SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

OBITUÁRIO »

Emídio Soares da Costa, padre

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/08/2015 10:50 / atualizado em 31/08/2015 10:51

Nathália Cardim

O padre Emídio Soares da Costa, diretor do Colégio Dom Bosco desde o início do ano passado, morreu aos 67 anos, na noite de sábado, após sofrer um infarto. Na manhã de ontem, ele participaria do cortejo organizado por fiéis que levaria a imagem de Dom Bosco com o barco Andor, do Pontão do Lago Sul até a Ermida. O evento, em comemoração aos 55 anos do Lago Sul, foi cancelado, e uma missa em homenagem ao padre foi celebrada no Santuário Dom Bosco (702 Sul), com a participação de mais de 2 mil pessoas.

O padre Agnaldo Soares Lima disse que, depois de participar de uma celebração na igreja, por volta das 20h, Emídio estava no refeitório quando passou mal e caiu no chão. Ele foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), reanimado pelos médicos, mas não resistiu.

Nascido em Virginópolis, em Minas Gerais, o sacerdote veio para Brasília no início do ano passado para assumir o cargo de diretor do Colégio Dom Bosco, no início da Asa Sul. Muito conhecido pelos estudantes e fiéis do santuário, o padre, que completou 35 anos de sacerdócio neste ano, era uma figura conhecida e admirada. Ele dedicou 43 anos da vida como salesiano.

Em julho de 1980, ainda segundo o padre Agnaldo, amigo de Emídio, ele foi ordenado padre pelo papa João Paulo II. A celebração ocorreu no Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro, durante a primeira visita do papa ao Brasil. Na ocasião, 70 padres foram ordenados.

Missão
A missa em homenagem ao padre Emídio ocorreu às 11h de ontem e contou com a presença de mais de 600 jovens que participariam da procissão de Dom Bosco. O evento ocorre sempre no último domingo de agosto, e Emídio era um dos responsáveis pela organização. O corpo foi velado no santuário até as 18h de ontem e, hoje, será enterrado no Cemitério de Virginópolis, a pedido da família. “Para nós, salesianos, é uma perda. O Emídio era um amigo que se dedicava aos alunos e trabalhava ativamente. Ele era um irmão muito querido que vai deixar saudades e fazer muita falta para a nossa missão salesiana”, relatou o padre Agnaldo.

publicidade

publicidade