SIGA O
Correio Braziliense

VIOLÊNCIA SEXUAL »

Abuso a caminho da escola

Criminoso arrasta menina de 12 anos para terreno baldio ao lado do colégio, em Ceilândia, mas é flagrado por uma mãe que levava o filho para a aula. Cercado por dezenas de pessoas, sofre linchamento até ficar desacordado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
Com menos de uma semana desde o início das aulas da rede pública, uma menina de 12 anos viveu momentos de terror a caminho da escola, no Setor R de Ceilândia. Por volta das 7h, um jovem de 25 anos arrastou a estudante à força para um matagal e tentou estuprá-la. Apesar de o local ser escondido, uma mãe que levava o filho de carro para o colégio percebeu o crime e pediu socorro. O vigilante do centro de ensino acionou a Polícia Militar, e alguns pais e professores correram para salvar a garota e impedir a fuga do suspeito. No momento em que os policiais chegaram, ela estava com as roupas rasgadas e cerca de 20 pessoas linchavam o criminoso.

A diretora da escola o levou para dentro da unidade a fim de impedir que ele ficasse ainda mais machucado. Levou tantos socos, chutes e pedradas que desmaiou, segundo testemunhas. O jovem foi encaminhado ao Hospital Regional da Ceilândia e, depois, seguiu para a 24ª Delegacia de Polícia (Setor O). Segundo informações da Polícia Militar, o agressor estava com uma motocicleta roubada e tinha antecedentes criminais. Também havia a suspeita de ele estar armado com uma faca, mas a arma não foi encontrada no terreno baldio. Ele aparentava estar sob o efeito de drogas.

A menina também recebeu atendimento médico no Hospital Regional de Ceilândia. A polícia aguarda o resultado do laudo técnico para confirmar se o acusado consumou o estupro. O caso assustou pais e alunos. Uma testemunha que chegou ao Setor R, às 6h30, reparou na moto do suspeito nas proximidades da escola. “Eu acho isso assustador. Eu tenho um filho da mesma idade (da vítima)”, contou.

O Correio esteve no local do crime, que fica ao lado do muro da escola. Além do mato alto, a área serve como depósito irregular de lixo e entulho. Também há algumas árvores que deixam a paisagem mais fechada. A Administração Regional de Ceilândia informou que, em novembro e dezembro do ano passado, realizou serviços de limpeza, roçagem e poda nos terrenos próximos ao colégio. O órgão acrescentou que hoje repetirá o trabalho.
Cuidados

O tenente Marcos Condi, do Batalhão Escolar, alerta que pais e filhos, independentemente da idade, devem ficar atentos no deslocamento para a escola. Segundo ele, há risco mesmo em trajetos curtos. Por isso, ele sugere que os responsáveis formem grupos para fazer um revezamento na hora de levar os alunos para a aula.  “Nós contamos com a colaboração da comunidade. A Polícia Militar não é onipresente. Então, a qualquer sinal de suspeita, os policiais devem ser acionados”, orienta. O oficial também ressalta que os pais devem ter atenção com as companhias dos filhos. “Sabendo com quem as crianças andam, podemos saber os passos”,  afirma.

Apenas em janeiro, o Distrito Federal registrou 58 estupros (leia Memória). No ano passado, esse número chegou a 666. Em 2015, foram 624 ocorrências do crime.

* Estagiário sob supervisão de Guilherme Goulart


Memória
Estupro coletivo

Em janeiro deste ano, uma criança de 11 anos sofreu um estupro coletivo no Recanto das Emas. Os cinco suspeitos do crime filmaram o ato. A mãe da vítima contou que, ao chegar em casa, no dia do crime, notou a ausência da filha e, depois, saiu à procura dela na vizinhança. “Quando a encontrei, ela estava toda nervosa e já me disse que havia sido estuprada pelo namorado. Na hora, coloquei-a no carro e segui para a delegacia”, disse. Segundo o relato, a garota foi ameaçada de morte caso contasse sobre o crime a alguém. Quatro dos acusados são adolescentes e foram apreendidos. O quinto suspeito, de 20 anos, está preso no Centro de Detenção Provisória (CDP) do Complexo da Papuda.