Confira as novidades científicas da semana

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/03/2017 20:07 / atualizado em 31/03/2017 20:12

Parque dos dinossauros

 Queensland University/Divulgação

Cientistas da Universidade de Queensland identificaram 150 pegadas de 21 espécies de dinossauros na Austrália. As marcas foram deixadas por animais das classes dos sauropsidas e dos gliptodontes, além de espécies predadoras. Algumas das pegadas dos saurópodes têm 1,7m de comprimento. Os registros e encontram em uma zona rochosa, que tem entre 127 e 140 milhões de anos de antiguidade, situada em Walmadany, uma região do estado da Austrália Ocidental que contém milhares de marcas de dinossauros e que foi incluída no Patrimônio Nacional da Austrália em 2011.


Nomes curiosos
Norman F. Johnson/Divulgação

Quinze novas espécies de vespas foram descritas na região neotropical, que engloba o sul do México, o sul da Flórida, a Baixa Califórnia, as ilhas do Caribe e toda a América do Sul. Entre elas, algumas homenageiam a série de TV Star Trek e o livro O príncipe e o mendigo, do escritor Mark Twain. Essa da foto, por exemplo, foi chamada de PPhanuromyia odo, por causa do personagem Odo, do seriado que se passa no espaço. Em Star Trek, Odo é um alienígena que se metamorfoseia. A razão da vespa ter recebido seu nome é que ela também é capaz de mudar de aparência — os cientistas chegaram a pensar que se tratava de duas espécies diferentes.

 

Dieta e tamanho do cérebro

James Higham/Divulgação

Nos primatas, como chimpanzés e humanos, o tamanho do cérebro é definido pela dieta, dizem antropólogos da Universidade de Nova York. Depois de estudar mais de 140 espécies de primatas, eles concluíram que os frugívoros têm cérebros maiores que aqueles que se alimentam só de folhas. De forma menos expressiva, os omnívoros têm cérebro maior que os folívoros (como os pandas).

 

 

Imagem da semana
ESO/M. Kornmesser/Divulgação

Cientistas da Universidade de Cambridge identificaram estrelas sendo formadas por material ejetado por um massivo buraco negro. A descoberta foi feita pelo supertelescópio VLT, do Observatório Europeu do Sul, no centro da galáxia IRAS F23128. A imagem artística representa o que está acontecendo por lá.


Curiosidade

A Via Láctea, a galáxia onde fica a Terra, também tem um buraco negro. Ele tem massa 4 milhões de vezes maior do que o Sol e fica a 27 mil anos-luz do nosso planeta. Ou seja, longe o suficiente para não nos engolir!

Fonte: www.sitedecuriosidades.com