EVENTO »

A festa tecnológica chega ao DF

A Campus Party Brasil será sediada pela primeira vez em Brasília. Mais de 4 mil ingressos foram vendidos e estão esgotados. Quem tiver interesse ainda pode participar de uma área aberta cheia de atrações que deve receber 40 mil visitantes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 04/06/2017 14:00 / atualizado em 05/06/2017 15:43

Lanna Silveira

 

Daqui a 10 dias, Brasília sediará, pela primeira vez, o maior evento de tecnologia do país: a 10ª edição da Campus Party Brasil. Durante quatro dias, o Centro de Convenções Ulysses Guimarães receberá mais de 4 mil pessoas. Isso sem contar as 40 mil que devem circular pela área gratuita e aberta ao público. Os participantes poderão acompanhar palestras e atrações sobre temas contemporâneos envolvendo ciência, internet, inovação, criatividade, empreendedorismo e entretenimento digital. Workshops, mostras, hackathons (maratonas de programação), jogos e bancadas com internet de altíssima velocidade (20GB) são algumas das atrações.


A programação é 24 horas e conta com praça de alimentação para atender os 2.500 “campuseiros” que vão acampar no evento. Entre os palestrantes estão Mathew Reyes, consultor da Nasa; Ricard Stallman, lançador do movimento software livre; e Ani Liu, pesquisadora do MIT Media Lab. Tonico Novaes, administrador de empresas pela Universidade Anhembi Morumbi e um dos organizadores do evento, observa que a Campus Party Brasil é uma oportunidade ímpar para amantes de tecnologia e investidores. “Acredito que vamos conseguir ter uma das edições mais bonitas”, revela. “Viemos para suprir a demanda de Brasília por tecnologia, ativar o ecossistema de forma geral e incentivar investimentos na área.”

 

Para Tonico, a expansão da área de abrangência da Campus Party, que deixou o eixo São Paulo - Recife, é uma forma de oferecer os conteúdos da mair experiência tecnológica do mundo para pessoas de outras partes do Brasil. "Procuramos fazer com que essas edições regionais sejam tematizadas e tenham a ver com o local de participação. Em uma delas, vamos falar de economia criativa; em outra, de empreendedorismo, por exemplo. É um evento que pode acontecer em diversos estados porque traz uma série de benefícios e discussões para a sociedade", ressalta.

 

A procura por uma vaga na Campus Party foi tanta que os ingressos se esgotaram em um mês. Quem não conseguiu um tíquete ainda poderá participar da área aberta ao público (do segundo ao último dia do evento), que contará com oficinas, exposição, futebol de robôs (com times de três jogadores cada um), campeonato de drones e simuladores de carro, helicóptero e avião. A expectativa dos organizadores é receber de 4 mil a 5 mil pessoas nas áreas pagas e de 40 mil a 50 mil na área open. 

 

A vida, o universo e tudo mais 

Não, a Campus Party Brasília não vai falar da mitologia dos livros da aclamada série "O Guia dos Mochileiros da Galáxia", de Douglas Adams. Mas um dos palestrantes está diretamente ligado ao Espaço e seus misterios. Matthew Reyes é consultor estratégico para o escritório do chefe de tecnologia da NASA, nos Estados Unidos, e virá para a Campus Party Brasília falar um pouco sobre tecnologias independentes de exploração espacial. Ele vai apresentar o Cubesat, um projeto que visa ampliar o acesso da população a tecnologias aeroespaciais. "Posso afirmar, sem sombra de dúvidas, que qualquer pessoa pode fazer o seu próprio satélite. O Cubesat é um eletrônico de 10 cm e mais ou menos 1kg que contém todos os recursos necessários para realizar a comunicação entre a Terra e o Espaço. Graças a estrutura modular, você consegue moldar ele da maneira que achar melhor e, por ser barato, o satélite pode ser desenvolvido e lançado do quintal da sua casa", explica.   

 

Além do projeto, o engenheiro, que também já passou por algumas startups do Vale do Silício, vai falar um pouco do trabalho na Agência Espacial. “Imagine trabalhar em um lugar onde todo mundo é literalmente mais esperto que você. Você é a pessoa mais burra da sala, mas está tão feliz que não se sente mal e muito menos intimidado. É mais ou menos assim que eu me sinto. É um trabalho maravilhoso, onde você faz o máximo para chegar ao topo e conseguir ser tão esperto quanto todo mundo ao seu redor. Onde eu trabalho, a gente tem total liberdade de tentar coisas novas, arriscar e experimentar.” 

 

Campus Party/Divulgação
 

 

Com relação às tão sonhadas viagens espaciais, Matthew acredita que elas ainda não passam de um sonho relativamente distante. “Tem que ter a tecnologia para trazer as pessoas de volta. Não adianta só enviar, tem que ter um sistema onde os astronautas que cheguem ao local consigam se comunicar livremente com a Terra e possam voltar para o Planeta no momento certo. Até então, ainda não conseguimos desenvolver o equipamento necessário. Acho que já vou estar muito velho, mas certamente vou ver isso acontecer”, brinca. Reyes pretende ainda deixar uma mensagem de auto-suficiência para o público. "Eu quero que as pessoas se sintam inspiradas e comecem a explorar por elas mesmas. Quero que tomem iniciativa ao invés de ficar esperando pelo governo ou outras companhias", finaliza. 

