SOCIEDADE »

Carência de creches

Estudo mostra que, em 2015, 7,7 milhões de crianças com menos de 4 anos, 74,4% do total, estavam fora de estabelecimentos que oferecem educação básica. No Distrito Federal, 81,5% da garotada nessa faixa etária não havia sido matriculada

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

Ana Rayssa

Todos os dias, antes de seguir para o trabalho, a auxiliar de serviços gerais Ana Cândida da Conceição de Abreu, 23 anos, precisa deixar as filhas Yasmim, 1 ano e 8 meses, e Sofia, 6 anos, com a mãe dela, Maria das Dores, ou na casa da bisavó, Marinelda. Moradora de Vicente Pires, a jovem mãe controla os cuidados com as filhas por telefone e preocupada, porque, “muitas vezes, a menor atrapalha um pouco a bisa quando ela precisa ir ao médico, fazer compras de supermercado ou cuidar dos afazeres domésticos”.



A preocupação é com Yasmim. Ela assiste a TV, brinca e dorme, até que a mãe vá buscá-la, no fim da tarde. Ana Cândida preferia que a filha estivesse em uma creche. Assim como ela, 61,8% dos responsáveis por 4,7 milhões de crianças brasileiras com menos de 4 anos gostariam que as crianças estivessem matriculadas.

O dado faz parte do estudo Aspectos dos Cuidados das Crianças de menos de 4 anos de idade. O levantamento inédito, que integra a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2015, do IBGE, aponta as barreiras que a população enfrenta para conseguir cuidar adequadamente das crianças pequenas. Uma vaga em creche é uma das principais demandas.

De acordo com a estimativa da Pnad 2015, há cerca de 10,3 milhões de crianças com menos de 4 anos no país, o que representa 5,1% do total da população. Desse total, 25,6%, ou seja, 2,6 milhões, eram matriculadas em creche ou escola. A maior parte — 74,4% (7,7 milhões) —, entretanto, não era matriculada. Desse contingente de crianças de menos de 4 anos de idade não matriculadas em creche ou escola, os responsáveis por elas demonstravam interesse em fazê-lo em 61,8% dos casos, o que corresponde a 4,7 milhões de crianças.

A pesquisa não detalha os motivos das crianças não estarem matriculadas, mas registra que, do percentual de pessoas que preferiam ter os menores de 4 anos em creches, 43,2% dos casos tomaram alguma medida para conseguir a vaga, o que corresponde a 2,1 milhões de crianças.

Interesse
O levantamento de 45 páginas pesquisou 356.904 pessoas e 151.189 unidades domiciliares de todas as unidades da Federação. Desse total, 18.291 eram compostas por crianças com menos de 4 anos. No Distrito Federal, foram visitadas 3.663 residências, totalizando 9.041 pessoas. Das crianças com menos de 4 anos do DF, 81,5% permaneciam de segunda a sexta-feira no mesmo local e com a mesma pessoa. E 73,8% dos responsáveis questionados, que ainda não estavam sendo atendidos por uma creche, tinham interesse em matricular a criança. Desses, 42% tomaram alguma medida para conseguir a vaga.

A Secretaria de Educação do Distrito Federal informa que tem 46 Centros de Educação da Primeira Infância (Cepis) e 59 instituições conveniadas, que mantêm 82 unidades escolares, ou seja, algumas instituições são responsáveis por mais de um estabelecimento. Os Cepis são destinados às crianças até 5 anos. “Quanto à faixa etária até três anos de idade, cabe esclarecer que o atendimento não é amparado por lei. No entanto, há 21 mil crianças nessa faixa etária que demandam vagas em creches e a pasta está trabalhando para atendê-las no menor tempo possível.”

O tamanho do problema

Maior parte de crianças com menos de 4 anos não frequenta creche

» Universo de crianças brasileiras
com menos de 4 anos:

10,3 milhões

» Representam

 5,1%
do total da população

» Desse total,

25,6% (2,6 milhões)
eram matriculadas em creche
ou escola

» A maior parte —

74,4% (7,7 milhões)
—não era matriculada

» Desse contingente,

61,8%
dos responsáveis gostariam que
as crianças estivessem
matriculadas, o que corresponde a

4,7 milhões.

» Desse total de

4,7 milhões
que não estavam em creche, em

43,2% (2,1 milhões),
os responsáveis tomaram alguma
providência para conseguir vaga.

» No DF,

73,8%
dos responsáveis queriam que as
crianças fossem atendidas por creche

» Desses,

42%
tomaram alguma medida
para conseguir a vaga

Fonte: Aspectos dos Cuidados das Crianças de
menos de 4 anos de idade, Pnad 2015, IBGE