SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Dicas de Português

Acertos que garantem vagas (4)

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 29/01/2013 12:21 / atualizado em 29/01/2013 12:25

Este é o ano dos concursos. Legislativo, Judiciário e Executivo vão recrutar milhares de servidores. Oba! Concurseiros enfrentam senhor desafio. Profissionais ou estreantes, estudam, estudam muito. Eles sabem que, na corrida para entrar no serviço público pela porta da frente, não basta mostrar bom desempenho. Impõese ultrapassar o concorrente. Aí, décimos e centésimos fazem a diferença. A coluna vem dando uma ajudinha.Vamos à de hoje.

 

Abaixo-assinado? Abaixo assinado?
Depende. As duas formas estão lá, firmes e fortes no dicionário. Quando usar uma ou outra? Guarde isto:
1. O documento se escreve com hífen: Os manifestantes entregaram o abaixo-assinado à presidente.
2. O signatário se grafa sem o tracinho: Paulo da Silva, abaixo assinado, solicita...
3. Ambas têm plural: abaixo-assinados, abaixo assinados.

 

Eu abolo? Que eu abola?
Ops! Olho vivíssimo. Abolir joga no time dos pra lá de preguiçosos. Defectivo, só se conjuga nas formas em que o l é seguido de e ou i. Eu abolo? Nempensar! Que eu abola?Valha-nos, Deus! O boa-vida não tem a primeira pessoa do singular do presente do indicativo (eu abolo) nem o presente do subjuntivo (que eu abola). Em ambas, o l vemacompanhado de o. Xô!
Se eu me abster? Se eu me abstiver?

 

Na língua, a família está acima de tudo. Abster-se sabe disso. O danadinho é derivado de ter.Ume outro se conjugam do mesmo jeito, observadas as regras de acentuação: eu tenho (me abstenho), ele tem (se abstém), nós temos (nos abstemos), eles têm (se abstêm); eu tive (me abstive), ele teve (se absteve), nós tivemos (nos abstivemos), eles tiveram (se abstiveram); se eu tiver (me abstiver), ele tiver (se abstiver), nós tivermos (nos abstivermos), eles tiverem (se abstiverem); eu tenho tido (me tenho abstido); ele está tendo (está se abstendo). E por aí vai—sem tirar nem pôr.
Acaso? Caso?

 

A trissílaba e a dissílaba têm um ponto comum—indicam condição. E umdiferente—o emprego. Acaso pede a conjunção se; caso dispensa-a: Se acaso você chegasse a tempo, poderia ir à festa. Se acaso você antecipar o trabalho, resolverá o problema. Caso você chegasse a tempo, poderia ir à festa. Caso você antecipe o trabalho, resolverá o problema.

 

Acento? Assento?

 

A pronúncia é igualzinha. Por isso muita gente embarca na canoa furada. Troca os dois substantivos com a naturalidade com que troca o tênis, a bermuda ou a camiseta.Mas, como diz o conselheiro Acácio, as consequências vêm depois.Melhor prevenir. Acento: sinal gráfico (agudo, grave, circunflexo). Assento: lugar onde se senta (assento preferencial, assento na ABL, assento dianteiro).

 

Amoral? Imoral?

 

Amoral é indiferente à moral. Imoral é contrário à moral: Atos de crianças e loucos são amorais. Algumas religiões consideram imoral a relação sexual fora do casamento.

 

Anexo? Em anexo?

 

Anexo, sozinho, é adjetivo vira-lata como bonito, feio, rico. Concorda em gênero e número com o substantivo a que se refere: carta anexa, cartas anexas, documento anexo, documentos anexos; criança bonita, objetos bonitos; imagens feias, foto feia, livros feios. Em anexo pertence a outra estirpe. É advérbio e, portanto, invariável. Não tem feminino, masculino, singular ou plural. Com ele é tudo igual: A carta segue em anexo. Os documentos estão sendo encaminhados em anexo.
Anos sessenta? Anos sessentas?

 

O numeral fica no singular. A razão é simples. Subentende-se a expressão “da década de”: anos (da década de) sessenta, anos oitenta, anos vinte.

Tags:

publicidade

publicidade