A NOVA CARA DO BRASIL »

Unificação das pautas

Depois de uma semana de marchas em Brasília, grupos reúnem-se na tentativa de fortalecer o movimento. O comando da PM garante que vai traçar estratégias para evitar a depredação do patrimônio e manter a ordem na capital

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/06/2013 12:43 / atualizado em 24/06/2013 12:54

Edilson Rodrigues

A maior revolta popular da história do país está longe do fim. Manifestantes de centenas de cidades prometem voltar às ruas esta semana exigindo melhorias. Em Brasília, não será diferente. Ativistas decidiram se reunir a fim de unificar os movimentos e levar mais de 35 mil pessoas para a frente do Congresso Nacional, na quarta-feira. Na tarde de ontem, cerca de 300 integrantes dos grupos Acorda, Brasília!, Marcha do Vinagre e Dia do Basta — os mais populares — entre outros, encontraram-se em frente ao Museu da República para definir estratégias sobre o protesto.

A maioria dos organizadores dos três movimentos surgidos por meio das redes sociais defende um ato pacífico e defende que vândalos sejam denunciados à polícia. Querem evitar o que aconteceu na semana passada, quando um grupo de radicais, estimado em 2 mil pessoas, conseguiu promover a desordem na Esplanada dos Ministérios. Na ocasião, houve depredação de nove ministérios, de 62 vidraças do Palácio Itamaraty e de pontos de ônibus, de radares eletrônicos e de lixeiras. Até a Catedral foi atacada e teve uma vitral danificado.

Organizadora do Acorda, Brasília!, a advogada Ariadne Cristina Ferreira, 23 anos, explicou que uma das preocupações é não personalizar o movimento. Com o slogan “Vem pra rua”, eles pregam a pluralidade. “Todas essas manifestações são de iniciativa popular. A ideia agora é estabelecer uma única voz”, disse.

No entendimento do doutorando em sociologia Pedro Costa Júnior, 31 anos, a mobilização de quarta-feira deve ter um único foco: intensificar o coro pela saída do pastor e deputado Marco Feliciano (PSC-SP) da presidência da Comissão de Direitos Humanos. Ele ainda respondeu àqueles que criticam o fato de o grupo não estabelecer lideranças. “É o grito de indignação do povo em sua maneira desorganizada de lutar”, afirmou.

 

Durante o debate, alguns ativistas sugeriram um acampamento em frente ao Congresso Nacional até que sejam recebidos por alguma liderança da Câmara dos Deputados ou do Senado. Outros defendem a solicitação de audiência com a presidente Dilma Rousseff. Na sexta-feira, em pronunciamento à nação, Dilma afirmou que pretende ouvir as reivindicações daqueles que buscam melhorias para o país.

Mães mobilizadas
Interessadas em acompanhar as manifestações, mas impedidas, porque precisavam cuidar dos filhos, duas amigas decidiram criar a Marcha das Crianças Por um Brasil Melhor. O chamamento começou por meio de uma rede social e, até a noite de ontem, quase 4 mil pessoas haviam confirmado presença.

O evento está marcado para o próximo domingo, no Parque da Cidade, às 9h. “Muitos pais ficaram inquietos de não poderem ir para as ruas com crianças e vi que seria uma excelente maneira de participarmos das manifestações”, disse a jornalista Ana Laura Cartaxo, 28 anos, mãe de um menino de 6. A engenheira Mariana Andrade, 30, vai levar o pequeno Pedro Andrade, de 1 ano. “Ter noções de cidadania desde cedo vai contribuir na formação dele”, afirmou.


Agenda

Coleta de assinaturas

Quando: Hoje, às 10h
Onde: Plenário da sede da OAB, em Brasília, na 516 Norte
O que é: o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral farão um ato público em apoio às reivindicações da sociedade por um país melhor. Na ocasião, os organizadores pretendem lançar um anteprojeto de lei de iniciativa popular. A intenção é colher mais de 1 milhão de assinaturas e pressionar a votação imediata de temas, como a reforma política e a ampliação dos recursos destinados à educação e saúde.

Marcha do Vinagre

Quando: quarta-feira
Onde: concentração às 15h, em frente ao Museu da República
O que é: movimento com extensa pauta de reivindicações. Os ativistas lutam contra a PEC 37,  tarifas do transporte público e gastos com a Copa do Mundo, entre outros.

Dia do Basta
Quando: quarta-feira
Onde: concentração às 15h, em frente ao Museu da República
O que é: a principal bandeira é o arquivamento da PEC 37, que limita poderes do Ministério Público em investigações. Também cobram mais investimentos em educação e saúde.

Acorda, Brasília
Quando: quarta-feira
Onde: concentração às 15h, em frente ao Museu da República
O que é: também são contrários à aprovação da PEC 37. Exigem ainda a investigação do superfaturamento de ingressos das Copas do Mundo e das Confederações, além da distribuição de entradas para autoridades. Querem mais transparência com os recursos empenhados na construção dos estádios e pedem o passe livre.

Marcha das Crianças
Quando: domingo, às 9h
Onde: Parque da Cidade, no Castelinho;
O que é: os pais poderão aproveitar a onda de manifestações pelo Brasil para ensinar aos filhos noções de cidadania. Assim como no evento de ontem, em frente ao Congresso Nacional, os manifestantes mirins devem dar mais leveza ao clima tenso que a cidade atravessa nos últimos dias. Os pequenos pintarão cartazes coloridos e, da maneira deles, vão mandar um recado aos governantes.

Tags: