SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

dadsquarisi.df@dabr.com.br

Dicas de português

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/03/2013 19:00 / atualizado em 13/03/2013 12:01

Dad Squarisi /Correio Braziliense

Recado

“O verdadeiro escritor nada tem a dizer. O que ele tem é
apenas uma maneira de dizê-lo.”

Alain Robbe-Grillet

 

Nós também temos
A história vem dos egípcios. O país dos faraós se notabilizou pela conservação do corpo. Museus estão povoados de múmias. A Rússia e a China imortalizaram os líderes nos tempos modernos. Na Praça Vermelha, em Moscou, exibe-se Lenin. Na Praça da Paz Celestial, em Pequim, impera Mao Tsé-tung.
Agora, chegou a vez da América. A Venezuela saiu na frente. Vai expor o corpo de Hugo Chávez para sempre. Como? O presidente que se foi aos 58 anos será embalsamado. Ops! Que surpresa! Ao comentar a novidade, muitos escreveram sobre o “embalsamento”. Bobearam. Embalsamento vem de balsa. É o ato de pôr em balsa. O nome derivado de embalsamar tem uma sílaba a mais. Por quê? O sufixo -mento se cola ao radical sem o r. Assim: casar (casamento), livrar (livramento), carregar (carregamento), embalsamar (embalsamamento).


Quilinhos a mais
É música americana pra lá, cinema americano pra cá, viagens a Miami & cia. pra lá e pra cá. A proximidade contagia. Impõe moda e muda hábitos. É o caso da comida. Batatinha frita, sanduichões e baldes de refrigerante passaram a fazer parte da vida verde-amarela. O resultado não demorou: caminhamos a passos largos para a obesidade.
O governo decidiu agir. Lançou campanha contra os quilos a mais de crianças. O alvo são as escolas. As cantinas têm de colaborar na reeducação alimentar. Ao falar no assunto, uma dúvida assaltou pais, professores e repórteres. Trata-se de pronúncia nota 10 de obeso. Ora se ouve obêso. Ora obéso. E daí? O dicionário autoriza as duas formas. Qual a melhor? A mais natural — como a maioria dos moradores da região prefere. A maioria, aí, não é burra. É poderosa.


Acertos que garantem vagas

Demais ou de mais? As duas formas existem. Ambas soam do mesmo jeitinho. Quando usar uma ou outra? A resposta só pode ser uma. Depende do emprego.

Use demais em três oportunidades:
1 - no sentido de muito, escessivamente: Comeu demais, fala demais, bonita demais.
2- na acepção de ademais, além disso: Na viagem, esteve em museus, foi ao teatro, visitou amigos, fez compras. Demais, proferiu duas conferências.
3 - como pronome indefinido, com sentido de os restantes: Cinco dos presentes levantaram-se. Os demais permaneceram sentados.

De mais, assim separadinho, se opõe a de menos: Ele disse palavrão? Nada de mais. Até aí, nada de mais. Recebi troco de mais, não de menos. A Justiça luta com este dilema — processos de mais, juízes de menos.


Curiosidade
Temístocles Castro escreve: Observo que nem todo mundo conhece o absurdo plural de caráter. Caracteres é tão estranho que muitos fogem dele. Eu mesmo, no livro Lia, escrevi que as ‘mãos são mau caráter’. Lya Luft e Carlos Abbenseth, ao traduzir O homem medíocre, do alemão Muzsil, nas págs. 52 e 53, usam ‘caráteres’ como plural de caráter. Bem, interessante. Achei ousado, mas, frente ao inusitado caracteres, alguém tem de ousar”.

Leitor pergunta

Atrás ou detrás?

Rafa Santos Cruz, lugar incerto

Depende da regência. Compare os verbos correr e sair: Correr atrás do prejuízo? Nem pensar. Corra atrás do lucro. Fuja do prejuízo. O leão saiu de trás da árvore. Foi um susto.

* * * * * *
Li no jornal: “Uma multidão, a maioria vestida de vermelho, percorreram ontem as ruas de Caracas atrás do caixão com o corpo do presidente Hugo Chávez, cujo local de sepultamento é ainda incerto”. O certo não seria: “Uma multidão, a maioria vestida de vermelho, percorreu ontem as ruas de Caracas”? Por favor, esclareça-nos.
Roberto de Deus,
BH

Ops! Trata-se da concordância do coletivo. Na época em que o professor ensinava e o aluno aprendia, a moçada sabia na ponta da língua: sujeito coletivo exige o verbo no singular. Assim: O povo aplaudiu. A boiada seguiu a trilha. A matilha raivosa perseguiu o intruso. Uma multidão percorreu as ruas de Caracas.

* * * * * *
Há uma dúvida que carrego há muito tempo. Volta e meia, principalmente em narrações automobilísticas, ouço assim dizer: os três primeiros colocados são a, b e c. O correto não seria os três mais bem colocados?
Haroldo Borges Soares,
lugar incerto

A língua, você sabe, é um sistema de possibilidades. Democrática, permite que se diga a mesma coisa de jeitos diferentes. É o caso. Você pode dizer os três primeiros colocados, os três mais bem colocados, os que vão para o pódio. E por aí vai. Escolha. 

Tags:

publicidade

publicidade