SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Mobilidade urbana é tema de pesquisa

Primeira tese de doutorado defendida na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo vira livro lançado neste ano pela editora da Universidade de Brasília

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/04/2014 15:07

Agência UnB

Arquivo Pessoal
Para descobrir como o traçado e a disposição das ruas afetam a mobilidade e a dinâmica socioeconômica, o arquiteto Valério Medeiros decidiu analisar o desenho viário de cidades no Brasil e em outros lugares do mundo.

Com o auxílio de um software, o pesquisador conseguiu avaliar em que medida o traçado de ruas e avenidas facilita – ou dificulta – o deslocamento das pessoas.

O método parece simples. Primeiro, o eixo das vias é marcado nos mapas para identificar trajetos e, depois, é calculado o índice chamado ‘valor de integração’ que leva em consideração aspectos, como quantidade de cruzamentos, desenho das ruas e posição delas na cidade para medir a conexão dos espaços.

“O grau de labirintismo nas cidades brasileiras é maior do que nas cidades árabes”, surpreendeu-se Medeiros.

"Em sítios históricos, como Ouro Preto e Tiradentes, percursos labirínticos podem ser agradáveis, mas, em lugares como Salvador, a terceira maior cidade do país, isso pode gerar problemas de circulação e orientação", explica.

Ainda segundo Medeiros, cidades com baixo nível de integração espacial tendem a enfrentar problemas, como maior disparidade social, transporte caro e queda no nível de produtividade. Isso porque se gasta mais tempo no deslocamento do que na geração de riquezas.

“O resultado são as várias crises urbanas que vemos hoje”, acredita.

Para ele, é preciso respeitar eixos de expansão e crescimento e articular os novos bairros com a cidade pré-existente. “Transporte público mais eficiente deve ser implantado se não for possível abrir vias que integrem a cidade", diz.

Urbis Brasiliae: o labirinto das cidades brasileiras, lançado no início deste ano pela editora UnB, foi a primeira tese de doutorado defendida na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo. O trabalho também recebeu menção honrosa da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).
Tags:

publicidade

publicidade