publicidade

LIVROS

O lado bom de escrever bem

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 21/03/2013 20:09

Felipe Moraes

 

Dad: O texto de hoje é rápido. Vai longe o tempo em que se floreava demais (Bruno Peres/CB/D.A. Press - 16/8/12) 
Dad: O texto de hoje é rápido. Vai longe o tempo em que se floreava demais
Eis a prova de que o cuidado com a palavra independe de acordo ortográfico, carreira profissional e das mutações da língua portuguesa ao longo dos anos. O livro Escrever melhor, assinado a quatro mãos por Dad Squarisi, colunista da seção Dicas de Português e editora de Opinião do Correio, e pela jornalista Arlete Salvador, ocupa a primeira posição entre os títulos de não ficção mais vendidos da Livraria Cultura — e a terceira no geral, considerando todas as categorias. Sempre em tom de descontração, e procurando atingir diversos tipos de escritor — de estudantes a empresários —, o guia passa regras, dicas e ensinamentos sobre a arte de redigir um texto correto, agradável e, principalmente, que interesse o leitor. Este ano, a novidade é uma edição do livro em formato de bolso e a preço mais acessível (R$ 14,90). Dad resume em seis pontos as qualidades de todo bom texto. Ele deve ser simples, natural, concreto, bem-humorado, gentil e obediente às regras da língua. Por extensão, a escrita deve ser também adequada ao público-alvo. “O texto de hoje é moderno, rápido. Vai longe o tempo em que se floreava demais. Com o excesso de informação e a presença constante das redes sociais, ninguém mais tem tempo. A informação tem que ser ágil e bem dada”, define. As características por ela enumeradas servem não somente para estabelecer uma comunicação sem ruídos entre texto e leitor, mas também para tornar a leitura uma atividade prazerosa. “Ser natural, por exemplo, é importante. Dá a impressão de que está conversando com o leitor, não o obriga a voltar no texto ou a consultar o dicionário. Deve-se ser gentil, acolher o leitor, tratar bem para conquistá-lo, não afugentá-lo. E o humor não precisa ser escrachado. Basta um toque sutil. É sempre bem-vindo”, detalha. Neste mês de março, também chegou às livrarias a segunda edição do Manual de redação e estilo para mídias convergentes, publicado originalmente em 2011. A autora reforça que a internet, além de exigir conteúdos diferenciados e apresentar outros tipos de leitores, criou novos desafios para os jornalistas. “O texto da internet é o oposto do tradicional. Não é linear: você começa a ler, encontra um link e salta para outras coisas. Não é demarcado: o leitor começa e termina quando quiser. Cada leitor faz o seu texto. Ele se tornou coautor, é participativo, colabora com fotos e vídeos, e ajuda a modificar a notícia a todo instante. O leitor on-line é rápido, lê em várias plataformas, está aberto a novidades”, explica. Mais duas novidades com a assinatura da Dad devem chegar ainda em 2013. No segundo semestre, sai pela editora Contexto As 1001 dicas da Dad, um misto de obra de consulta e compêndio de conhecimentos gerais. O infantojuvenil Mitologia para gente grande e gente pequena também será publicado pelo selo Geração Editorial.
 (Antonio Kehl/Editora Contexto/Reprodução) 
Escrever melhor De Dad Squarisi e Arlete Salvador. Contexto, 224 páginas. Preços: R$ 29,90 e R$ 14,90 (edição de bolso).
 (Geração Editorial/Reprodução) 
Manual de redação e estilo para mídias convergentes De Dad Squarisi. Geração Editorial (2ª edição, março de 2013), 404 páginas. R$ 44,90.
Tags:

publicidade

publicidade