SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Educação

Jornalistas lançam associação para qualificar cobertura de educação

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/06/2016 17:55

Agência Brasil

Foi lançada hoje (23) a Associação de Jornalistas de Educação (Jeduca), que pretende contribuir para a melhoria da cobertura da área por meio da capacitação de profissionais da imprensa e da oferta de materiais de referência. O objetivo é auxiliar tantos os jornalistas que escrevem com frequência sobre o tema quanto aqueles que não têm muito contato com o assunto. A Jeduca foi apresentada durante o 11º Congresso da Associação Brasileira de Jornalistas Investigativos (Abraji), em São Paulo.

No site www.jeduca.com.br estão disponíveis conteúdos de referência sobre a cobertura de diferentes aspectos da política educacional, como as divulgações do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) e do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) – ou sobre como abordar o tema nas eleições municipais. A intenção é envolver também as faculdades e os estudantes de jornalismo.

Entre os conteúdos estão relatos dos bastidores de grandes reportagens e conteúdos traduzidos da Education Writers Association (EWA), entidade americana que reúne jornalistas de educação. Em breve, a Jeduca vai disponibilizar um banco de fontes de educação para ajudar os jornalistas. O site terá uma parte fechada para os associados, mediante pagamento de anuidade de R$ 70. Nos três primeiros meses, no entanto, todo o conteúdo terá acesso gratuito.

A Jeduca é presidida por Antonio Gois (O Globo, CBN e Canal Futura) e tem Fábio Takahashi como vice-presidente (Folha de S.Paulo). Na diretoria, estão Paulo Saldaña (Folha de S.Paulo), Renata Cafardo (TV Globo), Sérgio Pompeu (ex-Estadão), Elisângela Fernandes (Cenpec e ex-Nova Escola), Margarida Azevedo (Jornal do Commercio) e Mariana Tokarnia (Agência Brasil).

“Quanto mais preparado o jornalista está, mais condições ele tem de saber os interesses que estão por trás de cada pauta, seja um sindicato, um movimento social”, disse Gois. “Quanto mais preparado o jornalista estiver para cobrir educação, mais conseguirá ser respeitoso com a pluralidade de ideias e saberá identificar opiniões relevantes de forma apresentar o contraditório de maneira qualificada.”

Debate

A ideia da Jeduca nasceu a partir do diagnóstico de que temas ligados à educação têm pouco destaque na imprensa e que cada vez mais a cobertura é feita por profissionais com pouca experiência na área.

Na tese de doutorado Jornalismo e jornalistas de educação no Brasil: Um olhar multifocal sobre história, estrutura, agentes e sentidos, defendida na Universidade de São Paulo (USP), o jornalista e pesquisador Rodrigo Ratier constatou que 99% dos jornalistas que trabalham com educação no Brasil afirmam não ter recebido qualquer preparação para atuar na área e 73% dizem que a formação universitária não contribuiu para a aquisição de conhecimentos sobre o tema.

A pesquisa de Ratier também revelou que a cobertura perde espaço dentro dos veículos para áreas como política, sendo mais difícil publicar, por exemplo, uma matéria de educação na capa.

Para a superintendente do Todos Pela Educação, Alejandra, Meraz Velasco, o atual contexto de crise econômica impõe ainda mais o desafio de relacionar o tema educação com economia e política. “Pensar a educação como um investimento que não é menos importante que investir em uma estrada. Se se deixar de fazer, terá consequências no médio prazo”, disse. Alejandra ressaltou a importância da cobertura de educação nos veículos regionais, capazes de abordar realidades locais.

Segundo o coordenador da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Daniel Cara, falta na cobertura de educação o cotidiano escolar e relações dentro da escola. “Não dá para discutir política de educação sem falar sobre o espaço em que isso acontece.”

publicidade

publicidade