SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

OBITUÁRIO »

Günter Grass, Nobel de Literatura

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 14/04/2015 10:36

Maíra de Deus Brito

Ganhador do Prêmio Nobel, Günter Grass morreu no norte da Alemanha (Pedro Armestre/AFP - 21/5/07) 
Ganhador do Prêmio Nobel, Günter Grass morreu no norte da Alemanha


“Mesmo os livros ruins são livros e, portanto, sagrados”, escreveu Günter Grass em um dos seus best- sellers O tambor (1959). O alemão — apaixonado pela literatura, ofício que lhe rendeu um prêmio Nobel, em 1999 — morreu na manhã de ontem, aos 87 anos, em uma clínica de Lübeck, norte da Alemanha. Até o fechamento desta edição, a causa da morte não havia sido divulgada. Atento às limitações do corpo já debilitado, Grass anunciou, em janeiro do ano passado, que pararia de escrever. “Não penso que consiga ainda (escrever) um romance. Meu estado de saúde não me permite conceber projetos de cinco ou seis anos, e esta seria a condição para o trabalho de pesquisa de um projeto como esse”, disse ao periódico alemão Passauer Neue Presse.

Ícone da literatura alemã pós-guerra, Grass ficou conhecido por registrar, como poucos, o surgimento e horrores do nazismo e da 2ª Guerra Mundial. Em O tambor, ele mostra a trajetória de Oscar Matzerath que decide parar de crescer ainda criança, pois não entende nem pretende entender os adultos.

Na época de lançamento, a obra recebeu uma enxurrada de críticas e elogios pelo realismo do conteúdo. Em 1978, o diretor Volker Schlöndorff adaptou o livro para o cinema. O longa-metragem homônimo ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro, em 1980.

O livro abre a Trilogia de Danzig, também composta por Gato e rato e por Anos de cão, trabalhos que seguem a temática bélica e suas consequências imediatas.

Polêmicas

As polêmicas pareciam reger a trajetória de Günter Grass. Além da repercussão com O tambor, o escritor chamou a atenção do público e da crítica em Descascando a cebola. No livro, afirmou ter pertencido à Waffen-SS (unidade do partido nazista responsável por manter a reprodução do Holocausto). Ele disse que o ingresso na organização aconteceu quando ainda era jovem, aos 17 anos, e que não foi voluntário. A declaração revoltou o então presidente Lech Walesa.

Em 2012, o alemão escreveu o poema O que é preciso dizer, no qual acusava Israel de colocar em perigo a paz mundial em virtude da produção de armas nucleares. O governo do país o declarou “persona non grata” e proibiu a entrada no território hebreu.

As críticas de Grass também chegaram aos Estados Unidos. Em 1989, assinou uma carta em que pedia a George Bush um diálogo com a Nicarágua. Anos depois, questionou a atuação de George W. Bush, político que ele considerava uma ameaça à paz mundial pelas ações na guerra do Iraque.


Obras

O tambor

Gato e rato

Anos de cão

Descascando a cebola A ratazana

A caixa — Histórias da câmara escura

Meu século

Um campo vasto

Últimas danças

Meu século

 

publicidade

publicidade