SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

MUNDO ANIMAL »

Girafa Zagalo morre no Rio

O mamífero de 14 anos era alvo de disputa judicial entre o Zoológico de Brasília e uma instituição fluminense

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/05/2015 11:18 / atualizado em 01/05/2015 12:02

Luiz Calcagno

A girafa brasiliense Zagalo, que estava emprestada para a Fundação Rio Zoo, no Rio de Janeiro, morreu na noite da última quarta-feira. Durante uma ronda, um funcionário do zoológico fluminense encontrou o animal, de 14 anos, sem sinais vitais no interior do recinto. A causa ainda é desconhecida, mas a expectativa de vida dessa espécie é de aproximadamente 25 anos. Zagalo era alvo de uma disputa judicial entre o estabelecimento no Rio e a Fundação Jardim Zoológico de Brasília. Um juiz do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) determinou, em janeiro, que o animal retornasse para a capital federal.

Veterinários da Rio Zoo farão necropsia para determinar o que causou a morte do animal. Nascido em Brasília, Zagalo era cria das girafas Leo e Bia, e estava desde 2006 no Rio, que recebeu o mamífero como empréstimo. A decisão da reintegração de posse do animal coube ao juiz Lizandro Garcia Gomes Filho, da 1ª Vara de Fazenda Pública do TJDFT. Ele concedeu liminar em favor do DF na ação contra o Rio Zoo para a rescisão de contrato de empréstimo de Zagalo. O Zoológico de Brasília já havia tentado reavê-lo do estabelecimento carioca, amigavelmente, por diversas vezes.

A instituição carioca alegou ao Correio, à época da decisão judicial, que não devolveu a girafa por conta da complexidade do traslado do animal do Rio de Janeiro para o Distrito Federal. Segundo nota do Rio Zoo, o animal não pode se sentar nem dobrar o pescoço e, com o estresse do trajeto, corria o risco de morrer. Além disso, os custos do transporte superariam o valor do animal, estimado em R$ 43,5 mil.

Negociações desfeitas

O Zoológico de Brasília reconheceu que Zagalo poderia não sobreviver à viagem. Por isso, procurou uma compensação. A alternativa seria efetuar uma nova troca e levá-lo para um lugar mais próximo. Foi escolhido o Safári Portobello Resort, em Mangaratiba, no Rio de Janeiro. O hotel de luxo, designado como zoológico categoria A, ofereceu um dromedário fêmea, Latifa, de 4 anos, espécie inexistente no plantel do zoo do DF. Como é menor, o transporte do animal seria bem mais barato. Com a morte de Zagalo, no entanto, a permuta não acontecerá.

De acordo com a Assessoria de Imprensa da Fundação Jardim Zoológico de Brasília, a instituição carioca ainda não comunicou oficialmente a morte de Zagalo. No entanto, o Correio apurou que funcionários do zoo fluminense estiveram informalmente no Distrito Federal e garantiram para a direção local que encontrariam uma forma de ressarcir os danos.

publicidade

publicidade