Alunos do Centro Olímpico de Brazlândia visitam Zoológico

Praticantes de natação, estudantes fizeram parte do projeto Dia Ambiental. Intenção é expandir a iniciativa para outras unidades

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/05/2017 18:24

Lula Lopes

Na tarde desta sexta-feira (28), 19 alunos de natação do Centro Olímpico de Brazlândia tiveram a oportunidade de conhecer o Jardim Zoológico de Brasília. A visita faz parte do projeto Dia Ambiental, criado pela própria unidade, ligada à rede pública de ensino.

 

Esta foi a segunda edição do projeto que, em 25 de novembro, levou 35 alunos da turma de adultos do centro. “A intenção é passar aos estudantes a importância ambiental e dar a eles a chance que nunca tiveram”, explica André Rocha, gerente pedagógico da instituição.

 

Segundo ele, outras modalidades esportivas terão essa oportunidade. Adriano de Matos, coordenador dos Centros Olímpicos da Secretaria do Esporte, Turismo e Lazer, informou que a intenção é expandir o Dia Ambiental para outros centros olímpicos do Distrito Federal.

 

Na chegada ao Zoológico os alunos receberam um kit com lanches — salgados, biscoito, suco e frutas —, e puderam visitar seus bichos preferidos. “Eu vim ver a tartaruga, meu animal favorito”, comenta Fabrício Araújo, de 12 anos, que se encantou com os répteis.

Os estudantes puderam se informar mais sobre as diversas espécies do parque e todos os cuidados especiais que eles recebem no Zoo. Foi o caso de Letícia Andrade, de 15 anos, que se preocupa com a situação dos animais.

Letícia visitou o local pela primeira vez. “Eu não gosto muito que animais vivam em cativeiro. Mas aqui os cuidados são excelentes, e o guia explica muito bem sobre a situação e a atenção dada a cada um”, diz.

 

Palestra ao final do passeio para reforçar conscientização

Ao fim do passeio, os estudantes assistiram a palestra, com temas transversais, das orientadoras pedagógicas do centro olímpico, como forma de conscientização.

 

Foram trabalhados temas como drogas, violência e doenças emocionais. A ideia é contribuir para melhoria de aspectos cognitivos, sociais e motores dos alunos, segundo explicaram as orientadoras.

 

 

Agência Brasília