SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

COPA DO MUNDO »

Foi dada a largada

Para melhorar a competitividade das empresas, o Sebrae cria programa com foco nas cidades sedes e pretende atender mais de 30 mil empresários até o evento

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/11/2013 09:45 / atualizado em 04/11/2013 09:48

Sarita González

Ronaldo de Oliveira
Daniel Ferreira

Tino comercial pode ser sinônimo de saber aproveitar boas oportunidades. Na expectativa dos negócios gerados pela Copa do Mundo de 2014, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) criou o Programa Sebrae 2014, voltado para micro e pequenas empresas, empreendedores individuais e produtores rurais. A ideia é incentivá-los a aumentar a competitividade para aproveitar as chances geradas pelo megaevento. O presidente do Sebrae Nacional, Luiz Barretto, explica que, para alcançar esse objetivo, as empresas precisam de mais capacitação, consultorias e apoio na aproximação comercial. “Cada vez mais, a tese de que o conhecimento adquirido na prática é suficiente para competir com a concorrência está perdendo força”, explica. Barretto acrescenta que a intenção do programa é preparar as empresas para competir no mercado, inclusive fora do país. “O empresário aprende não apenas a aproveitar as oportunidades da Copa, mas, principalmente, a tornar a empresa mais competitiva para disputar o mercado no futuro”, esclarece.

Passo a passo

De 2011 até junho deste ano, 24 mil empreendedores foram capacitados pelo programa nas 12 cidades sedes da Copa — Brasília, Belo Horizonte, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. “Esperamos chegar a mais de 30 mil empresários atendidos pelo programa até a Copa do Mundo de 2014”, conta Barretto.
O programa é dividido em cinco etapas que levam o empreendedor a se sobressair em relação aos concorrentes (veja o quadro). “A ideia é mostrar ao empresário onde e como ele pode investir no negócio para obter melhorias”, destaca a coordenadora do programa no DF, Jackeyline Mapurunga. Ela observa que uma das principais metas para quem deseja alavancar o empreendimento é desenvolver um planejamento estratégico.

O programa prioriza o desenvolvimento de empresas nos segmentos de comércio varejista, construção civil, madeira e móveis, moda, tecnologia da informação, artesanato, turismo, serviço, agronegócios e economia criativa. Para Jackeyline, os quatro últimos são os que mais tendem a crescer no DF com a Copa  de 2014.
No Distrito Federal, 802 empresas participam do programa. Na opinião de Cristina Lucas, professora da Escola de Empreendedores do Centro de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Universidade de Brasília (CDT/UnB), nos últimos anos, Brasília vem mudando com relação ao estímulo ao empreendedorismo, e não apenas ao serviço público. “A cidade passa por uma mudança de mentalidade e cultura, e empresários brasilienses devem investir cada vez mais em capacitação, que inclui conhecimento, habilidade e atitude”, ressalta.

Simone Lima, 40 anos, sempre quis empreender. Ela se realizou ao abrir a empresa de roupas de festa para meninas, há três anos, e decidiu participar do programa. Como resultado, Simone ampliou a operação e a marca passou a atender também as mães das crianças. “Aprendi a importância de investir em mão de obra para manter minha empresa competitiva no mercado, e, ainda assim, com produtos de qualidade. Hoje, possuo parceiros, aumentei minha equipe e, dentro de 24 meses, pretendo, a partir do programa, expandir minha marca para quatro novos estados.”

Em 2011, Yoshihiro Karashima, 61 anos, dono de uma empresa de turismo receptivo em Brasília há 27 anos, aderiu ao programa ao prever o intenso trabalho que teria pela frente por conta dos eventos esportivos. Para Karashima, contar com consultoria para a empresa exige disposição para aprender novas práticas e mudar o que for necessário. “Com a consultoria, investimos em treinamento de mão de obra, além de gestão de qualidade e financeira. Também vamos estender a contratação de funcionários até o ano que vem. Em 2013, já tivemos uma ótima experiência na Copa das Confederações”, comemora.

Capacite-se

Para participar do programa e obter mais informações, acesse o site www.sebrae2014.com.br

Conheça as etapas do Programa Sebrae 2014

1ª: Matriz de competitividade
É feito um diagnóstico da gestão da empresa e elaborado um plano de desenvolvimento para aumentar a competitividade.

2ª: Diagnóstico Comércio Brasil
São identificadas novas oportunidades  e oferecidos mecanismos de expansão.

3ª: Encontros de negócios
O objetivo é identificar a demanda para adaptar o produto ou o serviço de acordo com a necessidade do comprador.

4ª: Rodada de negócios
São feitos acordos e parcerias entre empresas compradoras e ofertantes.

5ª: Central de Oportunidades
A empresa participante é cadastrada na Central de Oportunidades, que  aproxima ofertantes e compradores que têm como foco produtos e serviços relacionados à
Copa do Mundo.

Tags:

publicidade

publicidade