Trilhas da Educação

Projeto de educação integral aproveita estádio da Copa do Mundo em Cuiabá

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/07/2017 18:27 / atualizado em 07/07/2017 18:30

 

Em Cuiabá, um projeto inovador está formando estudantes mato-grossenses com vocação para o esporte. A Escola Estadual Governador José Fragelli, conhecida como Arena da Educação, foi estruturada dentro da Arena Pantanal – estádio construído para sediar os jogos da Copa do Mundo 2014. Há cerca de quatro meses, mais de 300 alunos, com idades entre 12 e 15 anos, estudam em período integral. Além das disciplinas regulares, a escola oferece dez modalidades esportivas no contraturno das aulas.

 

A Arena da Educação tem 12 salas de aula, laboratório de informática, ginásios, piscina olímpica e outras estruturas. Entre os esportes oferecidos estão basquete, luta olímpica, natação e vôlei de praia. O estudante é que escolhe o que quer praticar.

“A ideia surgiu no final de 2016 e escola foi criada agora, em 2017, para atender a 315 crianças”, conta o professor e diretor Marcos Prado. As crianças chegam às 7h e saem às 18h30. As aulas de esporte são oferecidas no período da manhã para as crianças do ensino fundamental e no período da tarde para as do ensino médio.

 

A rotina, explica o professor, favorece que os estudantes se dediquem a práticas esportivas com todo suporte técnico e profissional, participando, inclusive, de disputas regionais bem-sucedidas. Na última competição, a escola levou sete troféus. Na luta olímpica, no judô e na natação, os estudantes conseguiram o primeiro lugar.

 

O estudante Yago da Silva Conceição, de 13 anos, aprova a ideia. “Desde pequenininho eu já faço esporte. Me sinto bem em estudar em uma escola voltada para o esporte, porque tem vários que eu gosto e consigo me desenvolver muito bem neles”, afirma.

 

Para Lucas Schneider, de 14 anos, estudar em uma estrutura de arena esportiva traz motivação extra. No caso dele, isso fez com que despertasse a curiosidade para um esporte que nunca havia praticado: o judô. “Eu me sinto bem à vontade, pois tenho os dois no mesmo local, esporte e estudo. Quando meu pai me levou uma vez para escolher entre natação e judô, eu preferi de primeira o judô e comecei a me interessar cada vez mais e a gostar mais”, ressalta.

 

Valores

Na opinião de Marcos Prado, os valores olímpicos refletem na formação integral do jovem estudante, sendo essa uma fórmula positiva para o processo de aprendizagem. “Trabalho há 25 anos na educação. Quando a gente vê uma criança entrar em um estádio desses para estudar, você vê uma outra feição no rosto dessa criança. Esse estádio tem o poder de transformar a criança, aumentar a autoestima num piscar de olhos”, diz.

 

De acordo com o diretor, há planos de expansão da escola, que deve receber mais alunos a partir de 2018. Ele acredita que esse modelo de ensino trará resultados inovadores a longo prazo. “É algo que a gente não vai ver agora. O resultado é lá na frente, daqui a sete, oito, nove, dez anos. Você vai ver um outro tipo de cidadão sendo formado”, completa.

Mesmo abrigando o projeto da Arena da Educação, o estádio segue apto a receber partidas de futebol.