publicidade

dadsquarisi.df@dabr.com.br

Dicas de português

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/03/2013 19:00 / atualizado em 20/03/2013 11:19

Dad Squarisi /Correio Braziliense

Marcelo Ferreira
Recado
“Uma boa risada
é um raio de sol
numa casa.”

Thackeray

Redação ota mil?
Que coisa! Nova polêmica do Enem. Redações nota 1.000 exibem tropeços primários. Erros de grafia, concordância, regência passam batido pela banca examinadora. Pode? O Ministério da Educação diz que sim. A sociedade esperneia.
Pais querem preparar os filhos para a vida real. No mundo competitivo, só há lugar no topo para os melhores. Os outros se acomodam nos degraus de baixo. Vale a pergunta: quem escreve “enchergar”, “trousse” e “rasoavel” tem espaço no pódio? Não. Que tal recuperar o tempo perdido? Vamos lá.


A turma do en-

 Ch ou x? Ops! A resposta é difícil. As regras são poucas; os desafios, sem fim. No caso, os olhos são o grande auxiliar. Eles fixam a grafia como a câmera grava a imagem. Daí a importância da leitura. No caso de “enchergar” e “rasoavel”, deu bobeira na moçada. Sabe por quê? Elas se enquadram em duas normas pra lá de conhecidas.

1. Depois do en-, o x pede passagem: enxada, enxoval, enxofre, enxaqueca, enxugar, enxame, enxerto. E, claro, enxergar.

2. Respeito incondicional à família. No reino das palavras, filho de peixe sabe nadar. Se o vocábulo primitivo se grafa com determinada letra, as derivadas vão atrás: armazém (armazenar, armazenamento, armazenzinho), casa (casinha, casebre, casar, casamento), paralisia (paralisar, paralisante, paralisação), atrás (atrasar, atraso, atrasado, traseiro), viajar (viaje, eles viajem), razão (razoável).
O ch não foge à regra: cheio (encher, enchente, encheção, enchimento), charco (encharcar, encharcado), chiqueiro (enchiqueirar), chocalho (enchocalhar), chafurdar (enchafurdar), chumaço (enchumaçar).


É singular sim, senhor

“É fundamental que hajam debates de modo que não hajam diferenças”, escreveu um dos candidatos a vaga na universidade. Entrou no time dos que dizem “houveram”. Ambos se esquecem de pormenor pra lá de importante. O verbo haver, no sentido de ocorrer e existir, é impessoal. Sem sujeito, só se conjuga na 3ª pessoa do singular: É fundamental que haja debates de modo que não haja diferenças. Houve reclamações depois da divulgação das notas do Enem. Havia 100 pessoas na sala.


Manhas da língua
A coluna de domingo respondeu a pergunta do leitor Carlos Matias. Ei-la: “Francisco é jesuíta. Ao ser anunciado, lembrou a história da ordem no Brasil. Educadores, eles se destacaram na catequese dos índios. Minha pergunta: por que catequese se escreve com s e catequizar com z?” A resposta: “O sufixo-isar, com s, não existe. Só existe -izar, com z.
Na formação de verbos, o sufixo -ar pede passagem. Se a palavra tem s no radical, as duas letrinhas se colam a ele. Assim: análise (analisar), pesquisa (pesquisar), atraso (atrasar), represa (represar), bis (bisar). Na ausência do s, a saída é abrir alas para o -z. Às vezes, a lanterninha do alfabeto está presente no radical. O -ar cola-se a ela (cicatriz, cicatrizar; cruz, cruzar). Sem o z, aparece o glorioso -izar: canal (canalizar), aval (avalizar), catequese (catequizar)”.
Leitores ficaram com o pé atrás. O xis da confusão foi o substantivo catequese. Se o danadinho tem s no radical, por que o verbo é catequizar, com z? A história tem tudo a ver com a localização do s. O sufixo -ar não se cola a ele. Caso se colasse, o verbo seria catequesar. Mas  não é catequesar. É catequizar. Reparou? O e virou i. O s bateu asas e voou. Vá com Deus. O mesmo ocorre com ênfase, enfatizar.


Leitor pergunta


É correto dizer as micros na frase: as micros e pequenas empresas? Se correto, é facultativo ou é obrigatório? Para mim,
o correto é micro.
Dionne, lugar incerto

O dicionário, Dione, registra micro em duas categorias. Uma: substantivo (o micro, os micros, no sentido de microcomputador, microcomputadores). A outra: elemento de composição (prefixo): micro-história, microempresas, microsseleção. O dissílabo não aparece como adjetivo. Daí por que se considera prefixo o emprego em micro e pequenas empresas.

 

Tags:

publicidade

publicidade