SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Biografia de Dolores Duran como uma mulher à frente de seu tempo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 08/11/2012 20:21

Dolores Duran (1930-1959), a cantora e compositora que legou à música popular brasileira sucessos como A Noite do Meu Bem, Por Causa de Você e Estrada do Sol, entre outras canções, foi uma mulher muito à frente de seu tempo. Mesmo tendo cursado apenas o então curso primário, a carioca Adiléia Silva da Rocha – o verdadeiro nome da cantora – era bem informada, culta, politizada e autodidata em idiomas.

A vida curta e intensa da estrela que morreu de um enfarte aos 29 anos, no auge da carreira, está contada no livro Dolores Duran: A Noite e as Canções de Uma Mulher Fascinante”, que o jornalista e pesquisador musical Rodrigo Faour lançou hoje (8), às 19h, pela Editora Record, na Livraria da Travessa do Shopping Leblon, na zona sul do Rio. A biografia, além de esmiuçar as desventuras amorosas, o comportamento boêmio e os problemas pessoais da cantora, traça também um painel do Rio de Janeiro e do Brasil na década de 1950.

Foram mais de 70 entrevistados, entre os que conviveram com a artista, admiradores e nomes da música que contribuíram para imortalizar a obra de Dolores que, apesar de reduzida, teve cerca de 850 regravações até hoje. “Mergulhei fundo para conseguir entrevistar o máximo de pessoas possíveis e recorrer a todo tipo de fonte disponível dos que haviam privado com ela, mas já não estavam mais entre nós”, disse Faour.

Produtor, entre 2009 e 2010, de uma caixa de 8 CDs com as músicas compostas ou apenas interpretadas por Dolores Duran, Faour, de 40 anos, teve nesse trabalho a inspiração para escrever a biografia. “Antes, eu achava a Dolores basicamente uma grande compositora e letrista, que tinha também algumas boas gravações como cantora. Desde que comecei a colher os depoimentos para a caixa de CDs, isso mudou”, ressaltou.

Em sua imersão na vida da artista, o autor fez várias descobertas. “Ela era intelectual, lia os grandes pensadores, escritores e poetas estrangeiros, alguns no idioma original. Era também politizada – chegou a ser simpatizante do PCB”, revelou. O bom gosto na escolha do repertório, muito acima da maioria dos intérpretes da década, também chamaram a atenção de Faour. “Não é pouco para alguém que morreu de enfarte aos 29 anos”, disse.

Autora de canções e letras em que o amor é cantado muitas vezes de forma triste e melancólica, Dolores Duran foi uma mulher divertida, irônica e namoradeira, que vivia intensamente a noite carioca. Segundo Faour, ela sabia que tinha um problema congênito no coração e pressentia que sua vida não seria longa.

“Além desse insight, há um componente do acaso que fez dela uma pessoa absolutamente genial e precoce. A única personalidade que pode ser comparada a ela por esses quesitos é Noel Rosa, que morreu aos 26 anos”, disse Faour, que como escritor já publicou as biografias de Cauby Peixoto e Claudette Soares, um livro sobre a Revista do Rádio e a História Sexual da MPB, trabalho pioneiro sobre a evolução do comportamento sexual nas letras da canção da brasileira.

 

 

 

Tags:

publicidade

publicidade