SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Informática

Mais equipamentos, menos serviços

Após saída da Microsoft e a ausência de gigantes como Google e Apple, CES se concentra em aparelhos, processadores e outros componentes. Mas Windows 8 e Android equipam todos os PCs

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 16/01/2013 08:00 / atualizado em 15/01/2013 12:37

Steve Ballmer, da Microsoft, e Paul Jacobs, da Qualcomm: era pós-PC e Windows 8 (Rick Wilking/Reuters) 
Steve Ballmer, da Microsoft, e Paul Jacobs, da Qualcomm: era pós-PC e Windows 8

Em 2013, o principal evento da tecnologia do planeta nunca pareceu tão irrelevante. Apesar de ainda concentrar as novidades de algumas das principais categorias de eletrônicos, como TVs e computadores, mais uma vez, se ausentaram oficialmente da CES as grandes empresas de tecnologia com forte presença na internet — cada vez mais o principal componente desse setor. Nomes como Google, Apple, Amazon e Facebook pouco (ou, no caso das companhias de Tim Cook e Mark Zuckerberg, nada) se envolveram com a loucura dos estandes e apresentações em Las Vegas.

A quinta gigante da tecnologia com forte presença na rede, a Microsoft, deixou oficialmente a CES em 2012, mas não completamente. Até o ano passado, a feira era tradicionalmente aberta com uma palestra de Bill Gates — onde, em 2008, ele anunciou que se aposentaria — e, posteriormente, Steve Ballmer. Entretanto, o presidente da gigante não se conteve e deu uma palhinha na apresentação deste ano, capitaneada pela fabricante de processadores Qualcomm, para falar sobre a era pós-PC e o Windows 8, criado para encarar essa nova realidade.

Ainda assim, de uma forma ou de outra, as gigantes ausentes ainda exercem uma enorme influência por toda a CES. Basta se lembrar do Windows 8 e do Android, do Google, que, juntos, equipam praticamente todos os computadores, tablets e smartphones anunciados no evento. Algumas televisões também alardeiam outra função da gigante das buscas: o Google TV. Isso sem falar da míriade de acessórios e bugigangas criadas para melhorar (ou só decorar) iPhones, iPads e outros produtos da Apple.

Enquanto as grandes empresas preferem mostrar novidades em eventos próprios, a CES abre espaço para inovações interessantes. É o caso da Panasonic, que exibiu um protótipo de tablet com absurdas 20 polegadas e tela com resolução Ultra-HD. Já a Sony conseguiu chamar a atenção com o Xperia Z, um smartphone de 5 polegadas e resolução Full HD à prova d’água.

E, claro, também há espaço para gadgets inusitados, como o garfo HAPIfork. Produzido pela Hapilabs, o utensílio tem sensores que monitoram quanto tempo você gasta para comer e a velocidade entre cada garfada. Com essas estatísticas, o garfo avisa se seus hábitos não forem saudáveis: se você estiver comendo muito rápido, por exemplo, o talher vibra, indicando que você deveria diminuir o ritmo do seu almoço.

Paul Otellini, presidente e CEO da Intel: maior presença no segmento de processadores para smartphones  (Steve Marcus/Reuters) 
Paul Otellini, presidente e CEO da Intel: maior presença no segmento de processadores para smartphones

Chips
Para o mercado de processadores, a CES foi um prato cheio. As principais fabricantes mostraram suas novas gerações de chips na empresa. A Qualcomm, que abriu o evento, apresentou quatro. O mais potente é o Snapdragon 800, que permitirá transmissões de vídeo em Ultra HD e desempenho 75% maior do que a geração passada, além de um potencial gráfico duas vezes maior. Em seguida, o Snapdragon 600 promete performances superiores às do atual topo de linha da companhia, o Snapdragon S4.

Já a sua principal concorrente no campo de processadores móveis, a Nvidia, apresentou o Tegra 4, que possui 72 núcleos de processamento gráfico, e 4 núcleos de CPU. Na apresentação, a empresa mostrou um celular que conseguia, ao mesmo tempo, mostrar como seria uma imagem com captura em HDR, que representa mais precisamente luminosidade e cor.

A Intel, por sua vez, decidiu expandir sua presença nos processadores para smartphones com foco em dispositivos de linha intermediária, em países emergentes. O aparelho de referência para o chip Z2340 utiliza Android, tem tela de 3.5 polegadas, suporte a dois chips SIM e rádio FM. Para os ultrabooks, a companhia também destacou detalhes sobre o Haswell, a próxima geração de processadores destes dispositivos. O modelo de referência mostrado apresentou tela de 11,6 polegadas destacável, com suporte ao toque.


1992
Último ano em que a Apple participou da CES


2008

Ano em que Bill Gates anunciou aposentadoria, durante a palestra na CES
Tags:

publicidade

publicidade