SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

por Dad Squarisi >> dadsquarisi.df@dabr.com.br

Dicas de português

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/09/2015 13:52 / atualizado em 13/09/2015 17:18

Recado
"Prefira morder a língua a falar mal dos outros."

Papa Francisco


Pistas para o Enem (3)
 
Vamos combinar? Uma bela festa de aniversário ou casamento não cai do céu nem salta do inferno. Exige planejamento. Precisa-se marcar a data, escolher o lugar, contratar o bufê, selecionar os convidados, mandar convites, confirmar a presença, comprar roupa adequada, marcar cabeleireiro, maquiador, manicure. E por aí vai. O resultado é um só: sucesso absoluto.

 A redação também exige preparo. Como uma recepção divertida ou um prato gostoso, o texto deve ser feito por etapas. Há passos a serem seguidos: delimitar o tema, traçar o objetivo, definir a tese, escolher os argumentos. Só então você transforma o plano em texto com introdução charmosa, desenvolvimento convincente e conclusão sedutora. Antes de bater o ponto final, retoca o estilo. Com truques simples, lapida o diamante bruto para que ganhe concisão, clareza e harmonia.
 
Pista 3
 
Plano do texto
 
1. Por onde começar?

 Lembre-se: você não vai escrever um livro nem um verbete de enciclopédia. Vai escrever 30 linhas. O primeiro passo é restringir o tema, pôr limites na vastidão de possibilidades. Digamos que o tema seja Brasília. O que escrever? Há uma gama enorme de aspectos: a arquitetura, as superquadras, o transporte público, a mobilidade, os parques, o lazer, a vida na capital, Brasília: cabeça, tronco e rodas. E por aí vai.
 Superdica: escolha o aspecto que você conhece melhor. Que tal a mobilidade em Brasília?
 
2. Como não se perder no caminho?
 Para quem não sabe aonde vai, qualquer caminho serve. Só que o indeciso perde tempo. E tempo é o bem mais escasso na disputa por uma vaga. Definir a rota com clareza garante pontos. A rota é o objetivo. Como chegar ele? Com o tópico em mente, pergunte-se: com o tema escolhido (a mobilidade em Brasília), o que quero? Surgirão várias respostas: comentar o excesso de carros, criticar a violência do trânsito, sugerir melhora do transporte público, convocar a comunidade para pressionar o governo a fim de melhorar o ir e vir do pedestre. A que você escolher será o objetivo. Que tal convocar a comunidade para pressionar o governo?
 Superdica: o objetivo começa sempre com verbo no infinitivo.
 
3. Como criar ideias para atingir o objetivo?
 É hora de escrever? Ainda não. Falta planejar o desenvolvimento — buscar argumentos capazes de sustentar o ponto de vista escolhido. Por onde começar? Pelo objetivo. Leia-o com cuidado. Pergunte-se: o que posso dizer para convencer o leitor de que estou certo?
Escreva tudo que lhe viver à cabeça. Exemplos, comparações, analogias, definições, conceitos, histórias ilustrativas, observações de outras pessoas, vale tudo. Escreva sem censura. É a famosa tempestade de ideias.
Ora, se quero convocar a comunidade para pressionar o governo a melhorar a mobilidade de Brasília, que ideias ajudam a chegar lá? O traçado da cidade, as pessoas não têm vez em Brasília, as pistas são largas, as distâncias são enormes, falta sinalização, falta sombra, faltam banheiros púbicos, faltam bancos, faltam calçadas, os jardins são bonitos, a piscina da Água Mineral é única no país, os shoppings são confortáveis. Etc. e tal.
 
4. Como selecionar as ideias mais adequadas?
 Escolha as mais adequados para atingir seu objetivo. Lembre-se: você vai escrever 30 linhas. Não pode falar tudo. O jeito é selecionar. Os melhores argumentos serão os eleitos. Os demais vão para o lixo.
 
5. Como fica o plano?
 Tema: Brasília
Delimitação: A mobilidade em Brasília
Objetivo: convocar a comunidade para pressionar o governo a fim de melhorar a mobilidade.
Ideias do desenvolvimento: traçado da cidade dificulta a vida do pedestre, faltam calçadas, sombra, praças, bancos, transporte público.
 Superdica: Escreva um texto que siga o plano proposto. A próxima coluna apresentará um. Vamos lá?
 

Leitor pergunta

Castanha-do-Pará? Castanha-do-pará? Vejo as duas grafias. Qual delas é a correta?

Carminha Silva, Porto Alegre

Substantivo próprios, Carminha, quando viram comuns, perdem o pedigree. Escrevem-se com a inicial pequenina: castanha-do-pará, joão-de-barro, maria-mole, pau-brasil, malhação do judas.

 

 

publicidade

publicidade