Grave e compartilhe

Aplicativos que antes trocavam apenas mensagens e fotos agora apostam em um novo recurso: a criação de vídeos. O Informática selecionou softwares para smartphones e oferece dicas sobre como dar um upgrade nas filmagens

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/08/2013 18:00 / atualizado em 13/08/2013 12:13

João Pedro faz sucesso com o perfil Receitas em 15 segundos: mais de 1,5 mil seguidores (Arquivo Pessoal) 
João Pedro faz sucesso com o perfil Receitas em 15 segundos: mais de 1,5 mil seguidores

As câmeras de vídeo amadoras deixaram de ser aquele trambolho — algumas precisavam ser apoiadas no ombro de tão pesadas — e fazem parte da maioria dos smartphones que estão no mercado. Isso popularizou a ação de gravar o que ocorre ao redor, seja como forma de lembrar um determinado momento, seja para eternizar uma situação cômica. E todo mundo gosta. As empresas oferecem várias opções de aplicativos para sair filmando, no entanto, os que estão chamando mais a atenção são aqueles que fazem cenas curtas, de no máximo 16 segundos.

Entre os apps mais utilizados para isso, está o Vine. Em janeiro deste ano, o Twitter lançou o aplicativo que permite a criação e o compartilhamento de vídeos de no máximo 6,5 segundos. A novidade foi bem recebida e, em dois meses, já era o popular da categoria. Ele não possui filtros e as imagens devem ser gravadas no momento do envio. Inicialmente, atendia apenas aos usuários do iOS, mas já está disponível para Android e, em breve, para o Windows Phone. Tudo isso ajuda a contabilizar mais de 13 milhões de usuários em todo o mundo.

Ao perceber esse sucesso, o Instagram foi atrás. Em junho, a empresa disponibilizou um novo recurso que fez com que o uso do Vine diminuísse bastante: a criação, a edição e o compartilhamento de gravações de até 15 segundos. Segundo o site Topsy, após uma semana, já haviam 50% mais links da rede de fotos de Zuckerberg do que os compartilhados pelo programa de vídeos do Twitter.

E tem quem aproveite dessa onda para fazer sucesso. O estudante de direito João Pedro Coutinho, 22 anos, dono do perfil Receitas em 15 segundos, já possui mais de 1,5 mil seguidores no Instagram, número alcançado em um mês. Por meio do aplicativo, ele ensina a fazer receitas completas, utilizando o tempo, limite. “Escolhi esse programa, porque sou ativo nele há um longo tempo. Já postava fotos relacionadas a comidas e sempre me incentivavam a fazer algo maior. Com a atualização, acabei aproveitando. Muitas vezes, uma imagem não consegue representar um momento e gravações longas não atraem”, explica.

Para o professor de audiovisual da Universidade Católica de Brasília (UCB), Alex Vidigal, há um retorno do caminho natural. “Assim como quando foram feitas as primeiras filmagens da história da humanidade, havia todo o deslumbre com a novidade e queria mostrar fatos cotidianos. Com a chegada das câmeras e da internet nos celulares, o acesso a tudo isso foi facilitado”, explica. Segundo Vidigal, esse momento pelo qual passamos é o que dita o investimento das empresas. “Elas querem entrar na nossa intimidade, todos querem seus 15 minutos de fama, por isso, mais inovações são bem-aceitas pelo público”, afirma.

Outros apps
Somente neste ano, o Mobli, criado em 2010 e que permite compartilhamento de fotos e vídeos sem limite, está começando a ascender. Ele possui versões para iOS, Android e Windows Phone e oferece opção de edição de imagens, além de importar conteúdo do Instagram. Há ainda o envio de mensagens para outras pessoas, como em um modo chat.

O sucesso do aplicativo tem sido impulsionado pelas celebridades, como Leonardo DiCaprio, que é investidor da startup, e Paris Hilton. O Mobli chegou ao Brasil neste ano e tem feito campanha com artistas nacionais — Michel Teló e Sabrina Sato, por exemplo —, o que aumentou a adesão. Todos os dias, segundo a empresa, cerca de 10 mil pessoas em todo o mundo fazem o cadastro, sendo que já há cerca de 9 milhões de usuários.

O Mobli não esconde a rivalidade contra a famosa rede do segmento, o Instagram. Há uma campanha denominada My last Instagram, em que a pretensão é colocar fim ao app. O usuário deve postar uma foto original com a hashtag e, dessa forma, a imagem mais criativa receberá um prêmio no valor de US$ 100 mil. No site da campanha, há um trecho que diz: “Diga adeus ao Instagram, seus filtros sem graça, fotos cortadas (fique longe por pelo menos três meses e você não vai sentir falta... Nós prometemos)”. Além disso, foi anunciado recentemente que, para se distanciar do grande inimigo, será adicionado um recurso de transmissão de vídeo em tempo real.

Ainda na lista de alternativas, está o Snapchat. A grande sacada do aplicativo de fotos e vídeos é destruir o conteúdo em 10 segundos. O app ficou famoso após o caso do deputado americano Anthony Weiner, que teve fotos íntimas vazadas na internet após enviá-las para uma mulher por meio do Twitter. Se o parlamentar tivesse usado o programa, as imagens teriam sido descartadas após a pessoa visualizá-la.

O Viddy, lançado em 2011, ainda é pouco conhecido entre os brasileiros, mas já possui cerca de 26 milhões de usuários em todo o mundo. Ele permite a criação de vídeos, uso de filtros e o compartilhamento no Twitter e no Facebook. Com a adesão de várias celebridades, como Shakira, Justin Bieber, Britney Spears, Jay-Z e Rihanna, o app atraiu milhares de seguidores. Até o criador do Facebook, Mark Zuckerberg, possui um perfil no aplicativo.

Para Alex Vidigal, num futuro próximo, os usuários se adaptarão melhor a essas novidades. “Acredito que a maioria das pessoas irão direcionar todo esse conteúdo e saber aproveitar as oportunidades para divulgação na internet de forma mais frequente”, avalia.


Novo na área
O MixBit, criado pelos fundadores do YouTube, Chad Hurley e Steve Chen, permite a gravação de vídeos de até 16 segundos, mas que quando postados em conjunto formam um maior, de até 68 minutos. O conteúdo pode ser compartilhado no Twitter, no Facebook, no Google Plus e na própria rede do aplicativo, onde não é possível comentar. Uma das características do software é a possibilidade da união de clipes de qualquer postagem feita por outras pessoas. O usuário pode ainda mudar a ordem das imagens e modificar o filme. Por enquanto, o aplicativo está disponível apenas para iOS, mas já está em desenvolvimento para Android.
Tags: