SIGA O
Correio Braziliense

Pesquisa

Estudo de bolsista da Capes aborda componentes químicos do café

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 23/05/2017 18:58 / atualizado em 23/05/2017 19:04

A qualidade do café depende de muito mais fatores do que se pode imaginar. Um novo estudo, feito com a participação de cientistas de instituições brasileiras, revela que alguns compostos químicos definem o aroma e o sabor do café. Os resultados do artigo científico Diterpenes biochemical profile and transcriptional analysis of cytochrome P450s genes in leaves, roots, flowers, and during Coffea arabica L. fruit development estão disponíveis no volume 111 da revista científica Plant Physiology and Biochemistry (PPB), acessível pelo Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

 

Para Luiz Filipe Protasio Pereira, especialista da Embrapa Café e um dos autores do artigo, um dos principais impactos da pesquisa para a população é referente ao consumo voltado para a saúde. “Os compostos encontrados no café possuem propriedades antioxidantes, antitumorais, antiinflamatórias e neuroprotetoras. Portanto, um aumento na concentração dessas substâncias pode ser desejável do ponto de vista do consumidor”, afirma. 

 

Segundo o pesquisador, as duas principais substâncias encontradas – caveol e cafestol – são bioquimicamente parecidas, mas alguns estudos demonstraram que, quando se consome muito café sem filtro, pode ocorrer um aumento indireto no nível de colesterol associado ao cafestol. “O caveol e o cafestol estão associados à qualidade do café, sendo que é importante ter um equilíbrio dos dois. Devido às suas propriedades, existe também o uso industrial destes compostos, com várias patentes pelas indústrias farmacêutica e cosmética”, revela.

 

O processo para que o café seja de alta qualidade tem início desde o plantio. “O manejo correto dos cafezais auxilia no equilíbrio da produção dos compostos e no bom funcionamento fisiológico da planta. Caso a planta encontre dificuldades ambientais, será necessário um remanejamento energético para enfrentar esse ‘problema’ e, como consequência, ela pode aumentar ou reduzir a produção das substâncias”, explica Pereira. “A definição da qualidade do café não depende de fatores individuais, mas da combinação adequada destes”, ressalta.

 

O grupo de estudo pretende dar seguimento à análise para elucidar toda a via de biossíntese das substâncias e as diferenças para produção de caveol e cafestol. “Estamos trabalhando com algumas ferramentas para alcançar esses objetivos, como, por exemplo, clonagem e expressão heteróloga de proteínas de cada gene candidato. Também estamos trabalhando na caracterização dos diterpenos e de outros compostos em cultivares cafeeiros provenientes da Etiópia, centro de origem da espécie. Essas informações, em longo prazo, irão facilitar os trabalhos de melhoramento, visando alteração no padrão dos compostos”, detalha Luiz Filipe Pereira.

 

Para a execução do trabalho, Pereira afirma a relevância do Portal de Periódicos da Capes. “O portal é a principal ferramenta para acessarmos periódicos e artigos no dia a dia da pesquisa. É uma ferramenta importantíssima para busca e divulgação de conhecimento científico”, avalia.

 

O pesquisador também destaca o apoio da Capes no projeto: “A Capes foi fundamental para o desenvolvimento do trabalho. A primeira autora, Suzana Tiemi Ivamoto, recebeu bolsa do edital Capes-Embrapa por três anos durante o doutorado, no curso de biologia e genética molecular da Universidade Estadual de Londrina, e no último ano recebeu uma bolsa do programa Ciência Sem Fronteiras para um sanduíche na University of British Columbia em Vancouver, Canada. Também tivemos recursos de dois projetos do Capes-Agrópolis, que permitiu uma intensa interação entre nosso grupo de trabalho e os parceiros franceses”.

 

Além da CAPES, a pesquisa teve financiamento do Consórcio Pesquisa Café e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia do Café (INCT Café). O estudo também tem autoria de Leonardo Sakuray, Lucia Ferreira, Cíntia Kitzberger, Maria Scholz, Thierry Leroy, Luiz Vieira e Douglas Domingues.

 

Acesse a pesquisa Diterpenes biochemical profile and transcriptional analysis of cytochrome P450s genes in leaves, roots, flowers, and during Coffea arabica L. fruit development.

 

Outras publicações estão disponíveis no Portal de Periódicos da Capes.

 

 

Portal MEC