publicidade

Finalistas do IV Concurso de Redação do Senado Federal viveram um dia especial

IV Concurso de Redação do Senado Federal

Cada um assumiu, simbolicamente, o papel de senador. Representante do DF foi o segundo colocado na competição

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/11/2011 12:00 / atualizado em 12/08/2012 07:47

Ana Pompeu

Geraldo Magela
O Senado Federal empossou mais 27 parlamentares na tarde de ontem. O motivo da cerimônia realizada no fim do ano, sem eleições diretas, tem uma explicação. Foi a primeira edição do Programa Jovem Senador. A Casa é composta por 81 senadores, com três representantes por unidade da Federação. Por três dias, cada estado, incluindo o Distrito Federal, terá quatro representantes, sendo um deles com idade entre 16 e 19 anos. Os estudantes foram selecionados para a primeira legislatura do programa por meio do IV Concurso de Redação do Senado Federal. Os vencedores foram premiados no Auditório Antonio Carlos Magalhães, no Interlegis, programa desenvolvido pelo Senado em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento/BID para modernização e integração do Poder Legislativo com a sociedade. Este ano, o concurso teve como tema “O Brasil que a gente quer é a gente quem faz”. Para exemplificar o poder de cada cidadão na mudança de um país, o vencedor usou a fábula de um pequeno pássaro que, enquanto os outros animais fogem do fogo, se esforça sozinho para combater um incêndio em uma floresta. O estudante Matheus Oliveira Faria, 16 anos, do Colégio Tiradentes da Polícia Militar, de Passos (MG), escreveu o texto “Beija-flores brasileiros” e conquistou o primeiro lugar. “Pesquisei o tema antes, mas a história foi momentânea, achei que encaixava bem e segui”, conta o autor. A inspiração, surgida de forma tão natural, fez com que ele não acreditasse no alcance que teria. “Fiz o texto durante uma aula, tanto que não pensava que fosse chegar a essas proporções.” O representante do DF foi o segundo colocado no concurso. Carlos Vinícius do Carmo Araújo, 18 anos, estuda no Centro Educacional São Francisco, de São Sebastião. “Eu estava descontente com várias notícias de corrupção que estavam aparecendo. Não vou esperar que os políticos mudem e façam algo pelo nosso país. Nós mesmos podemos fazer algumas mudanças”, defende Carlos, que também foi eleito pelos colegas o primeiro-secretário da Casa. Seu pai, o aposentado Carlos Magno, 56, era só orgulho. “A felicidade é muito grande. A gente se sente realizado, porque é uma luta criar os filhos. Agora, ele pode servir de exemplo para os irmãos e mostrar que os jovens de classes mais baixas também têm condições. Esse é só o começo para ele”, antevê. A posse Além da premiação, o presidente da Casa, José Sarney, deu posse, no plenário, aos jovens senadores. Cada um encaminhou um projeto de lei para ser discutido pelos colegas. O trabalho vai ser aproveitado. Ao fim da legislatura, os projetos aprovados serão publicados no Diário do Senado Federal. Os parlamentares devem apreciar a melhor proposta, como a encaminhada pelo primeiro colocado, Matheus Oliveira Faria, sobre um benefício do Programa de Financiamento Estudantil (Fies), que garante o abatimento de encargos aos estudantes de medicina que trabalham na rede pública de saúde. De acordo com Sarney, o programa se destina a incentivar vocações políticas no Brasil. “Esse projeto representa também o futuro da Casa. Fiz as contas, e nós temos aqui 17 mulheres e 10 homens, o que mostra que estamos no caminho de uma democracia mais representativa”, afirma o senador. A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), presidente do Conselho do Senado, acredita que a qualidade dos textos enviados indica que os jovens têm uma percepção coerente dos problemas enfrentados pelo país. “(O programa) tem um apelo social fantástico. Revela como vocês percebem o país e como podem enfrentar as dificuldades. E é uma oportunidade ímpar acerca do funcionamento do Poder Legislativo”, disse aos finalistas do concurso. Quem acompanha de perto o processo todo se empolga com os bons resultados. Diretora da Secretaria de Relações Públicas, responsável pelo programa, Andréa Valente afirma que esses jovens se tornam formadores de opinião. “Temos relato de jovens que dão palestras sobre o que aprenderam aqui. Outros que se tornam lideranças locais, como um que montou uma biblioteca em casa depois do programa. Eles levam para suas comunidades, não fica só aqui”, afirma. O compromisso é marcado logo na cerimônia de abertura da legislatura. Coube ao estudante mais velho, Orlei Jacinto Pereira, da Paraíba, ler o termo constitucional de posse: “Prometo guardar a Constituição Federal e as leis do país, desempenhar fiel e lealmente o mandato de jovem senador”. Procuram-se boas ideias Podem participar dos concursos os alunos de 16 a 19 anos regularmente matriculados no 2° ou 3° ano do ensino médio das escolas públicas estaduais e do Distrito Federal. A inscrição é feita automaticamente quando a escola envia a redação e a ficha de inscrição à Secretaria de Educação. Para acompanhar o próximo processo, os interessados podem acessar o site oficial do projeto: www.senado.gov.br/concursoredacao. Conforme divulgado durante a solenidade, a próxima edição do Concurso de Redação do Senado Federal terá como tema “Meu município, meu país”.
Tags:

publicidade

publicidade