Participantes

Matheus Fagundes de Oliveira, 22 anos, vai participar do evento. Aluno de gestão pública do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília (IFB), ele é diretor de Intercâmbio Corporativo em Brasília da Aiesec, ONG cujo objetivo é desenvolver lideranças jovens por meio de intercâmbio. “Tive interesse pela Campus Party depois de uma palestra na UnB (Universidade de Brasília), quando vi que era um ambiente muito empreendedor com oportunidades na área de tecnologia”, afirma. “O mercado tecnológico é bem forte em Brasília, tem muitas startups surgindo aqui, então é um setor que está em crescimento e que tem espaço para inovações”, destaca. Graduado em sistemas de informação e diretor de TI da empresa M42 - Comunicação e Games, Heygon do Lago, 28, também garantiu ingresso para o evento.

 


Nelson Almeida


Antes da edição de Brasília, ele visitou a Campus Party em São Paulo e deseja aproveitar a oportunidade de encontrar chances de negócio e tecnologias interessantes. “Espero que isso abra parcerias com empresas públicas e tecnológicas, como startups. Acho importante a visibilidade que o espaço dá para mostrar a importância do setor no país”, ressalta. Natália Ramos, 25, cursa sistemas de informação e representará, no evento, o coletivo Agromob — projeto acadêmico de estudantes da União Pioneira da Integração Social (Upis) que consiste num aplicativo para o agronegócio. “Temos um protótipo em que o cliente consegue visualizar produtos orgânicos, buscar produtores e variações de preços. Levantamos a bandeira da sustentabilidade e alimentação saudável sem agrotóxicos”, conta. A expectativa da jovem é encontrar outros projetos e startups inovadores, além de compartilhar e adquirir conhecimento na área.

 

Um dos palestrante da Campus Party Brasília é o blogueiro e youtuber Eldo Gomes. O brasiliense vai falar um pouco sobre Comunicação Multimídia em Novas Mídias. "O departamento de criatividade da Campus encontrou o meu trabalho e me convidou para expor os meus 10 anos de jornalismo digital para os campuseiros. Espero trocar experiências, transmitir um pouco do que aprendi com a criação de conteúdo para web e aprender com os vários colegas da área de tecnologia", ressalta. "É a primeira vez que Brasilia recebe um evento desta magnitude e já provamos que tecnologia é algo que amamos. Os ingressos esgotados e o sucesso do Campus nas redes sociais são prova disso", completa. 

 

Fernanda Rios/Divulgação
 

 

As atrações são definidas com base no interesse e no tema do evento. "A gente tem uma rede de curadores responsável por isso. Mais ou menos 50 pessoas trabalham com temas pré determinados e pesquisam quem pode contribuir com cada edição da feira", explica Tonico 

Origem 

A Campus Party surgiu na Espanha em 1997. A partir daí, foram produzidas versões em diversos países. No Brasil, o primeiro pais a sediar, a feira de inovação chegou em 2008 e contou com a participação de aproximadamente 3,3 mil pessoas de 18 nacionalidades diferentes. Dentre as atrações estavam o presidente e diretor executivo da Linux International, Jonh Maddog Hall, e a blogueira Mari Moon. Apenas quatro anos depois, a feira já recebia, anualmente, cerca de 7 mil pessoas e os responsáveis organizaram a primeira edição no Recife.

Este ano, haverá edições ainda em Portugal, Itália, Singapura e África do Sul. 

Exposição inovadora

Vinte projetos de DF, GO e MG foram selecionados para expor trabalhos na área aberta ao público externo. Entre eles, o UnBeatbles, de alunos de engenharia da Universidade de Brasília (UnB), que será apresentado em 17 de junho. O grupo programa robôs e representa o Brasil na liga mundial de futebol de robôs humanoides. O projeto apresenta a robótica de forma diferente em escolas públicas.

Chance de ganhar ingresso

Em 15 de junho, a Acceleratus, aceleradora de startups, promove workshop sobre uma plataforma eletrônica de hardware livre. No mesmo dia, a organização promoverá um torneio de minicarros de controle remoto. A boa notícia é que pessoas que ainda não têm ingresso para a Campus Party podem ganhar: basta se inscrever para participar desse torneio por meio do site acceleratus.com.br. No total, 38 pessoas serão selecionadas e concorrerão à prova em quatro equipes. Luiz Gonzaga Filho, graduado em ciência da computação pela Universidade Católica de Brasília (UCB), empresário e diretor de Tecnologia da aceleradora, levará desafios a esses competidores. “O prêmio será um kit de robótica. Haverá uma corrida com minicarros e quem conseguir fazer a volta mais rápido, ganha. Tecnologia de rádio frequência que será usada para controlar os carros”, conta.

Não perca!

Campus Party Brasil
Brasília
De 14 a 18 de junho
Ingressos esgotados; quem comprou o bilhete precisa retirar a credencial e cadastrar biometria de 9 a 13 de junho, das 10h às 18h, no local do evento.
Informações:
brasil.campus-party.org/brasilia

Na estrada

Além de Brasília, outros estados do país também vão receber as suas próprias Campus Party:


»Salvador/BA

De 9 a 13 de agosto

Ingressos: R$ 180

 

»Pato Branco/PR 

De 14 a 15 de outubro

Ingressos:não divulgado

 

»Belo Horizonte/MG

De 1 a 5 de novembro

Ingressos:não divulgado  

 

Mais informações: campus-party.org


*Estagiário sob supervisão de Ana Paula Lisboa.

*Estagiário sob supervisão de Taís Braga.