SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Medicina

Primeira clínica escola de Olinda oferecerá atendimento gratuito

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/03/2017 19:32

O ministro da Educação, Mendonça Filho, participou nesta sexta-feira, 24, da inauguração da clínica escola da Faculdade de Medicina de Olinda (FMO), a primeira instituição superior de medicina da cidade. A clínica atenderá a população olindense de forma gratuita, integrada ao modelo de atenção à saúde do município.

 

Mendonça Filho celebrou a iniciativa, enaltecendo a importância do cuidado com a população mais carente. “O médico, para ser digno do nome, tem que ter uma característica marcante do cuidado social, a preocupação com o próximo, sobretudo com os mais pobres”, disse. “A população mais pobre também precisa de médicos qualificados e bem formados.”

 

O conselheiro Gilberto Garcia, da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação (CNE), também comemorou a inauguração da unidade de saúde. “O avanço que essa escola apresenta traduz o compromisso com a diretriz curricular de interação com a população mais carente, sobretudo, no que diz respeito às políticas públicas do Sistema Único de Saúde (SUS)”, disse.

 

O diretor da Faculdade de Medicina de Olinda, Inácio Barros de Melo Neto, agradeceu a integração com os alunos e enalteceu os esforços do MEC e do CNE para a efetivação da clínica escola. “Tenham certeza que todos que fazem parte da FMO nunca se esquecerão do que fizeram por nós, tornando o nosso sonho realidade.”

 

Estrutura

O ministro Mendonça Filho elogiou a infraestrutura da Faculdade de Medicina de Olinda, que conta com cerca de 2.800m² de área construída, divididos em cinco pavimentos. “Pelas condições de ensino ofertadas e o corpo profissional reunido, eu tenho certeza de que nós teremos na FMO uma qualidade na formação médica, com profissionais dedicados, engajados e naturalmente sintonizados com essa mensagem de fazer com que as suas vidas sejam voltadas de fato para os mais pobres”, disse o ministro.

 

Atualmente, a instituição dispõe de sete salas de aula, laboratórios de medicina e informática, biblioteca, auditório e biotério. Um novo prédio está sendo construído em área anexa e abrigará outras dez salas de aulas.

 

O quadro docente conta com 52 professores, sendo 19 doutores, 12 mestres e 16 especialistas, que lecionam para 300 alunos matriculados no primeiro, segundo e terceiro períodos do curso de medicina.

 

 

Portal MEC

publicidade

publicidade