Saúde

Hospitais aprimoram atendimento à população masculina

Hidrogel presente em fraldas descartáveis é pesquisado para conservar a umidade do solo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/07/2017 18:59

Historicamente, os homens são mais negligentes com a saúde do que as mulheres. Na tentativa de amenizar esse quadro, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), estatal vinculada ao MEC, oferecerá, em seus hospitais universitários federais filiados, um atendimento especializado para o público masculino.

 

 Com a meta de ser implantado até o fim do ano em todo o país, um modelo pioneiro está sendo desenvolvido no Hospital Universitário de Brasília (HUB). O objetivo é montar uma estratégia para o momento em que, ao procurar um atendimento específico nas unidades hospitalares, o homem seja encaminhado a um check-up preventivo, na tentativa de diagnosticar outras possíveis doenças. Isso já é feito no programa saúde da mulher, implantado em toda rede.

 

 “Como sabemos que temos uma população masculina que morre mais precocemente que a feminina e que os homens se preocupam menos com a prevenção, achamos importante essa linha de cuidados do homem”, explica o presidente da Ebserh, Kleber Morais. “Assim, ele não precisa estar indo e voltando ao hospital, marcando e remarcando exames. Na hora em que ele viesse para realizar aquele exame, já aproveitaria e faria uma bateria completa. Isso é importante para otimizar a estrutura da rede hospitalar e ter essa linha de cuidados funcionando com maior objetividade”.

 

Expansão

Até o fim de 2017, toda rede de hospitais universitários do país terá estrutura semelhante e atenderá o público masculino, desde exames mais simples até os casos mais complexos. O presidente da Ebserh cita, como casos mais comuns em homens, câncer de próstata e problemas oftalmológicos.

 

Muitas unidades da Ebserh já possuem a estrutura necessária para o atendimento especializado ao homem, e outras serão adequadas do ponto de vista da disponibilidade de equipamentos e especialistas. “Os hospitais universitários, na sua maioria, são bem equipados”, observa Kleber Morais. “Às vezes há equipamentos mais antigos que precisam ser repostos ou equipamentos mais modernos que não foram adquiridos, mas esse projeto piloto despertou o que a gente vai fazer de imediato na nossa rede. ”

 

O projeto idealizado pela Ebserh conta com o apoio da superintendência da Região de Saúde Leste do DF e do Ministério da Saúde. Em breve, a Ebserh divulgará um passo a passo do processo para que hospitais universitários de todo o país também adotem o sistema.

 

Seminário

O lançamento do novo modelo no HUB foi feito na última quarta-feira, 26, no Hospital do Paranoá, durante o seminário “Construção e planejamento de linhas de cuidado em saúde do homem”, promovido pelas três instituições. O objetivo do evento e da parceria entre os órgãos é implantar na Região Leste do DF uma linha de cuidado em doenças prostáticas, ficando o HUB com a responsabilidade de atender aos casos mais complexos da área.

 

Para isso, haverá, ao longo das próximas semanas, treinamentos e oficinas, com a participação de cinco equipes de Saúde da Família da região. O modelo, construído coletivamente, definirá o itinerário de atendimento do paciente, desde a assistência preventiva até a hospitalar.

 

A programação conta com apresentação cultural e debates sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem, o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas no Atendimento à Saúde do Homem e a Linha de Cuidado em Hiperplasia Prostática.