SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Engajados na democracia

Os adolescentes tiraram o título de eleitor entre janeiro e outubro. No mês passado, o TRE fez uma campanha de conscientização sobre a importância dos pleitos no país nas escolas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/11/2013 11:52 / atualizado em 11/11/2013 11:54

Manoela Alcântara

Bruno Peres
Eles ainda não têm obrigação de votar, mas querem exercer a cidadania o quanto antes. Entre 16 e 18 anos, cerca de 60 mil jovens brasilienses tiraram o título de eleitor de janeiro a outubro deste ano. Antes do prazo de encerramento dos novos cadastros, em 7 de maio de 2014, a expectativa é de que mais 25 mil pessoas nessa faixa etária se dirijam ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para se habilitarem ao pleito de 2014. Movidos pelo sentimento de mudança e de melhoria do país, eles precisam ficar atentos aos prazo fixados pelo calendário eleitoral.

Este ano, por exemplo, só podem fazer o alistamento eleitoral aqueles com 16 anos completos. Após a virada, adolescentes de 15 anos que fazem aniversário até 4 de outubro de 2014 poderão separar os documentos para obter o título. O cadastro termina 150 dias antes da eleição devido ao procedimento administrativo do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para preparar o processo. Como as votações são off-line, por medida de segurança, é preciso inserir dados nas urnas, preparar seções de votação. “Até a data limite, ele pode vir mesmo se tiver 15 anos, basta que complete 16 até dia das eleições”, confirma o secretário da Escola Judiciária Eleitoral do DF Rui Barbosa, Ronaldo Franco.

Mesmo com o voto facultativo para a faixa etária, a estudante Marina Furlan, 17 anos, não quer perder tempo. Separou os documentos necessários — Carteira de Identidade e comprovante de residência — e foi até o TRE nas férias escolares. “Mesmo que não seja obrigatório é responsabilidade do cidadão votar. Se tenho consciência do que é melhor para o país, por que não expressar o que penso nas urnas?”, indaga a jovem. Entre dezembro e janeiro, Marina já deve estar com o documento em mãos. “Vai chegando perto das eleições e a gente começa a pensar mais sobre isso. Acho importante votar no candidato certo”, ressalta.

A matéria completa está disponível aqui para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Tags:

publicidade

publicidade