Ciência

Aplicativo de instituto federal ajuda na seleção do gado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/07/2017 19:16

Um aplicativo que poderá ajudar criadores de gado a selecionar os melhores animais da raça Nelore na hora da compra é a grande novidade no Campus de Avaré (SP). A tecnologia foi criada a partir de uma pesquisa coordenada pelo professor do Instituto Federal de São Paulo (IFSP) Newton Tamassia Pegolo, com o auxílio de alunos e outros pesquisadores. 

 

Intitulado "Programa de Melhoramento Genético de Precisão em Bovinos da Raça Nelore", o projeto recebe apoio do Conselho Nacional de Pesquisa (CNPQ /Setec) e é desenvolvido em parceria com a Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ), o Núcleo de Criadores de Nelore de Avaré e Região e a Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinária (FCAV)-Unesp de Jaboticabal, do Campus Rio Verde do Instituto Federal Goiano, além de outros docentes e estudantes do Campus Avaré do IFSP. 

 

Etapas

Iniciada em fevereiro de 2015, a pesquisa foi dividida em três fases principais. Na primeira, foram feitas análises para detectar se os touros apresentam progênies com performances diferentes em sistemas diferentes. A hipótese foi confirmada pelo projeto.

 

Na segunda fase, foi elaborada uma plataforma para que a avaliação realizada anteriormente pudesse ser compreendida e utilizada pelos produtores e técnicos ligados à pecuária. “Criamos o MoVIP-Módulo Virtual Interativo Preciso, que consiste em um software e um aplicativo para celulares e tablets, que permitirão ao criador a descrição de sua situação de forma interativa”, explica Newton Pegolo. “O software é capaz de disponibilizar uma lista dos animais que melhor se adequem aos seus objetivos de seleção e ao seu sistema de produção. ” 

 

Os profissionais finalizam, na atual etapa da pesquisa, os testes e aperfeiçoamento dos softwares. Até fevereiro de 2018, a equipe formalizará o registro do software e do aplicativo, com a entrega do pacote tecnológico para a ABCZ. Como se trata de uma ferramenta experimental, a associação não pode garantir sua implantação, o que dependerá de uma avaliação completa dos possíveis benefícios ao produtor.

 

Novidade

Apesar de não haver previsão de quando a tecnologia chegará aos usuários, Newton destaca que o trabalho é inédito: “Atualmente no mundo, nenhum programa comercial oficial utiliza os modelos estatísticos definidos pelo projeto”. 

 

Quando ingressou no IFSP, em 2011, ele compartilhou suas pesquisas com melhoramento genético com servidores e discentes. No Campus Avaré, ajudou a criar o grupo de pesquisa em genética multidimensional aplicada. O docente acredita que, junto ao novo curso de engenharia de biossistemas, focado no desenvolvimento e aplicação de novas tecnologias à produção de alimentos, fibras e energia, o grupo poderá alavancar o desenvolvimento econômico e social da região. “Os alunos já perceberam essa tendência e estão se aplicando bastante. Dois deles acabaram de encaminhar trabalhos para o Congresso Brasileiro de Engenharia de Biossistemas”, relata.