SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

dadsquarisi.df@dabr.com.br

Dicas de português

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/02/2013 08:00 / atualizado em 06/02/2013 09:27

Recado

“Educar é fazer o mundo se mover rumo ao desenvolvimento.”
Editora Moderna


Acertos que garantem vagas 7
Se errar é humano, acertar é divino. Ao acertar, ficamos mais perto de Deus. Oba! Todos queremos nos aproximar do Senhor. Daí por que acionamos nosso eu superior. Com ele, alcançamos a perfeição. Acertamos as contas. Acertamos os ponteiros. Acertamos as questões. Em suma: chegamos ao céu sem morrer. Quem não quer? A coluna dá boa ajuda. Eis degraus que levam pra cima. Vamos lá?


Após? Depois?
“Seja natural”, aconselham os manuais de estilo. Escreva do jeito que você fala. Frases curtas, perguntas diretas, palavras simples conquistam o leitor. Dão a impressão de um bate-papo de amigos que se encontram para tomar um cafezinho ou comer um sanduíche.
Mas nem todos estão atentos às manhas da língua. Um dos tropeços mais comuns é o uso do após. Por alguma razão que até Deus desconhece, falamos uma palavra, mas escrevemos outra. Que coisa!
Guarde isto: após é artificial. Use-o em expressões consagradas (ano após ano, dia após dia). No mais, dê preferência ao depois: Depois do sinal, deixe o recado. Depois de consultar o ministro, o presidente soltou a nota. Arrependeu-se depois de falar mal do chefe. Mas o mal estava feito.


Apreender? Aprender?
Um ezinho faz a diferença. E quanta! É o caso de apreender e aprender. Quer ver?
Apreender é fazer apreensão: A polícia apreendeu a mercadoria. Não consegui apreender o sentido da manobra. Menores de idade não são presos. São apreendidos.
Aprender é adquirir conhecimento, aptidão ou experiência: Paulo aprendeu as manhas da política com rapidez. Treinou, mas não aprendeu as regras do jogo. Passou a vida e não aprendeu nada.


Apesar do? Apesar de o?

Apesar de antecede verbos, adjetivos ou substantivos sem artigo: Apesar de estudar muito, não se classificou no concurso. Apesar de tímida, saiu-se bem na entrevista. Apesar de professor competente, tem dificuldade de manter a atenção dos alunos.
Apesar do (da) antecede substantivo acompanhado de artigo: Apesar do feriado, o comércio abriu. Apesar das férias longas, sente-se cansado. Apesar dos contratempos, conservou o bom humor.
Apesar de o (a) se usa quando o artigo faz parte do sujeito. Aí, como dois bicudos, a preposição fica de um lado; o artigo, de outro: Apesar de o governo negar, há risco de aumento da carga tributária. O programa não foi ao ar apesar de a TV o ter anunciado.

 (Adauto Cruz/CB/D.A Press - 28/5/12) 

Ar-condicionado? Ar condicionado?
Oba! No calor, nada mais bem-vindo. Mas, para sentir o bem-estar que todos merecem, guarde isto: ar-condicionado, com hífen, é o aparelho. Ar condicionado, sem hífen, o ar fresquinho: Precisamos consertar o ar-condicionado da sala para termos
ar condicionado.


Azul-marinho? Azuis marinhos?
Sabia? Há uma gangue especializada em roubar pontos e reputações. São três criaturas com uma característica — escrevem-se com azul. Diante delas, abra os olhos, limpe os ouvidos e vá em frente.
Azul-marinho (marinho), azul-celeste e azul-ferrete são invariáveis: blusa azul-celeste, blusas azul-celeste, calça azul-celeste, calças azul-celeste; vestidos azul-ferrete, camisas azul-ferrete; sapato azul-marinho, sapatos azul-marinho, blusa azul-marinho, blusas azul-marinho, sapatos marinho, blusas marinho.


Apelar de? Apelar para?
Apele. Esperneie. Exija. Mas, para fazer eco, faça-o como manda a regência. Assim:
No sentido de interpor recurso, o verbo rege a preposição de: Os advogados vão apelar da sentença. Os candidatos apelaram dos critérios adotados na prova.
Na acepção de recorrer, a preposição é para: O senador apelou para o presidente. O médico apelou para o bom senso do paciente. Para quem apelar nessas condições?
Superdica: não use apelou que, construção inexistente em português.


Onde? Aonde?

Em geral, o onde quebra o galho. Só se usa aonde com verbo de movimento que exige a preposição a: Onde ele nasceu? Onde estão meus óculos? Não sei onde deixei os livros. Aonde ele foi? Não sei aonde ele foi. Aonde o presidente quer chegar com essas manobras? Sei bem aonde o presidente quer chegar. Você sabe aonde esta estrada vai levar? Talvez ele saiba aonde conduziremos os hóspedes.
Tags:

publicidade

publicidade