BIOLOGIA »

As 10 novas espécies mais marcantes de 2013

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/05/2014 13:17

Publicação: 23/05/2014 04:00

O olinguito: único mamífero carnívoro encontrado no Ocidente nos últimos 35 anos (Mark Gurney/CC BY 3.0) 
O olinguito: único mamífero carnívoro encontrado no Ocidente nos últimos 35 anos

A lista é tão curiosa e diversificada quanto a natureza. Dela, fazem parte um mamífero que parece um urso de pelúcia, uma árvore de 12m de altura e um fungo que forma vistosas colônias alaranjadas. Com outros sete, esses seres compõem a relação das 10 mais significativas espécies descobertas no ano passado, divulgada ontem pelo Instituto Internacional para Exploração de Espécies (IISE), ligado à Universidade Estadual de Nova York (Suny).

Eleger essa dezena de espécies não foi um trabalho simples. Em 2013, aproximadamente 18 mil plantas, animais, fungos e micro-organismos foram identificados ao redor do mundo. Para cumprir a tarefa, o IISE formou um comitê internacional de taxonomistas e outros especialistas ligados à área da biologia. A divulgação esta semana busca lembrar o nascimento, em 23 de maio de 1707, de Carolus Linnaeus (Carlos Lineus, como conhecido em português), botânico sueco considerado o pai da taxonomia moderna.

Abrindo o rol está o olinguito (Bassaricyon neblina), um pequeno mamífero da família Procyonidae, da qual faz parte o guaxinim. Essa espécie, contudo, é menor, pesando em torno de 2kg apenas. Encontrado nas florestas andinas do Equador, o olinguito mereceu o voto dos especialistas por ser o único mamífero carnívoro encontrado no Ocidente nos últimos 35 anos. A devastação de seu hábitat, que se estende até a Colômbia, é uma ameaça à sua existência.

Alertar para a necessidade de conservar o meio ambiente para que espécies como a B. neblina possam ser conhecidas e preservadas é o principal objetivo da lista da IISE, publicada anualmente desde 2008. Com a devastação, muitas desaparecem sem jamais serem identificadas — os cientistas estimam que há 10 milhões delas a serem descobertas. “A maioria das pessoas não tem consciência das dimensões da crise de biodiversidade”, afirmou Quentin Wheeler, diretor do IISE. “O top 10 foi criado com o objetivo de chamar a atenção para os heróis desconhecidos que enfrentam essa crise, trabalhando para completar o inventário de plantas, animais e micróbios da Terra”, completou, por meio de um comunicado à imprensa.

Engana-se quem pensa que apenas minúsculos seres permanecem longe dos olhos dos cientistas. Outra integrante da lista é a dragoeiro de Kaweesak (Dracaena kaweesakii), uma árvore de 12m de altura que até 2013 havia passado desapercebida dos especialistas. A imponente planta de tronco largo é enfeitada de belas e macias folhas que lembram o formato de uma espada e produz flores claras com filamentos laranjas. A espécie, existente na Tailândia, já é considerada ameaçada por crescer em calcário, material extraído para a produção de concreto — calcula-se que existam apenas 2.500 dessas árvores.

Para Antonio Valdecasas, zoologista do Museu Nacional de Ciências Naturais de Madri, o fato de o olinguito e a espécie de dragoeiro só terem sido descobertos recentemente mostra que “nem todas as ‘grandes espécies já estão conhecidas e documentadas”. “É um dos fatos mais inspiradores do top 10 de 2014”, afirmou. Completando a lista, estão a anêmona Edwardsiella andrillae; o pequenino camarão Liropus minusculus; o fungo alaranjado Penicillium vanoranjei; a lagartixa Saltuarius eximius; a ameba Spiculosiphon oceana; o resistente micróbio Tersicoccus phoenicis; a vespa Tinkerbella nana; e o caracol Zospeum tholussum.

Tags: