 2012, num total de 768 vagas. O certame valeu vaga para a final, que será realizada em 8 de dezembro, em São Francisco (EUA), e contou com a presença de jogadores conhecidos internacionalmente, como o taiwanês Bruce “Gamerbee” Hsiang.
Tags: